Edição do dia 24/01/2020

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Brigada Militar prende suspeito com animal abatido
POLÍCIA
Saboreares: opção de qualidade o ano inteiro
EMPRESARIAL
Mecânica do Fernando: há nove anos prestando serviços de qualidade
EMPRESARIAL
Sabores deliciosos é na CremoLatto Sorvetes
EMPRESARIAL
O que você precisa saber sobre vagas para idosos e deficientes
GERAL
Cepru Unisc: Inscrições para Instrutor de Trânsito estão abertas
GERAL
Vegetação na Av. do Imigrante obstrui visão de motoristas
GERAL - Apesar de todo embelezamento, cidadãos reclamam que plantas prejudicam o trânsito
Mais seis escolas da rede municipal estão sendo revitalizadas
EDUCAÇÃO - Pintura interna e externa, aquisição de mobiliário, reforma nas quadras esportivas, instalação de playground, entre outros serviços estão sendo realizados
Vestibular solidário da Uninter ajuda escolas carentes
GERAL
Exposição fotográfica do Capsia está sendo realizada no Shopping Santa Cruz
VARIEDADES
O que o Novo Cemai terá de diferente?
SAÚDE
Campanha visa arrecadar material escolar
GERAL - Criada por um grupo de torcedores do Inter, ação se estende até o dia 15 de fevereiro
Brinqmania realiza festa beneficente para Juju
GERAL
Segunda edição do Bailinho da Borges está confirmada
VARIEDADES - O evento será realizado dia 15 de fevereiro, na Rua Borges do Medeiros
Literatura Brasileira dos Catarinenses
OPINIÃO
MP denuncia mais um vereador por 'rachadinha'
POLÍTICA - Alceu Crestani (PSDB) também teria mantido um funcionário fantasma em Monte Alverne
Aproveite seu verão no Park Nativo
GERAL
Novo valor da passagem gera controvérsia
ECONOMIA - Promotor de Defesa Comunitária vê espaço para cálculo com tarifa menor

Cervejarias artesanais: diversidade e qualidade

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 20/06/2015

O mercado global da cerveja é concentrado em grandes grupos. Segundo o site Cervesia, 40 grandes grupos produzem mais de 90% da cerveja consumida no mundo. Os cinco maiores grupos internacionais - AB InBEV, SAB Miller, Heineken, Carlsberg e China Resource Brewery- amealham cerca de 50% do mercado mundial. A globalização levou a uma “consolidação do mercado cervejeiro”, um nome pomposo para o processo de concentração nesses grandes grupos, mediante fusões e aquisições.
No Brasil, o quadro é similar. Somos o terceiro maior mercado cervejeiro, com produção de 12 bilhões de litros/ano, atrás apenas da China e dos Estados Unidos. O consumo brasileiro é de 60 litros por pessoa/ano. Alguns poucos grupos são os donos do campinho: a AMBEV detém quase 70% do mercado, a Schincariol 13%, a Petrópolis 9% e a Femsa 7%.
Concentração significa homogeneização. As grandes empresas criam um padrão em termos de paladar, de modo que a variação entre as grandes marcas é muito pequena. Tirando os rótulos das garrafas, mesmo consumidores habituados têm dificuldade em distinguir qual é uma e qual é outra marca.
Mas, essa homogeneização desagrada grande parte das pessoas. Há uma expectativa de coisas novas, diferentes e melhores. A melhoria das condições econômicas nos últimos anos, mais pessoas viajando, mais contato com outras regiões e países levou à percepção de que cerveja é muito mais do o que vínhamos encontrando nas prateleiras até pouco tempo. Variedade e qualidade são expectativas crescentes. Esse é o terreno das cervejas artesanais, que remetem ao futuro, mas também lembram o passado. Fazer cerveja era uma habilidade conhecida outrora em muitas famílias de descendência alemã.
As cervejas artesanais são melhores e sua variedade é extraordinária. Quem foi ao 1º Festival da Cerveja Gaúcha no ano passado, no Parque da Oktoberfest, teve a oportunidade de conhecer um pouco do que já se faz no Rio Grande do Sul. É um segmento em franco crescimento, inclusive aqui em Santa Cruz, com destaque para as microcervejarias Heilige e a Hbier, que vem se fortalecendo dia a dia, e novas iniciativas estão em fase de maturação.
Santa Cruz tem tudo para se tornar uma forte referência em cervejas artesanais. A contribuição da nossaOktoberfesté fundamental para isso. Vale olhar a vizinhança. A Oktoberfest de Blumenau tem há anos um espaço próprio para as artesanais, o Parque Vila Germânica, e as artesanais já representam 50% do consumo total.Na última edição essas cervejarias ofereceram nada menos que 35 diferentes tipos de chope e cerveja.
Esse sucesso levou a um fato novo:a cerveja oficial da Oktoberfest de Blumenau de 2015 a 2022 é a Eisenbahn, produzida por umamicrocervejariacriada em 2002 e comprada há alguns anos pelogrupo japonêsKirin (que adquiriu a Schincariol). Colocar a Eisenbahn como cerveja oficial da festa é um lance de marketing, claro, mas fica muito bem para a festa e afirma ainda mais o segmento cervejeiro regional.
Os sinais do tempo estão todos aí. Saberemos aproveitar a maré favorável?