Edição do dia 17/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Conselho lança o Polo dos Vales
GERAL
ENTRE QUATRO: Encenação acontece hoje e amanhã
VARIEDADES
RECEITA FEDERAL: Nova sede atenderá a partir de 8 de outubro
GERAL - Além da Delegacia da Receita Federal, a Procuradoria Geral da Fazenda também deve ocupar o espaço
Fentifumo inicia pauta de negociação
GERAL - Primeira reunião com a Federação e os Sindicatos ocorre na próxima quinta-feira
Otelio Drebes realiza palestra a professores
EDUCAÇÃO
Semana do Ministério Público começa hoje
GERAL - Promotores do caso Bernardo Boldrini estarão presentes
Reunião sobre Plantas Biotivas inicia hoje
GERAL
Prefeitura lança Alvará Digital
GERAL - A partir de agora, o documento pode ser feito em poucas horas, sem precisar sair de casa
Educar-se e Centro de Línguas promovem imersão bilíngue
EDUCAÇÃO
Sincotec-Varp realiza capacitação nesta quarta
GERAL
Projeto vai apresentar Santa Cruz e a 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Nos dois sábados da Festa da Alegria, ônibus sairão de Porto Alegre, Caxias do Sul e Santa Maria
Presidente dos Festejos Farroupilhas destaca a importância da cultura gaúcha
VARIEDADES
Tchê Bistrô e Arte: enaltecendo a tradição gaúcha
VARIEDADES
A força buscada nos versos
VARIEDADES
Cavalos passarão por inspeção antes do desfile
VARIEDADES - Além da Guia de Transporte Animal (GTA), será exigida apresentação de comprovantes para verificar as condições de saúde do animal
CTG de Paredão entregará 500kg em doações
VARIEDADES
Segurança Pública será reforçada em 36 municípios
POLÍCIA - Municípios da região receberão um total de aproximadamente R$ 2 milhões
Assaf vai encarar a Assoeva nas quartas de final
ESPORTES

As razões do ódio

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 27/09/2014

A política é campo propício para o ódio e a raiva, mas também de paixões construtivas, como a compaixão e a amizade. Ao invés de ser uma atividade movida pela razão fria e calculista, fazer política é uma atividade em grande parte emotiva. Mas, se a antítese amigo-inimigo (Karl Schmitt) é da essência da política, também o é o anseio pela unidade. Política é luta, enfrentamento e conflito, assim como a arte de fazer aproximações, concessões e alianças com os opositores.
De todas as manifestações de ódio na política brasileira das últimas décadas talvez o anti-petismo seja a mais forte. É impressionante notar como certos setores políticos e sociais destilam ódio ao PT, com expressões como “petralhas”, corruptos, corja e por aí vai. Nas eleições de 2006, o senador Jorge Bornhausen (DEM) chegou a dizer que “vamos acabar com essa raça. Vamos nos livrar dessa raça por, pelo menos, 30 anos”.
Não creio que seja propriamente explicável esse ódio, mas pode-se apontar alguns fatores:
- O estilo moralista e direto, às vezes belicoso, dos petistas em denúncias de mazelas alheias. A reação dos adversários foi igualmente forte quando o PT se tornou “vidraça”. As denúncias anteriores foram cobradas com juros e correção monetária. Essa reação inicial (compreensível) transformou-se em agressividade crescente, desproporcional.
- As falhas e problemas do PT e de seus governos. Não poderia ser diferente: quem é grande e quem governa, erra. Esses erros são apontados pela oposição, como acontece em qualquer democracia.
- Ódio de classe: embora não se possa explicar a sociedade e a política simplesmente com base na divisão de classes sociais antagônicas, como burgueses e proletários, está no DNA do PT o seu vínculo com os trabalhadores e os pobres, bem como sua condenação às grandes desigualdades do Brasil. Parte da aversão ao partido é insuflada pelos defensores do grande capital e por corporações que tiveram interesses contrariados.
- Preconceito contra os pobres: por ser vinculado aos pobres, o PT acaba atraindo os preconceitos dirigidos a eles. Lula é o caso clássico. Nordestino retirante, com pouca escolaridade, falando a linguagem do povão, nunca foi aceito pela “high society”, a elite elitista, nem por boa parte da classe média, que se espelha nos ricos, nem mesmo quando Obama reconheceu seu protagonismo internacional ao dizer que “esse é o cara!”.
- Desinformação: a classe média, com mais acesso a jornais, revistas e sites, reproduz mais os preconceitos anti-PT divulgados pelos grandes grupos da mídia. A aferição científica disso está, por exemplo, no Manchetômetro (http://www.manchetometro.com.br/), da UERJ.
- Pavor de ficar alijado do poder por tempo indeterminado: doze anos de governo federal liderado pelo PT, possibilidade de reeleição em 2014 e possível repetição em 2018 é uma perspectiva que causa verdadeiro pavor em setores que anteriormente governavam o país.
A maior parte do povo não partilha desse ódio. Vê erros e acertos, avalia quem fez mais pelo seu bem estar e quem traz uma perspectiva boa para seu futuro.