Edição do dia 15/02/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Antes de enfrentar o Corinthians, Avenida perde em Ijuí
ESPORTES - Periquito perdeu para o São Luiz neste sábado e, na próxima quarta, tentará façanha pela Copa do Brasil
Santa Cruz goleia por 5 a 0 no primeiro amistoso
ESPORTES - Vitória sobre o Nova Prata ocorreu no Estádio dos Plátanos
Seminário aborda educação e computação
EDUCAÇÃO - Conscientização de entidades do município para a implementação de computação na educação básica foi o foco
Jornada Pedagógica abre o ano letivo
EDUCAÇÃO - Início das aulas para os alunos está marcado para segunda-feira, 18 de fevereiro
Vale admite que monitoramento em Brumadinho não funcionou
GERAL
Solled Energia projeta crescimento de 70%
EMPRESARIAL
Tampinha Legal lança ação para coleta de canudinhos
GERAL
Sala de espera foi inaugurada
SAÚDE - Com 7,5 mil procedimentos por ano, espaço qualifica o atendimento
Horário de verão chega ao fim
GERAL - Relógios devem ser atrasados em uma hora na virada de sábado para domingo
Obras do Complexo Lago Dourado avançam
GERAL - Nova etapa do projeto consiste na duplicação e ampliação da pista no entorno do espelho d
Fabiano Vencato é diretor de eventos do MTG
VARIEDADES
Negociações da Havan se intensificam
GERAL - Após o presidente da empresa solicitar apoio da comunidade nas redes sociais, entidades e instituições se mobilizam
Comandante Regional realiza visita a Prefeitura de Sinimbu
POLÍCIA
Brigada Militar prende indivíduo por Furto em Santa Cruz do Sul
POLÍCIA
KangoozeirasTop participam de rústica em Arvorezinha
ESPORTES - Débora Hesse Machado e Daniela Chagas Leotte representam a equipe no evento
Um sábado para o torcedor do Galo
ESPORTES - Santa Cruz enfrenta o Nova Prata em amistoso no Estádio dos Plátanos
A complexidade da reforma
EDITORIAL - É preciso pensar nas consequências da reforma da Previdência para a classe média e os mais pobres
Sinduscon-RS Vale do Rio Pardo prepara demandas para revisão do Plano Diretor
GERAL - Comissões estão trabalhando para sugerir alterações consideradas importantes para o crescimento do município

Gratidão eterna

Osvino Toillier - 27/01/2017

Se olharmos ao nosso redor e principalmente para trás, vamos encontrar razões para nos curvarmos diante dos benfeitores de instituições, cuja memória precisa ser honrada e respeitada.

É impressionante como as circunstâncias do mundo pós-moderno estão levando as pessoas a assumirem protagonismo nas instituições, destacando os notáveis feitos da atualidade sem qualquer referência ao passado em que o suor, a dedicação e o sacrifício de pessoas de então foi decisivo para a pujança de hoje.

Por questão de humildade e respeito, a gente não pode apossar-se do legado de gerações do pretérito que escreveram capítulos heroicos, quando a realidade exigiu coragem e sacrifício para travessias épicas, em busca de sobrevivência e novas perspectivas.

Muitos desses heróis já dormem no silêncio das idades; outros, em idade avançada, ainda estão por aí e cuja memória poderia ser aproveitada para não sepultar definitivamente informações preciosas e reconstituir o passado e as circunstâncias daquele tempo.

Nada mais injusto do que se enfeitar com penas alheias! Cada tempo encerra suas próprias circunstâncias e precisa ser respeitado como tal. O escritor argentino Jorge Luís Borges deixou-nos um legado que joga luz sobre a questão: “A originalidade é  impossível. Cada nova geração escreve o mesmo poema, conta o mesmo conto. Com uma diferença: a voz”.  

Trata-se de respeito ao conteúdo do poema, mas, sobretudo, à voz. Não silenciar os protagonistas de outros tempos, para que a nossa luz possa brilhar. Temos de dirigir os holofotes sobre todos os tempos e dar vez às vozes de outras épocas, a fim de que nos contem as dificuldades que enfrentaram.

Vamos pesquisar o passado para que as crianças e os jovens possam conhecer a história de nossas instituições e cresçam com a perspectiva de identidade, que é da maior importância nos tempos líquidos.

Em outros tempos, isto era muito natural: todos conheciam a trajetória da instituição educacional, que não era apenas prestadora de serviço, mas entidade com raízes, forjada por cidadãos honrados, que não podem ser deletados, mas lembrados no panteão da memória onde as futuras gerações vão conhecer as origens e a verdadeira história.