Edição do dia 15/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

CTG Tiarayu é o grande campeão do Enart
VARIEDADES - Candeeiro da Amizade, de Vera Cruz, venceu a força B
CTG Lanceiros evidencia os direitos da Mulher
VARIEDADES
Inicia mais um Enart
GERAL - A 34ª edição do evento reúne em Santa Cruz do Sul os apaixonados pela cultura gaúcha
ACI: Gabriel Borba é aclamado presidente
GERAL - Ele estará à frente da entidade junto com o vice, César Cechinato, para o biênio 2020-2021
Copa Lisaruth 20 anos tem segunda rodada
ESPORTES
Cestinha Sesi/Unisc disputa o 2º turno das semifinais
ESPORTES
O Avenida ainda não confirmou a sua participação na Divisão de Acesso
ESPORTES
Dia de confirmar classificação
ESPORTES
Regional 2019: Fim de semana tem clássico em Vale do Sol
ESPORTES
Solled Energia ganha o principal prêmio brasileiro do setor
EMPRESARIAL
Secult abre novo prazo para cadastro de entes culturais
VARIEDADES
Marista São Luís é destaque e traz prêmios a Santa Cruz Do Sul
ESPORTES - Somente no Maristão, realizado em Porto Alegre, Colégio conquistou sete premiações
Excelsior: Casa do Cliente foi inaugurada
EMPRESARIAL
Por mês, operação do Rapidinho gera 94 mil advertências
GERAL - Valores ficam pendentes no sistema e precisam ser regularizados pelos usuários
Disputa das finais inicia neste sábado
ESPORTES - Campeões serão conhecidos após jogos de ida e volta nas categorias veterano, feminino e livre
Saúde recebe R$ 150 mil da Câmara
SAÚDE
Mostra do Cerest tem trabalho desenvolvido em Novo Cabrais
GERAL
Palestra debate o Direito sucessório do cônjuge e da união estável
GERAL

O PIB brasileiro

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 10/03/2017

A notícia importante desta semana da economia diz respeito à queda de 3,6% do Produto Interno Bruto, seguida de outra queda de 3,8% de 2015. Alguns economistas opinaram que seria a pior crise econômica que o País, atravessou, inclusive pior de que a crise de 1930 e 1931, quando também houve duas quedas sucessivas no PIB nacional.

Com todo respeito aos economistas que manifestam tal entendimento, pois o mesmo é no mínimo equivocado, para não dizer mal intencionado.

O Brasil da década de 20 e 30 de século passado em momento algum pode ser comparado com o que o Brasil representa atualmente no cenário internacional. A crise de 29 atingiu o mundo, com a quebra do bolsa de valores de Nova York, e por consequência os países periféricos como o Brasil, com sua economia baseada na produção de café e extrativismo sendo que a indústria nacional sequer existia.

Se observarmos o crescimento do Brasil nos últimos seis anos, tem-se um crescimento do PIB de 9,5%, o que é um crescimento razoável quando comparado com o dos EUA e da Alemanha, que no mesmo período tiveram um crescimento de 15%, ou a França, que evoluiu 7,4% no seu PIB.

Acrescentando-se ao fato de que já há previsão de crescimento para este ano, resta muito evidente que a atual crise não pode ser comparada com a de 1930, ou da década de 80, que foram crises muito mais sérias, pois o País não tinha as condições estruturais existentes atualmente.

Somente para citar, o setor primário evoluiu de forma muito evidente, sendo que a safra deste ano será a maior do todas da história. A indústria automobilística e de máquinas, a construção civil são atualmente capacidades instaladas que não existiam nas crises anteriores. 

Desta forma, acredito que a crise hoje vivenciada nem de longe tem similitude com as crises acima referidas, sendo que o nascedouro da dificuldade atual encontra sua explicação mais na política do que na economia, razão pela qual a recuperação também depende de uma estabilidade política, o que parece que não será fácil de ser construída.