Edição do dia 18/10/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Os últimos dias da 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Confira o que aconteceu nesta semana e o que vai movimentar o fechamento da festa
1ª Semana Lixo Zero: Tudo pronto na programação
GERAL - Objetivo é incluir o município na lista de cidades com o título Lixo Zero, concedida pelo ILZ
Menos barulho nas comemorações de fim de ano
GERAL - Assembleia Legislativa aprovou dois projetos referentes ao uso de fogos de artifício
Evento apresenta o que há de melhor em arquitetura
GERAL - Os ambientes foram decorados por profissionais renomados
Equipe do Colégio Mauá se destaca no Nacional
GERAL
Novo Cabrais: Novas soberanas serão conhecidas nesta sexta
VARIEDADES
Novo Cabrais: Uma história que se constrói a cada dia
GERAL - Município comemora 23 anos de emancipação político-administrativa com desenvolvimento e progresso
Novo Cabrais: Saúde realiza atividade de prevenção
SAÚDE
Novo Cabrais: Feira de Saúde terá palestras sobre depressão e suicídio
SAÚDE - Evento tratará tema que vem em crescente demanda no município e na região e também oferecerá serviços gratuitos
Empregar RS disponibilizará 50 vagas
GERAL
Marcel Knak é o novo coordenador
GERAL - Ele será responsável por atender 23 municípios da região
Fios de Esperança: um ato de amor
GERAL - Projeto voluntário promove a autoestima e melhora a qualidade de vida de pacientes com câncer
Dia do médico: Celebre o profissional que cuida da sua saúde
ESPECIAIS
Dia do pintor: Eles dão mais cor ao nosso mundo
ESPECIAIS
Farsul em Campo: Seminário teve um dia repleto de atividades
GERAL - Evento contou com a participação de aproximadamente 150 pessoas
Pompéia de cara nova
EMPRESARIAL - A loja ampliou o espaço e o mix de produtos
Influencers Live Show: Gravações iniciam na próxima semana
GERAL - O programa vai ao ar a partir do dia 2 de novembro
Entrega de recursos ocorre na próxima terça-feira
GERAL

Valor da aposentadoria e do salário mínimo

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 07/04/2017

Fiquei surpreso ao ouvir de novo, dias atrás, uma queixa sobre a desvalorização das aposentadorias que não condiz com os reais problemas da previdência social neste período turbulento. O fato: funcionário público aposentado diz que não quer nem ver Lula porque durante seu governo e da Dilma a sua aposentadoria de 25 salários mínimos ficou reduzida à metade, em salários mínimos. 

Se esse funcionário público, que deve utilizar cotidianamente a matemática nos seus assuntos pessoais, fizer um cálculo simples, verá que sua queixa não tem razão de ser. Trata-se simplesmente de ver o que ele comprava com 25 salários mínimos em 2002 (antes de Lula) e o que compra agora com a dita metade de salários.

Vamos fazer um raciocínio utilizando o dólar como referência. Em dezembro de 2002, o salário mínimo de R$ 200,00 equivalia a 55,0 dólares (dólar a R$ 3,6). O cálculo mostra que 25 salários mínimos representavam 1.375 dólares (25 x 55 = 1.375).

Em agosto de 2016 (último mês de governo de Dilma), o salário mínimo de R$ 880,00 equivalia a 266 dólares (dólar a 3,20). O cálculo indica que a metade de 25 salários mínimos (12,5) representava 3.325,00 dólares (12,5 x 266 = 3.325). 

Ou seja: durante os governos Lula/Dilma, o valor em dólar desse aposentado teria passado de 1.357 dólares mensais em 2002 para 3.325 dólares em 2016, situação que se mantém, no principal, até agora. Há estudos que tomam a inflação do período como referência e o resultado indica a mesma coisa: o poder de compra da média das aposentadorias ficou mantido ou aumentou um pouco nos governos Lula/Dilma.

A comparação entre o valor das aposentadorias e o valor do salário mínimo não é adequado, pois tratam de coisas diferentes. O salário mínimo diz respeito ao ganha-pão de milhões de mulheres e homens simples. Seu aumento significou uma vida um pouco mais decente. Reclamar que os pobres estejam ganhando um pouco mais seria uma tremenda falta de sensibilidade.

Há muitos ajustes e correções por fazer, mas os inimigos das aposentadorias não são os governos que aumentaram o salário mínimo. Os inimigos são os que fragilizam a Previdência, desviam recursos para outros fins, praticam a sonegação e propõem reformas que colocam em risco o desenvolvimento econômico futuro. Em tempos de ameaça à Previdência pública, mirar o alvo certo é condição para derrotar os reais inimigos.