Edição do dia 15/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

CTG Tiarayu é o grande campeão do Enart
VARIEDADES - Candeeiro da Amizade, de Vera Cruz, venceu a força B
CTG Lanceiros evidencia os direitos da Mulher
VARIEDADES
Inicia mais um Enart
GERAL - A 34ª edição do evento reúne em Santa Cruz do Sul os apaixonados pela cultura gaúcha
ACI: Gabriel Borba é aclamado presidente
GERAL - Ele estará à frente da entidade junto com o vice, César Cechinato, para o biênio 2020-2021
Copa Lisaruth 20 anos tem segunda rodada
ESPORTES
Cestinha Sesi/Unisc disputa o 2º turno das semifinais
ESPORTES
O Avenida ainda não confirmou a sua participação na Divisão de Acesso
ESPORTES
Dia de confirmar classificação
ESPORTES
Regional 2019: Fim de semana tem clássico em Vale do Sol
ESPORTES
Solled Energia ganha o principal prêmio brasileiro do setor
EMPRESARIAL
Secult abre novo prazo para cadastro de entes culturais
VARIEDADES
Marista São Luís é destaque e traz prêmios a Santa Cruz Do Sul
ESPORTES - Somente no Maristão, realizado em Porto Alegre, Colégio conquistou sete premiações
Excelsior: Casa do Cliente foi inaugurada
EMPRESARIAL
Por mês, operação do Rapidinho gera 94 mil advertências
GERAL - Valores ficam pendentes no sistema e precisam ser regularizados pelos usuários
Disputa das finais inicia neste sábado
ESPORTES - Campeões serão conhecidos após jogos de ida e volta nas categorias veterano, feminino e livre
Saúde recebe R$ 150 mil da Câmara
SAÚDE
Mostra do Cerest tem trabalho desenvolvido em Novo Cabrais
GERAL
Palestra debate o Direito sucessório do cônjuge e da união estável
GERAL

O voto para legitimar um novo governo

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 21/07/2017

A história nacional já teve muitos momentos de crise institucional, sendo prova disto as várias Constituições Federais que já foram promulgadas em nosso País, mas o momento atual tem elementos inovadores que até então a sociedade brasileira ainda não tinha vivenciado. Pois, senão vejamos, a presidente da República é retirada do poder por um Congresso Nacional liderado por um deputado que agora encontra-se afastado e preso pelo Poder Judiciário. Assume o vice, e este por sua vez nomeia o senador que articulou no Senado a aceitação da denúncia contra a presidenta Dilma, por ampla maioria de votos. Romero Jucá, ‘o breve’, conseguiu ficar no Ministério do Planejamento por pouco mais de uma semana, pois ao tentar explicar o inexplicável,  teve que voltar para o Senado, sem falar em tantos outros afastados. 

Os elementos acima pinçados do cenário político nacional, de fato, levam à conclusão de que o mundo político anda longe da pacificação, e a cada dia novas informações são trazidas a público, através de gravações como as delator Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, feitas no passado, envolvendo quase todos os grandes partidos e políticos do País, com revelações nem tão novas, mas que, por virem à tona, confirmam aquilo que uma grande maioria das pessoas que observam a mundo político já suspeitava. Agora as gravações veiculadas pelo JoesleyBastita, somente repetem a mesma toada. 

A questão que parece estar passando ao largo do debate nacional é fato de que mesmo com as denúncias divulgadas, de certa forma, há um pacto no sentido de isentar o presidente Michel Temer, pois o resultado que foi visto na votação da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados indicam tal proceder. Em agosto, ao que tudo indica, irá se confirmar que os aliados do presidente vão impedir o seguimento do processo no Supremo, apesar do vasto cabedal de provas.

Desta forma, pelo andar dos fatos, resta evidente de que não haverá um pacto nacional que consigne dar condições de governabilidade, pois o governo de Michel Temer tem em sua companhia parceiros muito perigosos, e que irão cobrar um preço muito alto para sua fidelidade, ou melhor, colaboração, pois fidelidade é palavra que não existe no mundo que habitam.

Assim, considero que a alternativa que o Estado Democrático de Direto nos oferece é uma renovação de mandato que deverá ser ungido pelo voto do povo. É evidente que os prazos são exíguos, mas acredito que mais 18 meses de governo Temer irão fazer muito mal para a Democracia Brasileira. Por isto, não deveria ser descartada a possibilidade de antecipação das eleições do ano que vem.