Edição do dia 19/06/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Copa CFC Celso tem rodada em Alto Linha Santa Cruz, no domingo
ESPORTES - Líder João Alves encara o Rio Pardinho na primeira partida da tarde
Mundial Unisc de futsal feminino ocorre neste final de semana
ESPORTES
Copa Cidade: Esmeralda vence o Unidos da Villa
ESPORTES - Jogo aconteceu no estádio da Timbaúva, no Arroio Grande
Portaria amplia setores com trabalho permanente no domingo e feriado
GERAL - A portaria está publicada no Diário Oficial desta quarta-feira
Brasil empata com a Venezuela pela Copa América: 0 a 0
ESPORTES - Líder do Grupo A, Canarinho volta a campo sábado (22), contra o Peru
'Joga Pouco, Ajuda Muito' acontece nesta quinta
ESPORTES
Segundona Gaúcha: Presidente do Galo lamenta desclassificação
ESPORTES
Série D do Brasileiro: Avenida segue forte
ESPORTES - Direção espera estádio lotado para decidir vaga no segundo jogo, em casa, contra o Caxias
Computação Desplugada é realidade em escolas públicas de Santa Cruz do Sul
EDUCAÇÃO - Material didático do projeto Computação na Educação foi lançado na tarde desta terça-feira, 18, na Unisc
Ensino das escolas é discutido em todo o país
EDUCAÇÃO
Thiago Porto: enaltecendo a cultura santa-cruzense
VARIEDADES - Com mais de um milhão de visualizações no YouTube músico se prepara para mais um lançamento
Restaurante Mafalda: há 18 anos servindo gastronomia de qualidade
GERAL - O estabelecimento conta com buffet tradicional e buffet para viandas
Oficina de Apoio às Famílias será na próxima terça-feira
GERAL - O Riovale Jornal entrevistou a advogada Dra. Andjanete L. Mess Hashimoto, que explica o procedimento das atividades
Câmara aprova projeto de segurança
GERAL
Mercur chega aos 95 anos com livro publicado
EMPRESARIAL - Curso para inspirar um mundo mais colaborativo também foi disponibilizado
Corpus Christi: Fé e arte para celebrar a data
RELIGIÃO - Celebração inicia às 9 horas com missa na Catedral São João Batista e após procissão segue pelas principais ruas
Quem é contra a reforma da Previdência Social não é contra o Brasil
OPINIÃO
Um novo INSS
OPINIÃO

Os alemães são alienados por gostar de futebol?

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 19/07/2014

A conquista do título da Copa 2014 pela seleção alemã vem sendo muito comemorada na Alemanha. Em torno de 400 mil alemães foram às ruas esperar a chegada dos atletas. A TV mostrou cenas de entusiasmo e euforia da multidão.
Cena semelhante aconteceu na França após a conquista do título mundial de 1998, na competição realizada em solo francês. Mais de um milhão de torcedores lotaram a Avenida ChampsÉlysées e dançaram a noite toda.
Nos Estados Unidos, o basquete, entre outros esportes, mobiliza multidões. O título da NBA do ano passado levou centenas de milhares de torcedores às ruas de Boston e os torcedores desfilaram em carros abertos. Em outros países, o fenômeno se repete com outros esportes.
O interessante é que até agora não se viu nenhuma matéria na imprensa tratando da alienação dos alemães por conta da sua paixão pelo futebol, assim como não se viu no caso dos franceses, dos norte-americanos e de outros países desenvolvidos. No Brasil, todavia, ainda é comum que se associe o esporte ao “escapismo” e à falsa consciência sobre a realidade.
Então cabe a pergunta: o apreço pelo futebol e pelo esporte é ou não alienante? Seria alienante somente em países não desenvolvidos, ao passo que nos países desenvolvidos seria tão somente um traço cultural?
Tal raciocínio não se sustenta. A associação entre esporte e alienação (ou escapismo) deve ser repensada para evitar que em nome de um suposto espírito crítico se reproduzam preconceitos históricos sobre o nosso povo.
O esporte está relacionado a uma das dimensões essenciais do ser humano: o lúdico. O ser humano integral é um ser que brinca, se diverte, dança, vai a jogos e participa de outras formas de diversão. O lazer e a diversão são tão fundamentais para a felicidade humana quanto outras necessidades básicas, como o afeto, o reconhecimento, o sentido, a senso de estabilidade.
O reconhecimento do lúdico choca-se com certas concepções tradicionais sobre a vida humana, exageradamente focadas no econômico e nos valores materiais. Concepções pobres em termos de ideal de vida, porque acolhem a ideia de que trabalhar e ter bens é o mais importante na nossa vida.
A evolução da tecnologia criou os meios para que o trabalho ocupe um tempo cada vez menor na vida humana, permitindo que possamos nos dedicar mais à cultura, à arte, à ciência, à diversão, ao cultivo da espiritualidade. O capitalismo tem impedido que isso se concretize, mas os meios existem. Mudar nossa visão de mundo, nossos valores, é um passo necessário para transformarmos a sociedade.
Voltando ao início: a paixão pelo futebol não torna alienados os alemães, franceses, brasileiros. Podemos torcer sem culpa. A alienação tem a ver com as estruturas sociais, econômicas e políticas, cuja transformação só será possível com nossa cidadania ativa.