Edição do dia 19/06/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Copa CFC Celso tem rodada em Alto Linha Santa Cruz, no domingo
ESPORTES - Líder João Alves encara o Rio Pardinho na primeira partida da tarde
Mundial Unisc de futsal feminino ocorre neste final de semana
ESPORTES
Copa Cidade: Esmeralda vence o Unidos da Villa
ESPORTES - Jogo aconteceu no estádio da Timbaúva, no Arroio Grande
Portaria amplia setores com trabalho permanente no domingo e feriado
GERAL - A portaria está publicada no Diário Oficial desta quarta-feira
Brasil empata com a Venezuela pela Copa América: 0 a 0
ESPORTES - Líder do Grupo A, Canarinho volta a campo sábado (22), contra o Peru
'Joga Pouco, Ajuda Muito' acontece nesta quinta
ESPORTES
Segundona Gaúcha: Presidente do Galo lamenta desclassificação
ESPORTES
Série D do Brasileiro: Avenida segue forte
ESPORTES - Direção espera estádio lotado para decidir vaga no segundo jogo, em casa, contra o Caxias
Computação Desplugada é realidade em escolas públicas de Santa Cruz do Sul
EDUCAÇÃO - Material didático do projeto Computação na Educação foi lançado na tarde desta terça-feira, 18, na Unisc
Ensino das escolas é discutido em todo o país
EDUCAÇÃO
Thiago Porto: enaltecendo a cultura santa-cruzense
VARIEDADES - Com mais de um milhão de visualizações no YouTube músico se prepara para mais um lançamento
Restaurante Mafalda: há 18 anos servindo gastronomia de qualidade
GERAL - O estabelecimento conta com buffet tradicional e buffet para viandas
Oficina de Apoio às Famílias será na próxima terça-feira
GERAL - O Riovale Jornal entrevistou a advogada Dra. Andjanete L. Mess Hashimoto, que explica o procedimento das atividades
Câmara aprova projeto de segurança
GERAL
Mercur chega aos 95 anos com livro publicado
EMPRESARIAL - Curso para inspirar um mundo mais colaborativo também foi disponibilizado
Corpus Christi: Fé e arte para celebrar a data
RELIGIÃO - Celebração inicia às 9 horas com missa na Catedral São João Batista e após procissão segue pelas principais ruas
Quem é contra a reforma da Previdência Social não é contra o Brasil
OPINIÃO
Um novo INSS
OPINIÃO

O legado da carreira política

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 02/06/2017

A "aposentadoria eleitoral" é um fenômeno constante. Lideranças nascem, crescem e se aposentam (ou são aposentadas). Quando isso acontece costuma vir a pergunta sobre o seu legado. O que fica quando uma liderança sai de cena? O que deixa para o futuro? 

Uma forma de ver o legado da liderança política é olhar as obras que coordenou ou ajudou a realizar: edificações públicas, equipamentos de saúde ou esporte, alguma nova estrada ou ponte, asfaltamentos. Outra é observar se impulsionou ou contribuiu para a boa gestão: modernização de processos burocráticos, capacitação e boas condições de trabalho aos funcionários, zelo pela eficácia da administração, entre outros aspectos. 

Esse olhar usual é válido e relevante. A ação política precisa ser mensurada pelos resultados, mais do que pelos discursos e intenções. Mas, observar os resultados é insuficiente e pode ser enganoso. Sabemos que muitas obras inauguradas numa administração foram preparadas na administração anterior ou viabilizadas por condições financeiras criadas anteriormente. E parte deles se beneficia do que foi feito no passado sem preparar o terreno para os que vêm depois.

Mas há um elemento mais relevante: o legado de ideias, valores, princípios que devem nortear a política. Lideranças não deveriam bloquear boas iniciativas, nem apoiar retrocessos. Deveriam semear o futuro, inspirar os mais jovens, cultivar os sucessores e deixar-lhes uma herança moral-espiritual. 

Não é simples deixar uma herança moral-espiritual respeitável. Mais que de discursos depende de prática continuada e de instituir projetos voltados ao amanhã, sustentáveis, assentados na responsabilidade social. Esse legado deve incluir a noção de que o político eleito é um servidor do povo, que os assuntos públicos são de responsabilidade coletiva, o fortalecimento das comunidades, o empoderamento do cidadão comum, a opção preferencial pelos mais pobres e mais fracos, a justiça social.

Muitos políticos pouco têm a legar ao futuro. Seu horizonte é a eleição seguinte e depois a próxima. Seu personalismo fragiliza os partidos. Quando saem de cena, pouco resta. Não é por aí. Necessitamos de partidos sólidos, com linha programática clara, comprometidos com ideias duradouras mais do que com carreiras individuais. A vida de cada liderança é breve. O que fica são as instituições e elas são os veículos dos valores de que se alimenta a política.