Edição do dia 24/01/2020

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Brigada Militar prende suspeito com animal abatido
POLÍCIA
Saboreares: opção de qualidade o ano inteiro
EMPRESARIAL
Mecânica do Fernando: há nove anos prestando serviços de qualidade
EMPRESARIAL
Sabores deliciosos é na CremoLatto Sorvetes
EMPRESARIAL
O que você precisa saber sobre vagas para idosos e deficientes
GERAL
Cepru Unisc: Inscrições para Instrutor de Trânsito estão abertas
GERAL
Vegetação na Av. do Imigrante obstrui visão de motoristas
GERAL - Apesar de todo embelezamento, cidadãos reclamam que plantas prejudicam o trânsito
Mais seis escolas da rede municipal estão sendo revitalizadas
EDUCAÇÃO - Pintura interna e externa, aquisição de mobiliário, reforma nas quadras esportivas, instalação de playground, entre outros serviços estão sendo realizados
Vestibular solidário da Uninter ajuda escolas carentes
GERAL
Exposição fotográfica do Capsia está sendo realizada no Shopping Santa Cruz
VARIEDADES
O que o Novo Cemai terá de diferente?
SAÚDE
Campanha visa arrecadar material escolar
GERAL - Criada por um grupo de torcedores do Inter, ação se estende até o dia 15 de fevereiro
Brinqmania realiza festa beneficente para Juju
GERAL
Segunda edição do Bailinho da Borges está confirmada
VARIEDADES - O evento será realizado dia 15 de fevereiro, na Rua Borges do Medeiros
Literatura Brasileira dos Catarinenses
OPINIÃO
MP denuncia mais um vereador por 'rachadinha'
POLÍTICA - Alceu Crestani (PSDB) também teria mantido um funcionário fantasma em Monte Alverne
Aproveite seu verão no Park Nativo
GERAL
Novo valor da passagem gera controvérsia
ECONOMIA - Promotor de Defesa Comunitária vê espaço para cálculo com tarifa menor

Valor da aposentadoria e do salário mínimo

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 07/04/2017

Fiquei surpreso ao ouvir de novo, dias atrás, uma queixa sobre a desvalorização das aposentadorias que não condiz com os reais problemas da previdência social neste período turbulento. O fato: funcionário público aposentado diz que não quer nem ver Lula porque durante seu governo e da Dilma a sua aposentadoria de 25 salários mínimos ficou reduzida à metade, em salários mínimos. 

Se esse funcionário público, que deve utilizar cotidianamente a matemática nos seus assuntos pessoais, fizer um cálculo simples, verá que sua queixa não tem razão de ser. Trata-se simplesmente de ver o que ele comprava com 25 salários mínimos em 2002 (antes de Lula) e o que compra agora com a dita metade de salários.

Vamos fazer um raciocínio utilizando o dólar como referência. Em dezembro de 2002, o salário mínimo de R$ 200,00 equivalia a 55,0 dólares (dólar a R$ 3,6). O cálculo mostra que 25 salários mínimos representavam 1.375 dólares (25 x 55 = 1.375).

Em agosto de 2016 (último mês de governo de Dilma), o salário mínimo de R$ 880,00 equivalia a 266 dólares (dólar a 3,20). O cálculo indica que a metade de 25 salários mínimos (12,5) representava 3.325,00 dólares (12,5 x 266 = 3.325). 

Ou seja: durante os governos Lula/Dilma, o valor em dólar desse aposentado teria passado de 1.357 dólares mensais em 2002 para 3.325 dólares em 2016, situação que se mantém, no principal, até agora. Há estudos que tomam a inflação do período como referência e o resultado indica a mesma coisa: o poder de compra da média das aposentadorias ficou mantido ou aumentou um pouco nos governos Lula/Dilma.

A comparação entre o valor das aposentadorias e o valor do salário mínimo não é adequado, pois tratam de coisas diferentes. O salário mínimo diz respeito ao ganha-pão de milhões de mulheres e homens simples. Seu aumento significou uma vida um pouco mais decente. Reclamar que os pobres estejam ganhando um pouco mais seria uma tremenda falta de sensibilidade.

Há muitos ajustes e correções por fazer, mas os inimigos das aposentadorias não são os governos que aumentaram o salário mínimo. Os inimigos são os que fragilizam a Previdência, desviam recursos para outros fins, praticam a sonegação e propõem reformas que colocam em risco o desenvolvimento econômico futuro. Em tempos de ameaça à Previdência pública, mirar o alvo certo é condição para derrotar os reais inimigos.