Edição do dia 18/10/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Os últimos dias da 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Confira o que aconteceu nesta semana e o que vai movimentar o fechamento da festa
1ª Semana Lixo Zero: Tudo pronto na programação
GERAL - Objetivo é incluir o município na lista de cidades com o título Lixo Zero, concedida pelo ILZ
Menos barulho nas comemorações de fim de ano
GERAL - Assembleia Legislativa aprovou dois projetos referentes ao uso de fogos de artifício
Evento apresenta o que há de melhor em arquitetura
GERAL - Os ambientes foram decorados por profissionais renomados
Equipe do Colégio Mauá se destaca no Nacional
GERAL
Novo Cabrais: Novas soberanas serão conhecidas nesta sexta
VARIEDADES
Novo Cabrais: Uma história que se constrói a cada dia
GERAL - Município comemora 23 anos de emancipação político-administrativa com desenvolvimento e progresso
Novo Cabrais: Saúde realiza atividade de prevenção
SAÚDE
Novo Cabrais: Feira de Saúde terá palestras sobre depressão e suicídio
SAÚDE - Evento tratará tema que vem em crescente demanda no município e na região e também oferecerá serviços gratuitos
Empregar RS disponibilizará 50 vagas
GERAL
Marcel Knak é o novo coordenador
GERAL - Ele será responsável por atender 23 municípios da região
Fios de Esperança: um ato de amor
GERAL - Projeto voluntário promove a autoestima e melhora a qualidade de vida de pacientes com câncer
Dia do médico: Celebre o profissional que cuida da sua saúde
ESPECIAIS
Dia do pintor: Eles dão mais cor ao nosso mundo
ESPECIAIS
Farsul em Campo: Seminário teve um dia repleto de atividades
GERAL - Evento contou com a participação de aproximadamente 150 pessoas
Pompéia de cara nova
EMPRESARIAL - A loja ampliou o espaço e o mix de produtos
Influencers Live Show: Gravações iniciam na próxima semana
GERAL - O programa vai ao ar a partir do dia 2 de novembro
Entrega de recursos ocorre na próxima terça-feira
GERAL

O legado da carreira política

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 02/06/2017

A "aposentadoria eleitoral" é um fenômeno constante. Lideranças nascem, crescem e se aposentam (ou são aposentadas). Quando isso acontece costuma vir a pergunta sobre o seu legado. O que fica quando uma liderança sai de cena? O que deixa para o futuro? 

Uma forma de ver o legado da liderança política é olhar as obras que coordenou ou ajudou a realizar: edificações públicas, equipamentos de saúde ou esporte, alguma nova estrada ou ponte, asfaltamentos. Outra é observar se impulsionou ou contribuiu para a boa gestão: modernização de processos burocráticos, capacitação e boas condições de trabalho aos funcionários, zelo pela eficácia da administração, entre outros aspectos. 

Esse olhar usual é válido e relevante. A ação política precisa ser mensurada pelos resultados, mais do que pelos discursos e intenções. Mas, observar os resultados é insuficiente e pode ser enganoso. Sabemos que muitas obras inauguradas numa administração foram preparadas na administração anterior ou viabilizadas por condições financeiras criadas anteriormente. E parte deles se beneficia do que foi feito no passado sem preparar o terreno para os que vêm depois.

Mas há um elemento mais relevante: o legado de ideias, valores, princípios que devem nortear a política. Lideranças não deveriam bloquear boas iniciativas, nem apoiar retrocessos. Deveriam semear o futuro, inspirar os mais jovens, cultivar os sucessores e deixar-lhes uma herança moral-espiritual. 

Não é simples deixar uma herança moral-espiritual respeitável. Mais que de discursos depende de prática continuada e de instituir projetos voltados ao amanhã, sustentáveis, assentados na responsabilidade social. Esse legado deve incluir a noção de que o político eleito é um servidor do povo, que os assuntos públicos são de responsabilidade coletiva, o fortalecimento das comunidades, o empoderamento do cidadão comum, a opção preferencial pelos mais pobres e mais fracos, a justiça social.

Muitos políticos pouco têm a legar ao futuro. Seu horizonte é a eleição seguinte e depois a próxima. Seu personalismo fragiliza os partidos. Quando saem de cena, pouco resta. Não é por aí. Necessitamos de partidos sólidos, com linha programática clara, comprometidos com ideias duradouras mais do que com carreiras individuais. A vida de cada liderança é breve. O que fica são as instituições e elas são os veículos dos valores de que se alimenta a política.