Edição do dia 21/06/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Série Ouro de Futsal: Assaf perde primeira como mandante
ESPORTES - Tricolor jogou em Vale Verde e foi derrotado por 5x3
Copa Cidade Miller define os playoffs
ESPORTES - Competição encerrou a fase classificatória
Aliança goleia São José e cresce na Copa CFC Celso
ESPORTES - Mobilização é pela realização da primeira etapa da Olimpíada Rural, no próximo domingo
Troca de mensagens: Sergio Moro adia ida à Câmara
POLÍTICA - Ministro viajou para os Estados Unidos no último fim de semana e não comparecerá à audiência pública
Seleção feminina cai na prorrogação diante da França
ESPORTES - Brasil foi eliminado nas oitavas de final da Copa do Mundo
Avenida perde nos pênaltis e está fora da Série D
ESPORTES - Caxias classificou-se dentro dos Eucaliptos com vitória nas penalidades por 6 a 5
Brasil goleia Peru e jogará quartas de final na Arena do Grêmio
ESPORTES - Time brasileiro ficou com o primeiro lugar do Grupo A da Copa América
Copa Cidade tem três jogos no final de semana
ESPORTES - Rodada conta com os últimos confrontos da fase classificatória
Patinação: Copa XLise e Festival 25 anos movimentam Poliesportivo
ESPORTES - Evento ocorre neste sábado e movimenta patinadores de todo o Estado
Mais de 10 mil peças para aquecer os cabraisenses
GERAL - Distribuição das roupas arrecadadas ocorreu nesta terça-feira (18) para centenas de famílias moradoras de Novo Cabrais
Lixo eletrônico será recolhido na terça
GERAL - Mutirão da prefeitura vai passar por todas as localidades para coletar os materiais e dar o destino correto aos mesmos
Ipiranga leva a livre e Associação conquista o veterano
ESPORTES - Novo Cabrais conheceu os campeões do municipal de futebol sete, na última sexta-feira, no Centro Desportivo Municipal
Bela Vista e Flamengo jogam nesta sexta
ESPORTES
Copa Feminina: Brasil pega a França
ESPORTES
Série Ouro: Assaf faz parceria e vai jogar em Vale Verde
ESPORTES
Copa América: Diante do Peru, tentativa de reação
ESPORTES - Seleção Brasileira passa por fase de incertezas. Em 1989, time superou dificuldades
São Martinho é campeão em Monte Alverne
ESPORTES
Série D do Brasileiro: Avenida precisa de vitória simples
ESPORTES - Torcida deverá lotar o Estádio dos Eucaliptos, domingo, às 16h, contra o Caxias, valendo classificação

O rio da minha infância

Osvino Toillier - 25/02/2017

Quando vejo a superfície de um rio, de uma lagoa, eu me lembro das incríveis experiências de pescaria com meu pai no pequeno rio da minha terra, que era o universo mágico da minha infância. A canoa fora feita pelo pai, e nós, meu irmão e eu, tínhamos a tarefa de levar a embarcação rio acima sábados à tarde para, no domingo de manhã cedo, antes do amanhecer, iniciar a pescaria, descendo suavemente o rio, procurando descobrir onde haveria peixe para poitar a canoa.

E assim, inocentemente, íamos sendo levados pela correnteza mansa do rio, em busca de lambaris e dos nossos sonhos. Enquanto isso, pela estrada que ladeava o rio, deslizavam carroças barulhentas em direção à vila para a missa dominical.

O rio mágico da minha infância concentra o universo poético que esconde vivências impenetráveis. Tenho passado pelas proximidades, mas as águas já não mais as mesmas, as cachoeiras mudaram de curso e possivelmente os peixes mudaram de esconderijo. Meu pai teria certamente muita decepção, se voltássemos a deslizar pela superfície do rio da minha infância. É melhor deixar só na lembrança.

Interessante como vida a fora a gente acaba voltando à infância e, em meio a ternas lembranças, redescobrindo que lá está o paraíso com nossas inocentes utopias que viajavam a bordo dos barquinhos que fabricávamos e que enfrentavam a correnteza do riacho do nosso pátio, e onde podíamos lançar nossas embarcações à prova dos perigos da correnteza.

Somente havia algum perigo em caso de muita chuva e enchente, mas dificilmente o arroio ia além das margens. Como o rio também. E aí fui aprender uma verdade incontestável: o que torna o rio poderoso são suas margens. Isso mesmo! Transportado para a realidade, a metáfora faz sentido: queira ou não, a vida nos impõe limites, margens e, quando o rio as ultrapassa, a enchente transforma tudo em pântano.

O arroio da minha infância está reduzido a um filete de água, e os meus barquinhos já teriam dificuldade em navegar no pouco de água que resta; no rio, igualmente judiado, porque a ganância desmatou as margens a fim de plantar mais alguns pés de milho, com as enchentes se foi o barranco para o fundo do rio, e os poços com os peixes desapareceram. Como vou explicar isto ao meu pai?