Edição do dia 20/08/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Lançamento da 32ª edição acontece hoje à noite
VARIEDADES - Com o tema Literatura em Rede, a Feira do Livro ocorre entre os dias 4 a 10 de setembro na Praça Getúlio Vargas
Aula inaugural marca início da primeira turma da Escola de Gestão
GERAL
Missão em Israel é tema de aula inaugural na Unisc
ECONOMIA
1º Seminário Desafios do Empreendedor ocorre em Santa Cruz do Sul
GERAL - O evento será realizado dia 29 de agosto, no Hotel Charrua
Santa Cruz receberá desafio de carros superesportivos
GERAL - Encontro ocorre no feriado, de 7 de setembro, no Aeroporto Luiz Beck da Silva, em Linha Santa Cruz. Provas reunião carros superesportivos de alto desempenho
Professor da Unisc lança documentário sobre cicloviagem na Carretera Austral
GERAL
Entenda a guerra contra o cigarro no Brasil
GERAL - Tentativas frustradas de favorecer o setor e impasses judiciais têm causado preocupação
Hidroginástica: Sesc oferece aulas em parceria com a Raia 7 Centro Aquático
GERAL
Copa HB20: Sena Jr. vence e Roncen chega em 7º
ESPORTES
MB Challenge: Correndo em casa, Fernando Jr. conquista pódio
ESPORTES
Lifasc: Semifinalistas definidos
ESPORTES
Assaf sofre derrota em Venâncio Aires
ESPORTES
Avenida chega na semana de estreia na Copinha
ESPORTES
Cras Integrar do Bairro Bom Jesus realizou formatura de inglês
EDUCAÇÃO
Abertas inscrições para Reunião sobre Plantas Bioativas
GERAL
Palavra puxa Palavra é tema de evento
GERAL
Mais de 900 mil reais serão investidos
GERAL - Valor será aplicado em livros e praça de brinquedos
Rodada aborda a Lei de Proteção de Dados
GERAL

A nova direita brasileira

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 01/11/2014


A eleição presidencial de 2014 ficará na nossa memória. Daqui a muitos anos ainda nos lembraremos do embate eleitoral entre Dilma Rousseff (PT) e Aecio Neves (PSDB). Lembraremos da diferença final de pouco mais de 3% dos votos em favor de Dilma, da campanha anti-Dilma na grande mídia, do golpe da revista Veja na véspera da eleição, das reviravoltas ao longo da campanha, especialmente a partir da morte de Eduardo Campos, da guinada à direita de Marina e do PSB, do acirrado debate nas redes sociais.
Foi uma eleição emocionante, decidida no detalhe. A Presidente Dilma vai para o segundo mandato com grandes desafios à frente, mas com total legitimidade, porque conquistou a vitória de forma limpa, sem qualquer expediente obscuro, diferentemente da oposição, que ficará marcada pelo episódio da Veja.
Um elemento relevante para o futuro da política nacional é a nova face da direita brasileira que emergiu no processo eleitoral. Utilizo o entendimento de Norberto Bobbio sobre essa terminologia: a “direita”compreende as concepções políticas “inigualitárias”, ou seja, que aceitam e justificam as desigualdades sociais, ao passo que as de “esquerda” são “igualitárias”, ou seja, acreditam na possibilidade e defendem a redução das desigualdades sociais.
Nesta eleição, a direita foi representada pela candidatura de Aecio Neves. Trata-se de um eleitorado diversificado, mas que na sua maior parte compartilha opiniões de direita. Em comum, uma bandeira: derrubar o PT! O anti-petismo é, hoje, o elemento aglutinador da direita brasileira.
Sem assumir abertamente todas as pautas, a candidatura de Aecio catalisou o pensamento da direita. Essas pautas incluem:
- visão econômica neoliberal: o reaparecimento do ex-ministro Arminio Fraga mostra que o ideário do Estado mínimo e do mercado máximo anima mentes e corações direitistas;
- visão moralista da política: a corrupção foi o tema escolhido para criminalizar Dilma e o PT, independente dos próprios problemas da oposição nesse campo, fazendo uma campanha moral do suposto bem contra o suposto mal;
- conservadorismo moral: a condenação do aborto e da homoafetividade caracterizam uma concepção moral apequenada, que faz eco às pregações de evangélicos e católicos fundamentalistas;
- oposição às políticas redistributivas: as políticas redistributivas de renda (bolsa-família, programa habitacional) e oportunidades (cotas) são taxadas de “esmola” e “assistencialismo”;
- preconceito contra pobres, nordestinos, índios: beneficiários dos programas de redistribuição de renda e de demarcações de terras são acusados de sugar a economia do país;
- autoritarismo político: a saudade da ditadura e o apoio ao retorno dos militares ao poder foram tornados públicos em várias cidades por ocasião dos 50 anos do Golpe Militar de 1964, e esses setores perfilaram-se do lado oposicionista.
O conjunto dessas pautas pode ser considerado a síntese da direita brasileira atual: anti-petismo, neoliberalismo econômico, moralismo político, conservadorismo moral, anti-redistributivismo e autoritarismo político.
Os eleitores de Aecio que não se identificam com a direita precisam afirmar suas próprias causas. Logo aí à frente há novas decisões e eleições. Tomar posição será preciso novamente!