Edição do dia 17/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Conselho lança o Polo dos Vales
GERAL
ENTRE QUATRO: Encenação acontece hoje e amanhã
VARIEDADES
RECEITA FEDERAL: Nova sede atenderá a partir de 8 de outubro
GERAL - Além da Delegacia da Receita Federal, a Procuradoria Geral da Fazenda também deve ocupar o espaço
Fentifumo inicia pauta de negociação
GERAL - Primeira reunião com a Federação e os Sindicatos ocorre na próxima quinta-feira
Otelio Drebes realiza palestra a professores
EDUCAÇÃO
Semana do Ministério Público começa hoje
GERAL - Promotores do caso Bernardo Boldrini estarão presentes
Reunião sobre Plantas Biotivas inicia hoje
GERAL
Prefeitura lança Alvará Digital
GERAL - A partir de agora, o documento pode ser feito em poucas horas, sem precisar sair de casa
Educar-se e Centro de Línguas promovem imersão bilíngue
EDUCAÇÃO
Sincotec-Varp realiza capacitação nesta quarta
GERAL
Projeto vai apresentar Santa Cruz e a 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Nos dois sábados da Festa da Alegria, ônibus sairão de Porto Alegre, Caxias do Sul e Santa Maria
Presidente dos Festejos Farroupilhas destaca a importância da cultura gaúcha
VARIEDADES
Tchê Bistrô e Arte: enaltecendo a tradição gaúcha
VARIEDADES
A força buscada nos versos
VARIEDADES
Cavalos passarão por inspeção antes do desfile
VARIEDADES - Além da Guia de Transporte Animal (GTA), será exigida apresentação de comprovantes para verificar as condições de saúde do animal
CTG de Paredão entregará 500kg em doações
VARIEDADES
Segurança Pública será reforçada em 36 municípios
POLÍCIA - Municípios da região receberão um total de aproximadamente R$ 2 milhões
Assaf vai encarar a Assoeva nas quartas de final
ESPORTES

Mudar ou continuar mudando?

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 25/10/2014

Decidiremos nas urnas, neste domingo, o sentido das mudanças que queremos para o Brasil. Podemos sintetizar a questão em: mudar de direção ou continuar mudando?
Mudar de direção, votando na oposição, significa alterar o modelo político em curso. Esse modelo não é algo desconhecido; é o retorno a uma visão política que predominou na década de 1990: o neoliberalismo. Se for vencedor nas urnas, Aécio Neves certamente não aplicará a mesma receita de Fernando Henrique Cardoso. Não há condições hoje, por exemplo, de implementar privatizações de empresas estatais no volume com que foram feitas naqueles governos do PSDB. E o tratamento dado às políticas sociais certamente será mais robusto, por exigência da nação. Mas, o pano de fundo será o mesmo: pouca confiança nas virtudes do Estado, muita confiança nas virtudes do mercado. Essa é a essência do liberalismo e do neoliberalismo, do qual o PSDB não se afastou, nem setores empresariais importantes, como o setor financeiro.
Manter a direção atual e aprofundar as mudanças é a proposta da situação, liderada por Dilma Roussef. A sua reeleição não significará mais do mesmo. Um segundo governo de Dilma necessariamente terá novas inflexões, especialmente no que diz respeito à política industrial, que é reconhecidamente um ponto frágil na política econômica atual. Mas, o pano de fundo não mudará: forte confiança nas virtudes do Estado, no seu papel de indutor do desenvolvimento, de responsável pela proteção social aos cidadãos e de regulador do mercado. Essa é a essência do desenvolvimentismo social, nome que vem sendo dado ao modelo em curso no país, inspirado nos ideais do socialismo democrático. A novidade desse modelo é a sua capacidade de aliar crescimento econômico e inclusão social. É um modelo redistributivo, que pela primeira vez na história brasileira propicia que o rendimento dos mais pobres cresça um pouco mais que o das camadas abastadas.
Poderia ser feita uma espécie de conciliação, aproveitando o que é bom de cada parte? Não! Não dá boa sopa misturar um pouco de cada. Por quê? Pelo fato de que os modelos estão assentados em valores diferentes. O modelo da oposição (neoliberal) tem como valor fundamental a liberdade individual. Já o modelo da situação (inspirado no socialismo) tem como valor fundamental a igualdade social. O primeiro contempla melhor as aspirações das camadas mais ricas da população; o outro, as aspirações das camadas mais pobres.
Para os eleitores que só veem a política como ação individual, que dividem os políticos entre bons e maus, os modelos não passam de abstrações, teorias. Mas, parte do eleitorado percebe as diferenças, nota que há dois grandes campos políticos. Estes eleitores são decisivos porque carregam convicções, paixão, e influenciam muitos outros. O que o acirrado debate eleitoral de 2014 vem mostrando mais uma vez é que as ideologias permanecem vivas. É disso que se trata: de ideologias distintas, que são indispensáveis à democracia.