Edição do dia 20/08/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Lançamento da 32ª edição acontece hoje à noite
VARIEDADES - Com o tema Literatura em Rede, a Feira do Livro ocorre entre os dias 4 a 10 de setembro na Praça Getúlio Vargas
Aula inaugural marca início da primeira turma da Escola de Gestão
GERAL
Missão em Israel é tema de aula inaugural na Unisc
ECONOMIA
1º Seminário Desafios do Empreendedor ocorre em Santa Cruz do Sul
GERAL - O evento será realizado dia 29 de agosto, no Hotel Charrua
Santa Cruz receberá desafio de carros superesportivos
GERAL - Encontro ocorre no feriado, de 7 de setembro, no Aeroporto Luiz Beck da Silva, em Linha Santa Cruz. Provas reunião carros superesportivos de alto desempenho
Professor da Unisc lança documentário sobre cicloviagem na Carretera Austral
GERAL
Entenda a guerra contra o cigarro no Brasil
GERAL - Tentativas frustradas de favorecer o setor e impasses judiciais têm causado preocupação
Hidroginástica: Sesc oferece aulas em parceria com a Raia 7 Centro Aquático
GERAL
Copa HB20: Sena Jr. vence e Roncen chega em 7º
ESPORTES
MB Challenge: Correndo em casa, Fernando Jr. conquista pódio
ESPORTES
Lifasc: Semifinalistas definidos
ESPORTES
Assaf sofre derrota em Venâncio Aires
ESPORTES
Avenida chega na semana de estreia na Copinha
ESPORTES
Cras Integrar do Bairro Bom Jesus realizou formatura de inglês
EDUCAÇÃO
Abertas inscrições para Reunião sobre Plantas Bioativas
GERAL
Palavra puxa Palavra é tema de evento
GERAL
Mais de 900 mil reais serão investidos
GERAL - Valor será aplicado em livros e praça de brinquedos
Rodada aborda a Lei de Proteção de Dados
GERAL

Má notícia para quem torceu contra o Brasil

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 12/07/2014

Essa copa vem mostrando muitas facetas acerca de quem somos nós, os brasileiros. Uma delas é a existência de uma minoria razoável de torcedores que podemos chamar de “torcida vira-lata”, torcida que incorpora o que Nelson Rodrigues denominou de síndrome de vira-lata (complexo de inferioridade em relação aos outros povos).
A torcida vira-lata torceu contra a seleção brasileira por motivos político-eleitorais, achando que a derrota em campo ajudará a derrotar Dilma, a candidata do governo, nas eleições presidenciais.
Antes, os vira-latas haviam feito um barulho imenso sobre a incapacidade do Brasil sediar a Copa. Além de gritar contra erros reais (atrasos nas obras, suspeitas de superfaturamento) insistiram em notícias falsas (supostos desvios de recursos da saúde e educação para a construção de estádios). 
A grande mídia, seus jornalões e telejornais, junto com as redes sociais, são os principais meios de expressão da torcida vira-lata, a qual foi conquistando adeptos ao longo dos últimos meses entre os “inocentes úteis”. Os inocentes úteis são os ingênuos que, por razões diversas, embarcam nas teses mais estapafúrdias, como a de que a Copa estava comprada, que haveria quebra-quebra se fôssemos derrotados e outras ideias negativas sobre o povo brasileiro.
A torcida vira-lata teve seu dia de glória nesta terça, 8 de julho, data da goleada de 7 x 1 sofrida pela nossa seleção para a seleção alemã. Os foguetes e fogos de artifícios comprovam a alegria desses torcedores.
Como estamos numa democracia, há que respeitar os torcedores que torceram ferrenhamente contra os atletas do seu país. Mas, há uma má notícia para essa torcida: não temos nenhum exemplo nas últimas décadas de que as derrotas no campo de futebol tenham ajudado os partidos de oposição a vencer eleições. Temos, na verdade, exemplos que mostram o contrário.
Em 1998, perdemos feio para a França na final da Copa realizada naquele país (3 x 0) e o presidente Fernando Henrique Cardoso foi reeleito no primeiro turno.
Em 2002 ganhamos a Copa do Mundo realizada na Coreia do Sul e as forças de oposição, com Lula, venceram as eleições.
Em 2006, o Brasil não conquistou o título da Copa na Alemanha, mas o presidente Lula foi reeleito.
Em 2010, novamente não ganhamos a copa, acontecida na África do Sul, e a candidata da situação, Dilma, foi eleita.
Nada a ver, portanto, o resultado de campo com o resultado eleitoral.
A ficha vai cair agora, junto com teorias fajutas de que o futebol aliena o povo, pão e circo, e as teorias conspiratórias, que atentam contra a inteligência de muita gente letrada.
O povo sabe distinguir sua vida real (e o peso que nela tem a política) da sua paixão pelo futebol. Se as eleições forem vencidas pela candidata da situação, é porque a maioria do povo continua acreditando nela e no seu governo. Se algum candidato oposicionista vencer, será porque a maioria quer mudanças na condução do país. Simples assim.