Edição do dia 19/06/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Copa CFC Celso tem rodada em Alto Linha Santa Cruz, no domingo
ESPORTES - Líder João Alves encara o Rio Pardinho na primeira partida da tarde
Mundial Unisc de futsal feminino ocorre neste final de semana
ESPORTES
Copa Cidade: Esmeralda vence o Unidos da Villa
ESPORTES - Jogo aconteceu no estádio da Timbaúva, no Arroio Grande
Portaria amplia setores com trabalho permanente no domingo e feriado
GERAL - A portaria está publicada no Diário Oficial desta quarta-feira
Brasil empata com a Venezuela pela Copa América: 0 a 0
ESPORTES - Líder do Grupo A, Canarinho volta a campo sábado (22), contra o Peru
'Joga Pouco, Ajuda Muito' acontece nesta quinta
ESPORTES
Segundona Gaúcha: Presidente do Galo lamenta desclassificação
ESPORTES
Série D do Brasileiro: Avenida segue forte
ESPORTES - Direção espera estádio lotado para decidir vaga no segundo jogo, em casa, contra o Caxias
Computação Desplugada é realidade em escolas públicas de Santa Cruz do Sul
EDUCAÇÃO - Material didático do projeto Computação na Educação foi lançado na tarde desta terça-feira, 18, na Unisc
Ensino das escolas é discutido em todo o país
EDUCAÇÃO
Thiago Porto: enaltecendo a cultura santa-cruzense
VARIEDADES - Com mais de um milhão de visualizações no YouTube músico se prepara para mais um lançamento
Restaurante Mafalda: há 18 anos servindo gastronomia de qualidade
GERAL - O estabelecimento conta com buffet tradicional e buffet para viandas
Oficina de Apoio às Famílias será na próxima terça-feira
GERAL - O Riovale Jornal entrevistou a advogada Dra. Andjanete L. Mess Hashimoto, que explica o procedimento das atividades
Câmara aprova projeto de segurança
GERAL
Mercur chega aos 95 anos com livro publicado
EMPRESARIAL - Curso para inspirar um mundo mais colaborativo também foi disponibilizado
Corpus Christi: Fé e arte para celebrar a data
RELIGIÃO - Celebração inicia às 9 horas com missa na Catedral São João Batista e após procissão segue pelas principais ruas
Quem é contra a reforma da Previdência Social não é contra o Brasil
OPINIÃO
Um novo INSS
OPINIÃO

Copa não é questão de patriotismo. O país, sim

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 06/06/2014

A Copa do Mundo de 1970 foi espetacular sob muitos aspectos. Foi a primeira Copa televisionada para todo o país. A Copa de uma das nossas melhores seleções. E a Copa que marcou a ideia de que o futebol nos distingue como nação, que o Brasil é “a pátria de chuteiras”. Isso no período mais duro do regime militar, de repressão e torturas. A conquista do caneco naquele ano serviu admiravelmente aos propósitos do regime militar empenhado em mostrar que estávamos vivendo um grande momento de crescimento econômico e desenvolvimento.
Até hoje nos lembramos do “hino” da copa. “Noventa milhões em ação, pra frente Brasil, do meu coração. Todos juntos vamos, pra frente Brasil, salve a Seleção. De repente é aquela corrente pra frente, parece que todo o Brasil deu a mão. Todos ligados na mesma emoção. Tudo é um só coração! Todos juntos vamos, pra frente Brasil, Brasil. Salve a Seleção!”
Desde então ficou marcada a ideia de que torcer pelo Brasil na Copa é um compromisso cívico, é uma demonstração de patriotismo. Várias propagandas hoje continuam passando essa ideia de que somos “a pátria de chuteiras”. É um acinte à nossa inteligência. É hora de nos livrarmos dessa ideia de patriotismo.
O patriotismo deriva do sentimento de pertencimento e de amor ao país e a seu povo. Esse sentimento pode ser expresso de muitas formas: pela música, pelas artes, pela participação política, pelo cumprimento dos deveres, por manifestações de rua, pela defesa do território e também pelo esporte. Patriota é quem defende e assume suas responsabilidades de cidadão de um país.
 Aos poucos o Brasil vai se livrando da marca de ser o país do futebol e do carnaval e assumindo a marca de ser o país líder da América Latina, um país em desenvolvimento, democrático e defensor de uma nova ordem mundial. Nesse contexto, ao invés de falarmos de “pátria de chuteiras” devemos falar da pátria dos livros, das artes, do trabalho, do orçamento participativo, da diversidade étnica, regional e ambiental.
Há, todavia, uma questão patriótica envolvida na Copa: o cuidado com a imagem do país que vamos transmitir ao mundo. Temos um momento único para mostrar a boa parte do planeta o que somos hoje, com nossas conquistas e nossos problemas. Será anti-patriótico quem se esforçar por passar uma imagem negativa do Brasil, tratar mal os turistas, fizer manifestações violentas, quebrar as regras da civilidade e da boa relação entre as pessoas de todos os povos.
Pessoalmente, vou torcer pela nossa seleção e pelo hexa-campeonato. Não por patriotismo. Vou torcer porque gosto de futebol e porque me identifico em primeiro lugar com as coisas da minha terra. Patriotismo mesmo tento expressá-lo na vivência política e na defesa das coisas do Brasil, no dia a dia.