Edição do dia 06/12/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Operação Papai Noel começa na próxima Terça-feira
GERAL - A novidade é a implantação da uma base móvel, equipada com câmeras, computadores e outros dispositivos de segurança
Multi Espaço VIA 9: cultura, educação e um bom café
GERAL - O local conta com loja de artesanatos e realiza diversos eventos e atividades
Neste sábado tem Prefeitura nos Bairros
GERAL
Feira do Livro de 2020 será em maio
GERAL - Patrona, Homenageado e Personalidade Incentivadora da Leitura foram divulgados nesta sexta-feira
Secretaria de Cultura registra 172 entes e agentes culturais
POLÍTICA - Cadastro havia sido fechado em agosto, mas foi reaberto no mês passado
Força-Tarefa fiscaliza supermercado no centro
GERAL - Ação realizou a segunda operação do grupo em Santa Cruz nesta semana
Campanha realiza exames preventivos gratuitos de câncer de pele neste sábado
SAÚDE - Os atendimentos acontecem das 9h às 15h, no Ambulatório do COI do Hospital Ana Nery
Greve do Magistério atinge mais de 1,5 mil escolas
EDUCAÇÃO - Com 80% de participação da categoria, a greve é considerada histórica
Economista dá dicas para utilizar o 13ºsalário
ECONOMIA - O pagamento é uma oportunidade para colocar as finanças em dia, afirma Silvio Cezar Arend
Cartório ainda aguarda mais de 30 mil para recadastramento biométrico
GERAL
Inscrições abertas para o Educar-se nas Férias 2020
EDUCAÇÃO
Alta no preço da carne resulta no aumento da Cesta Básica
ECONOMIA
Saiba os dias de abertura do comércio neste Natal
GERAL
Novo Cabrais: Bryan é mais um ganhador da promoção
GERAL
Novo Cabrais: Escolinha ACF é campeã geral da Uef Cup
ESPORTES
Abertura da Christkindfest acontece hoje
VARIEDADES - Programação se estende até o dia 22 de dezembro, com atividades artísticas e culturais e Casa do Papai Noel
Storch Contabilidade conta com novas e modernas instalações
GERAL
Novo Cabrais: Proerd forma 34 alunos
GERAL

Educação Rural (I)

Valério Garcia - 07/04/2017

Parece que, finalmente, o homem está se dando conta que o meio ambiente e suas relações com os seres vivos são uma questão de sobrevivência para a espécie humana. Esta acordada já está tardia, mas ainda é tempo de repensarmos tudo aquilo que estamos fazendo com a nossa casa, chamada de Planeta Terra. A palavra Ecologia vem do prefixo grego “oikos” que significa casa e do sufixo “logia” que significa estudo. Estudar Ecologia significa estudar a nossa casa, que nada mais nada menos é, que o nosso planeta. O homem deve saber que é parte e não proprietário.

Somos totalmente dependentes do nosso meio rural, do nosso interior. Estamos acostumados a ouvir que, quando o campo vai bem, a cidade vai bem também. O alimento nosso de cada dia vem diretamente do interior. A agricultura e a pecuária, através de suas mais variadas lavouras e criações, abastecem os mercados e açougues frequentados diariamente por nós. Será que estamos valorizando todo este contexto, ou não estamos nos dando conta disso? 

Para valorizar nosso meio rural se deve conhecer, sentir e ter convivido de alguma forma com seus hábitos e costumes. Outra forma é buscar informações com aqueles que tiveram ou vivem essa realidade. Morei “para fora” como se diz, e tive o prazer e o privilégio de conviver com o homem do campo. Era na divisa de Cachoeira com Caçapava do Sul, local denominado de Lagoão. A BR 290 ficava 7,5km distante de nossa casa. E quando íamos até Cachoeira, percorríamos o caminho no nosso cavalo zaino, ou caminhando! Minha mãe era professora municipal e ia a pé até a Escola para ministrar aulas em turmas multisseriadas. Os alunos também iam caminhando e aqueles que moravam mais distante, o meio de locomoção era uma bicicleta ou cavalo, que também servia para a lide campeira do dia. Outros pegavam carona, mas de carreta ou carroças que percorriam o local naquele horário e itinerário. Ela alfabetizou jovens que são pessoas de sucesso hoje e ninguém ficou traumatizado, ou com alguma sequela daqueles tempos difíceis. Muito pelo contrário: falam com muito orgulho “dos tempos de antigamente”! As pessoas davam mais valor ao suor derramado para suas conquistas. 

A merenda era trazida pelos próprios alunos com o auxílio de toda comunidade. Todo mundo colaborava de alguma forma para ajudar a Escola. Há pouco tempo encontrei um ex-aluno de minha mãe que, com os olhos marejados pelas lágrimas, falou com orgulho e alegria da querida “Escolinha” e da professora Dona Gessi. Agradeço sempre por ter tido a oportunidade de viver essa realidade que só me trouxe mais conhecimento e sabedoria.

A pergunta que deixo aos amigos leitores é a seguinte: ... E hoje como estão as coisas? Falaremos mais sobre isso.

Bom final de semana.