Edição do dia 21/06/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Série Ouro de Futsal: Assaf perde primeira como mandante
ESPORTES - Tricolor jogou em Vale Verde e foi derrotado por 5x3
Copa Cidade Miller define os playoffs
ESPORTES - Competição encerrou a fase classificatória
Aliança goleia São José e cresce na Copa CFC Celso
ESPORTES - Mobilização é pela realização da primeira etapa da Olimpíada Rural, no próximo domingo
Troca de mensagens: Sergio Moro adia ida à Câmara
POLÍTICA - Ministro viajou para os Estados Unidos no último fim de semana e não comparecerá à audiência pública
Seleção feminina cai na prorrogação diante da França
ESPORTES - Brasil foi eliminado nas oitavas de final da Copa do Mundo
Avenida perde nos pênaltis e está fora da Série D
ESPORTES - Caxias classificou-se dentro dos Eucaliptos com vitória nas penalidades por 6 a 5
Brasil goleia Peru e jogará quartas de final na Arena do Grêmio
ESPORTES - Time brasileiro ficou com o primeiro lugar do Grupo A da Copa América
Copa Cidade tem três jogos no final de semana
ESPORTES - Rodada conta com os últimos confrontos da fase classificatória
Patinação: Copa XLise e Festival 25 anos movimentam Poliesportivo
ESPORTES - Evento ocorre neste sábado e movimenta patinadores de todo o Estado
Mais de 10 mil peças para aquecer os cabraisenses
GERAL - Distribuição das roupas arrecadadas ocorreu nesta terça-feira (18) para centenas de famílias moradoras de Novo Cabrais
Lixo eletrônico será recolhido na terça
GERAL - Mutirão da prefeitura vai passar por todas as localidades para coletar os materiais e dar o destino correto aos mesmos
Ipiranga leva a livre e Associação conquista o veterano
ESPORTES - Novo Cabrais conheceu os campeões do municipal de futebol sete, na última sexta-feira, no Centro Desportivo Municipal
Bela Vista e Flamengo jogam nesta sexta
ESPORTES
Copa Feminina: Brasil pega a França
ESPORTES
Série Ouro: Assaf faz parceria e vai jogar em Vale Verde
ESPORTES
Copa América: Diante do Peru, tentativa de reação
ESPORTES - Seleção Brasileira passa por fase de incertezas. Em 1989, time superou dificuldades
São Martinho é campeão em Monte Alverne
ESPORTES
Série D do Brasileiro: Avenida precisa de vitória simples
ESPORTES - Torcida deverá lotar o Estádio dos Eucaliptos, domingo, às 16h, contra o Caxias, valendo classificação

Metrô sem cobrador

Osvino Toillier - 03/03/2017

Em 1989, contemplado com bolsa de estudos por dois meses na Alemanha, tive meu primeiro contato com o Velho Mundo. Diretamente do interior para o dito primeiro mundo, choque sem precedentes.

A entidade organizadora do programa desejava confinar-me numa cidade, mas eu preferi circular, morando sempre na casa de professores, o que me permitiu conhecer o país de sul a norte e leste a oeste, assimilando culturas diferentes dentro do mesmo país.

Minha cidade-sede foi Frankfurt e, a partir daí, de trem em todas as direções. Foi aí que me deparei com as conexões de superfície, que cobriam os bairros; os trens regionais para distâncias mais próximas e os de alta velocidade, para grandes distâncias.

Mas nos metrôs de superfície – urbanos – que tive a primeira grande surpresa: comprava-se o bilhete no equipamento automático, na calçada, mas no trem não havia cobrador. Os passageiros entravam e desembarcavam, mas todos haviam adquirido a passagem.

Dia após dia, o mesmo ritual. Até que, no penúltimo dia de nossa permanência, entrou um fiscal e pediu as passagens. Perto de nós, o cobrador flagrou um passageiro que alegou problemas no equipamento onde embarcara. Imediatamente o fiscal disse: “Vamos até lá e conferir. Se você tiver razão, tudo bem. Caso contrário, a multa será de quarenta marcos, como prevê a lei. Em caso de reincidência, você será levado preso até a delegacia”.

Comentei com o professor que nos hospedava, e ele me respondeu: “É isso mesmo, é a consciência do dever, da honestidade. Se nós ludibriarmos a companhia do trem, como vamos cobrar serviço de qualidade”?

Semelhante situação teria ocorrido em Estocolmo: Conta-se que havia, entre muitas catracas normais e comuns, uma de passagem grátis, livre. Então o jovem brasileiro questionou a vendedora de bilhetes o porquê daquela catraca permanentemente liberada, sem nenhum segurança por perto.

Ela, então, explicou que aquela era destinada às pessoas que, por qualquer motivo, não tivessem dinheiro para o bilhete da passagem. 

Com sua mente incrédula, acostumada ao jeito brasileiro de pensar, não conteve a pergunta, que para ele era óbvia: “- E se a pessoa tiver dinheiro, mas simplesmente não quiser pagar”? A vendedora esfregou os olhos límpidos azuis, num sorriso de pureza constrangedora: “- Mas por que faria isso”?

Sem resposta, ele pagou o bilhete e passou pela catraca, seguido da multidão que também havia pago. A catraca livre continuou vazia.