Edição do dia 17/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Conselho lança o Polo dos Vales
GERAL
ENTRE QUATRO: Encenação acontece hoje e amanhã
VARIEDADES
RECEITA FEDERAL: Nova sede atenderá a partir de 8 de outubro
GERAL - Além da Delegacia da Receita Federal, a Procuradoria Geral da Fazenda também deve ocupar o espaço
Fentifumo inicia pauta de negociação
GERAL - Primeira reunião com a Federação e os Sindicatos ocorre na próxima quinta-feira
Otelio Drebes realiza palestra a professores
EDUCAÇÃO
Semana do Ministério Público começa hoje
GERAL - Promotores do caso Bernardo Boldrini estarão presentes
Reunião sobre Plantas Biotivas inicia hoje
GERAL
Prefeitura lança Alvará Digital
GERAL - A partir de agora, o documento pode ser feito em poucas horas, sem precisar sair de casa
Educar-se e Centro de Línguas promovem imersão bilíngue
EDUCAÇÃO
Sincotec-Varp realiza capacitação nesta quarta
GERAL
Projeto vai apresentar Santa Cruz e a 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Nos dois sábados da Festa da Alegria, ônibus sairão de Porto Alegre, Caxias do Sul e Santa Maria
Presidente dos Festejos Farroupilhas destaca a importância da cultura gaúcha
VARIEDADES
Tchê Bistrô e Arte: enaltecendo a tradição gaúcha
VARIEDADES
A força buscada nos versos
VARIEDADES
Cavalos passarão por inspeção antes do desfile
VARIEDADES - Além da Guia de Transporte Animal (GTA), será exigida apresentação de comprovantes para verificar as condições de saúde do animal
CTG de Paredão entregará 500kg em doações
VARIEDADES
Segurança Pública será reforçada em 36 municípios
POLÍCIA - Municípios da região receberão um total de aproximadamente R$ 2 milhões
Assaf vai encarar a Assoeva nas quartas de final
ESPORTES

Sociedade enferma

Osvino Toillier - 24/03/2017

É impressionante o grau de desestruturação a que chegou a sociedade brasileira atualmente, a ponto de não termos mais vontade de ligar a televisão, porque só vemos tragédia, relatos dramáticos, por conta da violência que se apossou de todos nós.

O que as autoridades fazem é tentar provar, através de estatísticas, que a violência está diminuindo, trazendo mais policiais da força nacional e transferindo do interior para a Capital mais PMs, fragilizando a proteção da população das pequenas cidades para fortalecer os órgãos de segurança da grande região urbana, onde a violência se tornou dramática.

Cabe perguntar: o que aconteceu conosco? Será apenas culpa do atual governo? Por que nos fragilizamos a tal ponto, que temos medo de sair de casa? Perdemos o respeito ao ser humano, à vida? Na verdade, tornamo-nos cada dia mais selvagens!

A conclusão parece óbvia: abandonamos há muito os mais elementares princípios e valores, descuidamo-nos da educação das crianças e jovens, substituímos o ser pelo ter. É por isto que se mata por um celular, por uma jaqueta de couro, que o bandido quer dar à namorada.

Não há remédio que possa resolver tão grave enfermidade! Não há solução a curto prazo. Deixamos o organismo adoecer demais, a doença tomou conta do corpo todo, e nem poderosa quimioterapia vai resolver o problema. Nem proliferação de prisões, nem ampliação da força de segurança, apenas a retomada de valores e princípios fundamentais para recuperar o direito de sentar novamente na frente de casa, o trânsito nas calçadas e o direito de crianças brincarem nas praças.

É a reconstrução do tecido social semelhante ao pós-guerra, quando só havia uma saída: juntar os destroços para abrir as ruas e minimamente organizar os espaços para sobreviver e reconstruir os ambientes para moradia novamente.

Não há solução mágica. É preciso humildade dos governantes para um grande pacto com a sociedade e começar tudo de novo, ouvindo a voz dos sábios.