Edição do dia 12/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Mudanças são anunciadas nas secretarias
GERAL
Dia de visitações, experiências e expectativas no Viva Unisc 2019
GERAL
Solenidade marca aniversário do General Gomes Carneiro
GERAL - Na ocasião também foi comemorada a chegada do III Batalhão ao município
Pequenas atitudes
OPINIÃO
Verrugas Estelares
OPINIÃO
Em defesa da vida
OPINIÃO
CDL aponta 800 vagas temporárias
ECONOMIA - Expectativa é de boas oportunidades de emprego para o período
ACI: Eleição ocorre hoje
GERAL
Vigilância Colaborativa: Lançamento do Programa acontece hoje
GERAL
GREVE: Polícia Civil paralisa nesta quarta-feira
POLÍCIA
Campeonato Municipal inicia no próximo dia 22
ESPORTES
AMO/Unimed VTRP: Atletas brilham pelo estado
ESPORTES
Dois times largam com vitória na estreia da Copa Lisaruth
ESPORTES
Estadual sub 19: Santa Cruz vence fora e fica perto da final
ESPORTES
Regional: São José larga na frente nas semifinais
ESPORTES
Universidade aguarda mais de cinco mil estudantes
GERAL
Bate papo: Doações por incentivos fiscais
ECONOMIA
Comdica realiza 4ª Noite Cultural na Unisc
VARIEDADES - O evento que tem entrada franca visa enaltecer projetos sociais realizados por diversas entidades

Trump assume hoje, e eu com isso?

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 20/01/2017

Assume no dia de hoje Donald Trump, 45° presidente do EUA, e a pergunta que cada um de nós poderia fazer, e eu com isso? O que parece algo distante, está mais próximo do que podemos imaginar, pois as posições assumidas por Trump não são meros arroubos de retórica, na realidade retratam de forma muito clara a forma de ver do mundo do novo presidente americano, e por consequência do muitos cidadãos americanos que ungiram pelo voto o novo/velho líder. 

Os Estados Unidos da América com sua longa trajetória constitucional sempre teve uma grande influência sobre o panorama político mundial desde sua independência no final do século XVIII, seja pelo seu poder bélico ou por sua longeva vida democrática. Na América Latina, tanto para bem como para mal, sempre esteve muito presente e de forma especial no Brasil, que teve sua primeira Constituição Republicana inspirada no texto constitucional norte-americano.

Frente ao esboço acima, a linha política dos Estados Unidos sempre interessa ao mundo, e não é diferente em relação ao Brasil, e para tanto é interessante analisarmos alguns posicionamentos já públicos do novo presidente.

O bilionário Donald Trump, que através de sua verborragia desenfreada, conservadora, preconceituosa e nacionalista, já deixou muito evidente que irá tomar medidas de controle e limitação da imigração de latinos e muçulmanos. Provalvemente irá levar à frente a construção do muro na fronteira com o México. Também ao que tudo indica irá ser adversário econômico da China, com uma provável aliança com a Rússia. Em resumo, quando no final do séc. XX e início do séc. XXI o mundo imaginava que a globalização seria elemento de rompimento de fronteiras, agora uma década após, o individualismo nacionalista retorna com toda força.

No campo da política, é inegável reconhecer que a derrota da democrata Hillary Clinton interrompeu movimentos mundiais importantes que Barack Obama havia encaminhado, seja dialogando com adversários históricos, como Cuba e Irã, como também políticas internas importantes, que tratam de temas com a discussão do uso de armas, a relação com estrangeiros legais e ilegais, as políticas públicas inclusivas dos negros, dentre outras políticas públicas que foram desenvolvidas com sucesso por Obama.

O contexto acima, deixa evidente que o presidente dos EUA, não é problema só dos americanos, mas de tudo mundo, por isso a esperança que tenho é que os estragos na democracia mundial sejam menores do que os anunciados por Trump.