Edição do dia 15/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

CTG Tiarayu é o grande campeão do Enart
VARIEDADES - Candeeiro da Amizade, de Vera Cruz, venceu a força B
CTG Lanceiros evidencia os direitos da Mulher
VARIEDADES
Inicia mais um Enart
GERAL - A 34ª edição do evento reúne em Santa Cruz do Sul os apaixonados pela cultura gaúcha
ACI: Gabriel Borba é aclamado presidente
GERAL - Ele estará à frente da entidade junto com o vice, César Cechinato, para o biênio 2020-2021
Copa Lisaruth 20 anos tem segunda rodada
ESPORTES
Cestinha Sesi/Unisc disputa o 2º turno das semifinais
ESPORTES
O Avenida ainda não confirmou a sua participação na Divisão de Acesso
ESPORTES
Dia de confirmar classificação
ESPORTES
Regional 2019: Fim de semana tem clássico em Vale do Sol
ESPORTES
Solled Energia ganha o principal prêmio brasileiro do setor
EMPRESARIAL
Secult abre novo prazo para cadastro de entes culturais
VARIEDADES
Marista São Luís é destaque e traz prêmios a Santa Cruz Do Sul
ESPORTES - Somente no Maristão, realizado em Porto Alegre, Colégio conquistou sete premiações
Excelsior: Casa do Cliente foi inaugurada
EMPRESARIAL
Por mês, operação do Rapidinho gera 94 mil advertências
GERAL - Valores ficam pendentes no sistema e precisam ser regularizados pelos usuários
Disputa das finais inicia neste sábado
ESPORTES - Campeões serão conhecidos após jogos de ida e volta nas categorias veterano, feminino e livre
Saúde recebe R$ 150 mil da Câmara
SAÚDE
Mostra do Cerest tem trabalho desenvolvido em Novo Cabrais
GERAL
Palestra debate o Direito sucessório do cônjuge e da união estável
GERAL

A República sub judice

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 31/03/2017

Nunca antes no Brasil houve um empoderamento tamanho do Poder Judiciário sobre os destinos da Pátria, como o que ocorre em nossos dias. O Judiciário é provocado por todos os setores da sociedade para decidir temas que as instituições públicas e privadas não conseguiram solver, ou melhor, que a sociedade civil ‘organizada ou não’ falhou, sendo que o recurso que resta é levar quase todos os temas para a instância judicial.

Frente a tal contexto, vários debates importantes, como financiamento de campanhas políticas, coligações partidárias, aborto, uso de drogas ilícitas, medicamentos de alto custo para doenças raras são temas que passam à margem do Legislativo e estão sendo discutidos no STF e não no Congresso Nacional, instância competente constitucionalmente para legislar.

Efeito colateral natural desta judicialização de quase todas as instâncias da vida social, que agentes do Judiciário acabem sendo afetados pelo poder que lhes está sendo conferido, sendo talvez o ministro Gilmar Mendes talvez o representante mais expressivo. O referido ministro de forma frequente vem a público constrangendo colegas do próprio Poder, como já no passado havia ocorrido com o ex-ministro Joaquim Barbosa, e agora a vítima da vez foi o procurador geral da República, Rodrigo Janot.

O mais estranho é que o ministro Gilmar Mendes, agora reclama dos vazamentos ilegais de inquéritos que em tese estariam protegidos por sigilo. Chega a ser risível tal preocupação, pois o instituto do sigilo infelizmente já naufragou no sistema judicial brasileiro. Somente por enquanto é respeitado o sigilo da fonte dos jornalistas, apesar do juiz Sérgio Moro também considerar que tal entendimento também não é pacífico, pois determinou a condução de um blogueiro, para tentar saber de suas fontes.

Os apontamentos acima dão indicativo muito claro de que não há solução simples para uma sociedade com múltiplos interesses, sendo que a confusão em que estamos envolvidos não será resolvida exclusivamente pela judicialização das relações.