Edição do dia 24/01/2020

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Brigada Militar prende suspeito com animal abatido
POLÍCIA
Saboreares: opção de qualidade o ano inteiro
EMPRESARIAL
Mecânica do Fernando: há nove anos prestando serviços de qualidade
EMPRESARIAL
Sabores deliciosos é na CremoLatto Sorvetes
EMPRESARIAL
O que você precisa saber sobre vagas para idosos e deficientes
GERAL
Cepru Unisc: Inscrições para Instrutor de Trânsito estão abertas
GERAL
Vegetação na Av. do Imigrante obstrui visão de motoristas
GERAL - Apesar de todo embelezamento, cidadãos reclamam que plantas prejudicam o trânsito
Mais seis escolas da rede municipal estão sendo revitalizadas
EDUCAÇÃO - Pintura interna e externa, aquisição de mobiliário, reforma nas quadras esportivas, instalação de playground, entre outros serviços estão sendo realizados
Vestibular solidário da Uninter ajuda escolas carentes
GERAL
Exposição fotográfica do Capsia está sendo realizada no Shopping Santa Cruz
VARIEDADES
O que o Novo Cemai terá de diferente?
SAÚDE
Campanha visa arrecadar material escolar
GERAL - Criada por um grupo de torcedores do Inter, ação se estende até o dia 15 de fevereiro
Brinqmania realiza festa beneficente para Juju
GERAL
Segunda edição do Bailinho da Borges está confirmada
VARIEDADES - O evento será realizado dia 15 de fevereiro, na Rua Borges do Medeiros
Literatura Brasileira dos Catarinenses
OPINIÃO
MP denuncia mais um vereador por 'rachadinha'
POLÍTICA - Alceu Crestani (PSDB) também teria mantido um funcionário fantasma em Monte Alverne
Aproveite seu verão no Park Nativo
GERAL
Novo valor da passagem gera controvérsia
ECONOMIA - Promotor de Defesa Comunitária vê espaço para cálculo com tarifa menor

Sindicato das instituições comunitárias

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 12/09/2015

Tem importante significado a iniciativa das universidades comunitárias do Rio Grande do Sul em criar um sindicato patronal próprio, separando-se das instituições privadas. Pode ser o prenúncio de um movimento mais amplo: o da organização das entidades do terceiro setor em fóruns de representação específicos, distintos dos fóruns das empresas privadas. 
A iniciativa de criar um sindicato patronal de Mantenedoras de Instituições Comunitárias de Ensino Superior está legitimada pela Lei das Instituições Comunitárias de Educação Superior - Lei 12.881/2013, que dispõe sobre a definição, qualificação, prerrogativas e condições de cooperação dessas instituições com o poder público. É uma lei inovadora, conquistada após anos de luta, que rompe no âmbito da educação superior com um traço tacanho da nossa cultura política e jurídica: o de considerar “privadas” as organizações criadas pela sociedade para atender finalidades públicas, coletivas. Essas organizações devem ser vistas como “terceiro setor”, diferentes do “primeiro setor” (setor público estatal) e do “segundo setor” (setor privado).
Pela Lei 12.881/2013, as universidades comunitárias não são privadas. Elas constituem um segmento social e econômico específico. Por isso, é coerente que as comunitárias tenham seu sindicato patronal próprio, separado do SINEPE/RS – Sindicato do Ensino Privado, instituição filiada à FENEP - Federação Nacional das Escolas Particulares.
A mistura entre entidades privadas e entidades comunitárias prejudica a compreensão do povo acerca do que é próprio de umas e de outras. A mistura favorece a confusão e dificulta um discurso próprio de cada qual. Aliás, falando de modo genérico, tem muito dirigente de entidade sem fins lucrativos que usa a mesma retórica das entidades privadas lucrativas.
A distinção é nítida. As entidades privadas (particulares) são aquelas que têm proprietário(s) particular(es), que visam lucro, a ser apropriado pelo(s) proprietário(s). As entidades comunitárias são associações ou fundações que pertencem à sociedade civil e visam finalidades coletivas (educação, saúde, cultura e outras), com reinvestimento do resultado econômico na própria organização. 
A separação de comunitárias e privadas em fóruns representativos próprios não se apoia em nenhum julgamento moral do tipo umas são “boas” e outras são “más”. O terceiro setor não é “melhor” que o setor privado. Eles se diferenciam por suas características e razões de ser.
A criação do Sindicato das Comunitárias, portanto, deve ser vista como inovação de um setor que busca uma identidade pública própria, que não quer mais ser confundido com o setor privado. Se o novo sindicato vai tratar os empregados (professores) das universidades comunitárias de um modo “melhor” que o Sinepe, isso é algo que o tempo mostrará. 
Há uma polêmica envolvendo a criação do novo sindicato, que não prejudica o argumento apresentado até aqui. A polêmica envolve a inclusão na nova entidade sindical das mantenedoras de instituições “sem fins lucrativos”. Esse termo (sem fins lucrativos) é mais amplo e abrange as escolas, que não estão regradas pela Lei 12.881/2013. O aspecto legal dessa junção é discutível, mas conceitualmente ela se justifica: as comunitárias e as organizações sem fins lucrativos fazem parte do terceiro setor.