Edição do dia 22/01/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Avenida empata pela segunda vez no Gauchão
ESPORTES - Periquito cedeu igualdade para o Brasil de Pelotas. Próximo jogo é domingo contra o Caxias, fora
Unisc divulga listão dos aprovados no curso de Medicina
GERAL
Secretaria de Esporte promove 1º Santa Cruz Kangoo Fest
ESPORTES
Seminário Internacional com inscrições abertas
EDUCAÇÃO
Centro de Cultura será revitalizado
VARIEDADES
Estão abertas as inscrições de produções audiovisuais de todo o RS para o 6º CineSerra
VARIEDADES
RS pede a suspensão de reajuste de juízes, promotores e defensores
POLÍTICA - Governador faz reunião de emergência e detalha crise financeira
Desenvolvimento Regional
GERAL - Unisc e Unitau promovem Doutorado Interinstitucional
Processos de cassação do direito de dirigir cresceram em 2018 no RS
GERAL
Denúncias aumentam entre dezembro e março
GERAL - Fiscalização já emitiu mais de 100 notificações sobre terrenos baldios em janeiro
As tensões na agenda
OPINIÃO
A educomunicação, o jornal e a sala de aula
OPINIÃO
Produção e difusão do conhecimento: estratégia propulsora para inovação
OPINIÃO
Dia do Aposentado: Passo a passo, a evolução da Previdência
ESPECIAIS
Apopesc investe para atrair novos associados
ESPECIAIS
Santa Cruz já pode ter cemitérios privados para animais
GERAL - A partir de agora cabe a empresas interessadas abraçar a causa
Gauchão 2019: Avenida recebe o Brasil de Pelotas
ESPORTES - Periquito, que vem de empate na primeira rodada em Veranópolis, enfrenta Xavante hoje à noite, nos Eucaliptos
Crítica à perpetuação no poder
EDITORIAL - O caso da Venezuela evidencia as consequências da ditadura

Onde andam nossos filhos?

Osvino Toillier - 12/05/2017

Esta é a pergunta mais natural que hoje se deve fazer aos pais: onde andam seus filhos. Também passamos por esta fase, com as naturais inquietações quando nossos filhos alcançaram a idade de bater asas e fazerem as primeiras revoadas.

Foi exatamente nessa época em que começaram os anseios por libertação da tutela dos pais, e muita gente embarcou nessa canoa furada. Lembro de um pai que me disse: “Quando minha filha completar quinze anos, ela receberá a chave da casa e não mais nos deve satisfação quanto ao horário de chegar em casa”.

Eu lembro bem: minha esposa e eu vivemos um momento de turbulência, porque o paradigma de educação que tínhamos incorporado estava em crise. Não queríamos assumir a imagem de gente ultrapassada, mas entendemos que não poderíamos soltar nossos filhos sem controle e limites. E decidimos praticar a boa e velha educação tradicional: amor com limites. E nos damos bem! Criamos dois filhos maravilhosos, idôneos, amorosos, responsáveis, conscientes de que educação implica asas e raízes.

E assim também estão educando seus próprios filhos, num outro tempo, com outras referências e valores, mas sem esquecer os princípios que sustentaram a vida ao longo do tempo.

Sempre observo com atenção os quero-queros no local onde caminho: o cuidado dos bichinhos com filhotes. O casal é extremamente zeloso e até agressivo com outros pássaros que ousem se aproximar. Faltaria só dizer: este território é dos nossos pequenos, que precisam de nossa proteção e amparo.

Por que haveríamos nós de abandonar precocemente nossos filhos e expô-los a todos os perigos da pós-modernidade, inclusive dos riscos do mundo virtual?

O amor impõe limites! Não descuidemos daqueles que amamos e cujas vidas estão sob nosso cuidado: nossos amados filhos!