Edição do dia 19/06/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Copa CFC Celso tem rodada em Alto Linha Santa Cruz, no domingo
ESPORTES - Líder João Alves encara o Rio Pardinho na primeira partida da tarde
Mundial Unisc de futsal feminino ocorre neste final de semana
ESPORTES
Copa Cidade: Esmeralda vence o Unidos da Villa
ESPORTES - Jogo aconteceu no estádio da Timbaúva, no Arroio Grande
Portaria amplia setores com trabalho permanente no domingo e feriado
GERAL - A portaria está publicada no Diário Oficial desta quarta-feira
Brasil empata com a Venezuela pela Copa América: 0 a 0
ESPORTES - Líder do Grupo A, Canarinho volta a campo sábado (22), contra o Peru
'Joga Pouco, Ajuda Muito' acontece nesta quinta
ESPORTES
Segundona Gaúcha: Presidente do Galo lamenta desclassificação
ESPORTES
Série D do Brasileiro: Avenida segue forte
ESPORTES - Direção espera estádio lotado para decidir vaga no segundo jogo, em casa, contra o Caxias
Computação Desplugada é realidade em escolas públicas de Santa Cruz do Sul
EDUCAÇÃO - Material didático do projeto Computação na Educação foi lançado na tarde desta terça-feira, 18, na Unisc
Ensino das escolas é discutido em todo o país
EDUCAÇÃO
Thiago Porto: enaltecendo a cultura santa-cruzense
VARIEDADES - Com mais de um milhão de visualizações no YouTube músico se prepara para mais um lançamento
Restaurante Mafalda: há 18 anos servindo gastronomia de qualidade
GERAL - O estabelecimento conta com buffet tradicional e buffet para viandas
Oficina de Apoio às Famílias será na próxima terça-feira
GERAL - O Riovale Jornal entrevistou a advogada Dra. Andjanete L. Mess Hashimoto, que explica o procedimento das atividades
Câmara aprova projeto de segurança
GERAL
Mercur chega aos 95 anos com livro publicado
EMPRESARIAL - Curso para inspirar um mundo mais colaborativo também foi disponibilizado
Corpus Christi: Fé e arte para celebrar a data
RELIGIÃO - Celebração inicia às 9 horas com missa na Catedral São João Batista e após procissão segue pelas principais ruas
Quem é contra a reforma da Previdência Social não é contra o Brasil
OPINIÃO
Um novo INSS
OPINIÃO

Complexo de vira-lata (2)

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 10/05/2014

Chama atenção a força do complexo de vira-lata por esses meses que antecedem a Copa do Mundo 2014. Nas redes sociais e na mídia pululam comentários que reforçam o sentimento de inferioridade do tipo “era de se esperar que no Brasil fosse assim”, “num país sério isso não acontece”, e assim por diante.
Há quem seja sincero ao expressar esse sentimento de inferioridade e há quem faz dele um recurso retórico para criticar o atual governo. No primeiro caso, cabe levar em conta que as pesquisas das ciências sociais captaram claramente nas últimas décadas que muitos brasileiros consideram-se parte de um povo inferior. No segundo, trata-se de uma esperteza política: críticos conservadores e/ou direitistas batem nas mazelas do governo recorrendo ao jargão “tudo continua igual”, ou “mudou para pior”.
Mas, na real, faz sentido esse complexo de vira-lata hoje? É claro que não!
Temos todos os motivos para nos considerarmos parte de um povo tão capaz quanto qualquer outro, diferentes, mas com forças e fraquezas como todos os demais. A ideia de que uns povos são melhores que outros tem nome: etnocentrismo. Historicamente foi construída aqui a ideia de que deveríamos nos espelhar nos modelos europeu e norte-americano. É preciso acabar com essa visão colonial, porque o século XXI será bem diferente dos padrões europeus e norte-americanos que fizeram sucesso no século passado.
Convém recordar: somos uma das maiores economias do mundo e fortes competidores no cenário global; somos um povo admirado pela cordialidade,  alegria, capacidade de improviso, música e artes, associada em grande parte à miscigenação étnica; somos um país-continente, com grande diversidade regional, com abundantes águas e rica biodiversidade; somos uma das maiores democracias do mundo, com uma Constituição avançada, eleições regulares e ampla liberdade de expressão (ao ponto da grande mídia se achar no direito de dizer qualquer coisa dos governantes sem receio nenhum).  Vivemos nossa mais longa fase democrática.
O país mudou para melhor neste início de século. Parte das elites e da mídia não quer reconhecer isso, pois isso seria dar um crédito político às forças de esquerda que coordenam o bloco governante.
Negar o complexo de vira-lata não é cair no oposto, uma espécie de “complexo pavão”, para ficar em analogias do reino animal. Não temos motivos para nos pavonear, pois continuamos com problemas seríssimos em educação, saúde, segurança, desigualdade social, corrupção, burocratismo. A lista dos nossos problemas e defeitos é longa. O fundamental é perceber que, com nossos defeitos e nossas virtudes, estamos avançando em aspectos fundamentais para o desenvolvimento e a qualidade de vida de vida do nosso povo.
 Ao olhar para os outros povos, buscando aprender com seus acertos e erros, e simultaneamente olhar para o nosso país, para o nosso passado, notamos que há fartas razões  para alimentar um genuíno sentimento de otimismo e auto-confiança.