Edição do dia 24/01/2020

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Brigada Militar prende suspeito com animal abatido
POLÍCIA
Saboreares: opção de qualidade o ano inteiro
EMPRESARIAL
Mecânica do Fernando: há nove anos prestando serviços de qualidade
EMPRESARIAL
Sabores deliciosos é na CremoLatto Sorvetes
EMPRESARIAL
O que você precisa saber sobre vagas para idosos e deficientes
GERAL
Cepru Unisc: Inscrições para Instrutor de Trânsito estão abertas
GERAL
Vegetação na Av. do Imigrante obstrui visão de motoristas
GERAL - Apesar de todo embelezamento, cidadãos reclamam que plantas prejudicam o trânsito
Mais seis escolas da rede municipal estão sendo revitalizadas
EDUCAÇÃO - Pintura interna e externa, aquisição de mobiliário, reforma nas quadras esportivas, instalação de playground, entre outros serviços estão sendo realizados
Vestibular solidário da Uninter ajuda escolas carentes
GERAL
Exposição fotográfica do Capsia está sendo realizada no Shopping Santa Cruz
VARIEDADES
O que o Novo Cemai terá de diferente?
SAÚDE
Campanha visa arrecadar material escolar
GERAL - Criada por um grupo de torcedores do Inter, ação se estende até o dia 15 de fevereiro
Brinqmania realiza festa beneficente para Juju
GERAL
Segunda edição do Bailinho da Borges está confirmada
VARIEDADES - O evento será realizado dia 15 de fevereiro, na Rua Borges do Medeiros
Literatura Brasileira dos Catarinenses
OPINIÃO
MP denuncia mais um vereador por 'rachadinha'
POLÍTICA - Alceu Crestani (PSDB) também teria mantido um funcionário fantasma em Monte Alverne
Aproveite seu verão no Park Nativo
GERAL
Novo valor da passagem gera controvérsia
ECONOMIA - Promotor de Defesa Comunitária vê espaço para cálculo com tarifa menor

A moral contra o moralismo

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 08/08/2015

A moral é um assunto de importância vital em qualquer sociedade. Ela diz respeito àquilo que se considera certo e errado, correto e incorreto, bom e mau. Seu vínculo com a política é muito forte: o cidadão comum costuma utilizar noções morais para julgar os políticos, como “boa pessoa”, “ingrato”, “egoísta”. Se governo é visto como “bom”, sua aceitação social fica fortalecida. Do contrário, fica enfraquecida.
Em vários momentos da história brasileira, o discurso moral entrou na cena política com muita força: foi em momentos de implementação de reformas econômicas, sociais e políticas, com Getúlio Vargas e João Goulart, e vem sendo assim com Lula e Dilma. Nesses momentos, a moral foi transformada em “moralismo conservador”.
O moralismo conservador não está preocupado com mudanças em favor da justiça social, da inclusão social, do combate à pobreza, de preservação ambiental e outras questões fundamentais do ponto de vista moral. O moralismo foca em fatos e aspectos particulares das instituições políticas, suspeitas de corrupção. “Corrupção” é a palavra mágica para o moralismo. Toda a complexidade da política é reduzida à corrupção (dos adversários). 
O moralismo conservador é uma visão distorcida da moral, típica de elites e oligarquias ocupadas em manter tudo como está. O moralismo olha a parte e não olha o todo. Olha, por exemplo, certos problemas (dos outros) no presente e deixa de lado suas raízes históricas; faz escândalos sobre fatos reais ou supostos de corrupção (dos outros), mas não se constrange em justificar as desigualdades sociais, o fato dos pobres pagarem mais impostos que os ricos, o olho gordo das empresas internacionais de petróleo sobre o nosso pré-sal. É uma visão caolha, que não se espanta com o fato de que vários casos suspeitos escapam constantemente da mão dos investigadores.
A visão moralista constitui um perigo para a democracia, especialmente sob a combinação de forças políticas reacionárias, mídia concentrada em alguns grupos familiares e interesses de grandes corporações nacionais e internacionais. A mídia transforma as investigações e julgamentos em espetáculos diários. Os telejornais ditam o ritmo e até o conteúdo das investigações. Deslumbrados com os holofotes, certos agentes públicos assumem um ar salvacionista, como se estivesse a seu alcance mudar a política e a vida em sociedade. 
Contra o moralismo é preciso defender um senso moral equilibrado, lúcido e com visão histórica. Esse senso proporciona ao povo o discernimento necessário para apoiar a apuração e a punição dos mal-feitos, sem poupar alguns e condenar outros, protegendo as riquezas do país e exigindo a continuidade das reformas em curso em favor do combate à pobreza e em favor da inclusão social. A moral ajuda a defender as conquistas de inclusão social e combate às desigualdades. 
O moralismo hoje propõe o golpe. Para quem ainda não se deu conta dos seus riscos à luz da história brasileira, vale lembrar o exemplo da Itália: depois da “Operação Mãos Limpas”, quem ascendeu ao poder foi Silvio Berlusconi, empresário bilionário, neoliberal e condenado mais tarde por corrupção. Moral tacanha, política tacanha.