Edição do dia 17/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Seminário Empretec acontece em Santa Cruz do Sul
GERAL - O evento, que está com inscrições abertas, é promovido pelo Sebrae RS e acontecerá de 30/09 a 05/10
Sem meio-campo, Inter agora soma 9 vices nacionais
ESPORTES - Time gaúcho perdeu a Copa do Brasil dentro de casa para o Athletico/PR, campeão inédito do torneio
9ª edição do Open Extreme Brasil enaltece a história das danças urbanas
VARIEDADES - Grandes nomes das danças urbanas do Brasil ministram aulas neste fim de semana
Saúde reforça para o cuidado contra sífilis
SAÚDE
Gravidez na adolescência: número de casos diminui, mas ainda preocupa
GERAL
Semana Municipal de Educação no Trânsito é aprovada pela Câmara
GERAL - Iniciativa é do vereador Alberto Heck (PT) que destaca a destinação de recursos para a realização de uma semana de conscientização por um trânsito mais seguro
Projeto de alunas do Senac Santa Cruz do Sul ajuda na diminuição do uso de sacolas plásticas
GERAL
Conselho lança o Polo dos Vales
GERAL
ENTRE QUATRO: Encenação acontece hoje e amanhã
VARIEDADES
RECEITA FEDERAL: Nova sede atenderá a partir de 8 de outubro
GERAL - Além da Delegacia da Receita Federal, a Procuradoria Geral da Fazenda também deve ocupar o espaço
Fentifumo inicia pauta de negociação
GERAL - Primeira reunião com a Federação e os Sindicatos ocorre na próxima quinta-feira
Otelio Drebes realiza palestra a professores
EDUCAÇÃO
Semana do Ministério Público começa hoje
GERAL - Promotores do caso Bernardo Boldrini estarão presentes
Reunião sobre Plantas Biotivas inicia hoje
GERAL
Prefeitura lança Alvará Digital
GERAL - A partir de agora, o documento pode ser feito em poucas horas, sem precisar sair de casa
Educar-se e Centro de Línguas promovem imersão bilíngue
EDUCAÇÃO
Sincotec-Varp realiza capacitação nesta quarta
GERAL
Projeto vai apresentar Santa Cruz e a 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Nos dois sábados da Festa da Alegria, ônibus sairão de Porto Alegre, Caxias do Sul e Santa Maria

Copa não é questão de patriotismo. O país, sim

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 06/06/2014

A Copa do Mundo de 1970 foi espetacular sob muitos aspectos. Foi a primeira Copa televisionada para todo o país. A Copa de uma das nossas melhores seleções. E a Copa que marcou a ideia de que o futebol nos distingue como nação, que o Brasil é “a pátria de chuteiras”. Isso no período mais duro do regime militar, de repressão e torturas. A conquista do caneco naquele ano serviu admiravelmente aos propósitos do regime militar empenhado em mostrar que estávamos vivendo um grande momento de crescimento econômico e desenvolvimento.
Até hoje nos lembramos do “hino” da copa. “Noventa milhões em ação, pra frente Brasil, do meu coração. Todos juntos vamos, pra frente Brasil, salve a Seleção. De repente é aquela corrente pra frente, parece que todo o Brasil deu a mão. Todos ligados na mesma emoção. Tudo é um só coração! Todos juntos vamos, pra frente Brasil, Brasil. Salve a Seleção!”
Desde então ficou marcada a ideia de que torcer pelo Brasil na Copa é um compromisso cívico, é uma demonstração de patriotismo. Várias propagandas hoje continuam passando essa ideia de que somos “a pátria de chuteiras”. É um acinte à nossa inteligência. É hora de nos livrarmos dessa ideia de patriotismo.
O patriotismo deriva do sentimento de pertencimento e de amor ao país e a seu povo. Esse sentimento pode ser expresso de muitas formas: pela música, pelas artes, pela participação política, pelo cumprimento dos deveres, por manifestações de rua, pela defesa do território e também pelo esporte. Patriota é quem defende e assume suas responsabilidades de cidadão de um país.
 Aos poucos o Brasil vai se livrando da marca de ser o país do futebol e do carnaval e assumindo a marca de ser o país líder da América Latina, um país em desenvolvimento, democrático e defensor de uma nova ordem mundial. Nesse contexto, ao invés de falarmos de “pátria de chuteiras” devemos falar da pátria dos livros, das artes, do trabalho, do orçamento participativo, da diversidade étnica, regional e ambiental.
Há, todavia, uma questão patriótica envolvida na Copa: o cuidado com a imagem do país que vamos transmitir ao mundo. Temos um momento único para mostrar a boa parte do planeta o que somos hoje, com nossas conquistas e nossos problemas. Será anti-patriótico quem se esforçar por passar uma imagem negativa do Brasil, tratar mal os turistas, fizer manifestações violentas, quebrar as regras da civilidade e da boa relação entre as pessoas de todos os povos.
Pessoalmente, vou torcer pela nossa seleção e pelo hexa-campeonato. Não por patriotismo. Vou torcer porque gosto de futebol e porque me identifico em primeiro lugar com as coisas da minha terra. Patriotismo mesmo tento expressá-lo na vivência política e na defesa das coisas do Brasil, no dia a dia.