Edição do dia 24/01/2020

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Brigada Militar prende suspeito com animal abatido
POLÍCIA
Saboreares: opção de qualidade o ano inteiro
EMPRESARIAL
Mecânica do Fernando: há nove anos prestando serviços de qualidade
EMPRESARIAL
Sabores deliciosos é na CremoLatto Sorvetes
EMPRESARIAL
O que você precisa saber sobre vagas para idosos e deficientes
GERAL
Cepru Unisc: Inscrições para Instrutor de Trânsito estão abertas
GERAL
Vegetação na Av. do Imigrante obstrui visão de motoristas
GERAL - Apesar de todo embelezamento, cidadãos reclamam que plantas prejudicam o trânsito
Mais seis escolas da rede municipal estão sendo revitalizadas
EDUCAÇÃO - Pintura interna e externa, aquisição de mobiliário, reforma nas quadras esportivas, instalação de playground, entre outros serviços estão sendo realizados
Vestibular solidário da Uninter ajuda escolas carentes
GERAL
Exposição fotográfica do Capsia está sendo realizada no Shopping Santa Cruz
VARIEDADES
O que o Novo Cemai terá de diferente?
SAÚDE
Campanha visa arrecadar material escolar
GERAL - Criada por um grupo de torcedores do Inter, ação se estende até o dia 15 de fevereiro
Brinqmania realiza festa beneficente para Juju
GERAL
Segunda edição do Bailinho da Borges está confirmada
VARIEDADES - O evento será realizado dia 15 de fevereiro, na Rua Borges do Medeiros
Literatura Brasileira dos Catarinenses
OPINIÃO
MP denuncia mais um vereador por 'rachadinha'
POLÍTICA - Alceu Crestani (PSDB) também teria mantido um funcionário fantasma em Monte Alverne
Aproveite seu verão no Park Nativo
GERAL
Novo valor da passagem gera controvérsia
ECONOMIA - Promotor de Defesa Comunitária vê espaço para cálculo com tarifa menor

Má notícia para quem torceu contra o Brasil

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 12/07/2014

Essa copa vem mostrando muitas facetas acerca de quem somos nós, os brasileiros. Uma delas é a existência de uma minoria razoável de torcedores que podemos chamar de “torcida vira-lata”, torcida que incorpora o que Nelson Rodrigues denominou de síndrome de vira-lata (complexo de inferioridade em relação aos outros povos).
A torcida vira-lata torceu contra a seleção brasileira por motivos político-eleitorais, achando que a derrota em campo ajudará a derrotar Dilma, a candidata do governo, nas eleições presidenciais.
Antes, os vira-latas haviam feito um barulho imenso sobre a incapacidade do Brasil sediar a Copa. Além de gritar contra erros reais (atrasos nas obras, suspeitas de superfaturamento) insistiram em notícias falsas (supostos desvios de recursos da saúde e educação para a construção de estádios). 
A grande mídia, seus jornalões e telejornais, junto com as redes sociais, são os principais meios de expressão da torcida vira-lata, a qual foi conquistando adeptos ao longo dos últimos meses entre os “inocentes úteis”. Os inocentes úteis são os ingênuos que, por razões diversas, embarcam nas teses mais estapafúrdias, como a de que a Copa estava comprada, que haveria quebra-quebra se fôssemos derrotados e outras ideias negativas sobre o povo brasileiro.
A torcida vira-lata teve seu dia de glória nesta terça, 8 de julho, data da goleada de 7 x 1 sofrida pela nossa seleção para a seleção alemã. Os foguetes e fogos de artifícios comprovam a alegria desses torcedores.
Como estamos numa democracia, há que respeitar os torcedores que torceram ferrenhamente contra os atletas do seu país. Mas, há uma má notícia para essa torcida: não temos nenhum exemplo nas últimas décadas de que as derrotas no campo de futebol tenham ajudado os partidos de oposição a vencer eleições. Temos, na verdade, exemplos que mostram o contrário.
Em 1998, perdemos feio para a França na final da Copa realizada naquele país (3 x 0) e o presidente Fernando Henrique Cardoso foi reeleito no primeiro turno.
Em 2002 ganhamos a Copa do Mundo realizada na Coreia do Sul e as forças de oposição, com Lula, venceram as eleições.
Em 2006, o Brasil não conquistou o título da Copa na Alemanha, mas o presidente Lula foi reeleito.
Em 2010, novamente não ganhamos a copa, acontecida na África do Sul, e a candidata da situação, Dilma, foi eleita.
Nada a ver, portanto, o resultado de campo com o resultado eleitoral.
A ficha vai cair agora, junto com teorias fajutas de que o futebol aliena o povo, pão e circo, e as teorias conspiratórias, que atentam contra a inteligência de muita gente letrada.
O povo sabe distinguir sua vida real (e o peso que nela tem a política) da sua paixão pelo futebol. Se as eleições forem vencidas pela candidata da situação, é porque a maioria do povo continua acreditando nela e no seu governo. Se algum candidato oposicionista vencer, será porque a maioria quer mudanças na condução do país. Simples assim.