Edição do dia 19/06/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Copa CFC Celso tem rodada em Alto Linha Santa Cruz, no domingo
ESPORTES - Líder João Alves encara o Rio Pardinho na primeira partida da tarde
Mundial Unisc de futsal feminino ocorre neste final de semana
ESPORTES
Copa Cidade: Esmeralda vence o Unidos da Villa
ESPORTES - Jogo aconteceu no estádio da Timbaúva, no Arroio Grande
Portaria amplia setores com trabalho permanente no domingo e feriado
GERAL - A portaria está publicada no Diário Oficial desta quarta-feira
Brasil empata com a Venezuela pela Copa América: 0 a 0
ESPORTES - Líder do Grupo A, Canarinho volta a campo sábado (22), contra o Peru
'Joga Pouco, Ajuda Muito' acontece nesta quinta
ESPORTES
Segundona Gaúcha: Presidente do Galo lamenta desclassificação
ESPORTES
Série D do Brasileiro: Avenida segue forte
ESPORTES - Direção espera estádio lotado para decidir vaga no segundo jogo, em casa, contra o Caxias
Computação Desplugada é realidade em escolas públicas de Santa Cruz do Sul
EDUCAÇÃO - Material didático do projeto Computação na Educação foi lançado na tarde desta terça-feira, 18, na Unisc
Ensino das escolas é discutido em todo o país
EDUCAÇÃO
Thiago Porto: enaltecendo a cultura santa-cruzense
VARIEDADES - Com mais de um milhão de visualizações no YouTube músico se prepara para mais um lançamento
Restaurante Mafalda: há 18 anos servindo gastronomia de qualidade
GERAL - O estabelecimento conta com buffet tradicional e buffet para viandas
Oficina de Apoio às Famílias será na próxima terça-feira
GERAL - O Riovale Jornal entrevistou a advogada Dra. Andjanete L. Mess Hashimoto, que explica o procedimento das atividades
Câmara aprova projeto de segurança
GERAL
Mercur chega aos 95 anos com livro publicado
EMPRESARIAL - Curso para inspirar um mundo mais colaborativo também foi disponibilizado
Corpus Christi: Fé e arte para celebrar a data
RELIGIÃO - Celebração inicia às 9 horas com missa na Catedral São João Batista e após procissão segue pelas principais ruas
Quem é contra a reforma da Previdência Social não é contra o Brasil
OPINIÃO
Um novo INSS
OPINIÃO

Bem-vindo ao passado!

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 14/07/2017

Os sinais de retrocesso no mundo do trabalho já estavam claros com a lei da terceirização ampla, aprovada pelo Congresso, em março último. Agora piorou, com a aprovação da “deforma trabalhista” do governo Temer.

Estamos rumo ao passado. Veja algumas mudanças, destacadas por especialistas em direito do trabalho.

1. Férias podem ser parceladas em até três períodos. Três períodos! 

2. Acabou o princípio da equiparação salarial para as mesmas funções, o que vai legalizar situações de remuneração diferente para negros e brancos, mulheres e homens.

3. Se recorrer à Justiça, o trabalhador terá que pagar as custas do advogado e também da perícia. Se precisar de um exame médico para provar uma lesão por trabalho, terá que pagar pelo laudo. 

4. Se faltar a uma audiência na Justiça do Trabalho, mesmo que o motivo seja justo, o trabalhador terá que pagar as custas judiciais e honorários do advogado da empresa.

5. O trabalhador pode ser contratado como pessoa jurídica. Isso permite toda sorte de sonegação de impostos, contribuições sociais, férias, 13º, FGTS, DSR, horas extras, sem direito a reclamar na Justiça.

6. A contratação por trabalho intermitente (descontínuo) vai favorecer a substituição do salário mínimo mensal pela remuneração ocasional, por dia, por tarefa.

7. O sindicato vai ficar mais fraco, mas o que ele acordar com o patronal terá que ser aceito, pois o acordo coletivo prevalecerá sobre a convenção coletiva e a lei.

8. A homologação da rescisão poderá ser feita na própria empresa, sem a presença do sindicato. Já imaginou a dificuldade de discutir valores da rescisão?

9. E olha só isto: a mulher gestante poderá trabalhar em ambiente insalubre, sob ruído, sol, poeira, desde que um médico subscreva autorização. Já pensou na sua mãe, sua irmã, sua esposa, nesta situação?

Nenhum governo, nem a ditadura militar, havia esfaqueado a CLT ao longo de 74 anos, desde sua implantação por Getúlio Vargas. O atual retrocesso é impressionante, graças ao voto de senadores como os gaúchos Lasier Martins e Ana Amélia Lemos. O que mais virá? O retorno oficial da escravidão?