Edição do dia 19/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Projeto Carinhoso: atração cultural beneficiará a terceira idade
GERAL - Artistas locais levarão arte para casas geriátricas a partir do mês que vem
Samu: Regulação compartilhada deve entrar em operação até o fim do ano
SAÚDE
Campanhas estimulam a Solidariedade
GERAL
Escritora santa-cruzense lança o livro Melodia Perversa
VARIEDADES
Lifasc: Soberania dos visitantes domina
ESPORTES
Municipal Feminino: Muitos gols marcam a rodada
ESPORTES
Santa Cruz luta, mas perde nos pênaltis para o Soledade
ESPORTES
Regional 2019:Trombudo sai na frente nas semifinais
ESPORTES - Nos Aspirantes deu o Formosa contra o Unidos
Amigos do Cinema exibe Tarkovski
VARIEDADES
Associação Pró-Cultura: Vernissage abre última mostra
VARIEDADES
NOVEMBRO ROXO: Exposição dá início às atividades
SAÚDE - Hospital Santa Cruz preparou também palestra e oficina sobre o mês da Prematuridade
Cisvale debate temas expressivos para a região
GERAL
Portal Lunetas e Mercur promovem bate-papo sobre Infâncias
GERAL
Confraria Nativista: Nova diretoria será empossada
GERAL
Comissão Especial da OAB promove eventos para abordar a Reforma da Previdência
GERAL
Vacinação contra o Sarampo: Nova fase começou nesta segunda
SAÚDE
Santa Cruz tem oito escolas paralisadas
EDUCAÇÃO - Em outros sete educandários o atendimento é parcial e em quatro as atividades seguem normalmente
Noite de comemorar o fim do 34º Enart
VARIEDADES - CTG porto-alegrense e Candeeiro de Vera Cruz levaram os principais prêmios

Gratidão eterna

Osvino Toillier - 27/01/2017

Se olharmos ao nosso redor e principalmente para trás, vamos encontrar razões para nos curvarmos diante dos benfeitores de instituições, cuja memória precisa ser honrada e respeitada.

É impressionante como as circunstâncias do mundo pós-moderno estão levando as pessoas a assumirem protagonismo nas instituições, destacando os notáveis feitos da atualidade sem qualquer referência ao passado em que o suor, a dedicação e o sacrifício de pessoas de então foi decisivo para a pujança de hoje.

Por questão de humildade e respeito, a gente não pode apossar-se do legado de gerações do pretérito que escreveram capítulos heroicos, quando a realidade exigiu coragem e sacrifício para travessias épicas, em busca de sobrevivência e novas perspectivas.

Muitos desses heróis já dormem no silêncio das idades; outros, em idade avançada, ainda estão por aí e cuja memória poderia ser aproveitada para não sepultar definitivamente informações preciosas e reconstituir o passado e as circunstâncias daquele tempo.

Nada mais injusto do que se enfeitar com penas alheias! Cada tempo encerra suas próprias circunstâncias e precisa ser respeitado como tal. O escritor argentino Jorge Luís Borges deixou-nos um legado que joga luz sobre a questão: “A originalidade é  impossível. Cada nova geração escreve o mesmo poema, conta o mesmo conto. Com uma diferença: a voz”.  

Trata-se de respeito ao conteúdo do poema, mas, sobretudo, à voz. Não silenciar os protagonistas de outros tempos, para que a nossa luz possa brilhar. Temos de dirigir os holofotes sobre todos os tempos e dar vez às vozes de outras épocas, a fim de que nos contem as dificuldades que enfrentaram.

Vamos pesquisar o passado para que as crianças e os jovens possam conhecer a história de nossas instituições e cresçam com a perspectiva de identidade, que é da maior importância nos tempos líquidos.

Em outros tempos, isto era muito natural: todos conheciam a trajetória da instituição educacional, que não era apenas prestadora de serviço, mas entidade com raízes, forjada por cidadãos honrados, que não podem ser deletados, mas lembrados no panteão da memória onde as futuras gerações vão conhecer as origens e a verdadeira história.