Edição do dia 20/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Havan é inaugurada em Santa Cruz
GERAL - Filial santa-cruzense abriu pela primeira vez na manhã de hoje
Feriado em Santa Cruz do Sul
GERAL - Saiba como funcionarão os principais serviços nesta sexta-feira, 20
Livro Dois meninos será lançado em Santa Cruz
VARIEDADES
JTI promove a língua inglesa entre colaboradores
GERAL
Equipes da Afubra realizam avaliações nas lavouras atingidas
GERAL
100 anos Sicredi VRP: Solenidade marca os 100 anos
ESPECIAIS
100 anos Sicredi VRP: Programação intensa durante todo o ano
ESPECIAIS
Dia do Contador: A saúde financeira do seu negócio depende dele
ESPECIAIS - Conheça um pouco mais sobre a profissão do contador e sua data comemorativa
Mensagem pelo Dia do Contador
ESPECIAIS - Rugard Kanitz - presidente do Sincotec VARP
Dia do Contador: Conheça os vencedores da 6ª edição do Concurso de Redação Tributação e Cidadania
ESPECIAIS
Preservação da cultura alemã no traje oficial
VARIEDADES
As donas das flores
GERAL - O trabalho delas é cultivar a natureza que enfeita a cidade
Shopping Santa Cruz recebe convidadas para bate-papo
GERAL - Quatro mulheres estarão à frente do evento de troca de experiências
Irmãos de Axé visitam Terreiro de Candomblé na Bahia
GERAL
Galo tem jogos importantes no final de semana
ESPORTES
Copa CFC Celso abre decisão em Linha Santa Cruz
ESPORTES
Assaf encara a Assoeva no Ginásio da Unisc neste sábado
ESPORTES
SCS Skate Contest: um incentivo ao esporte
ESPORTES

Não é o GPS que vai guiar sua vida

Osvino Toillier - 13/01/2017

Estamos vivendo a realidade digital de forma impressionante e os reflexos desses novos tempos ao nosso redor: cada vez mais expostos aos impactos desta nova realidade: em lugar de uma boa conversa – a mensagem eletrônica; em lugar de um abraço, a imagem de um arquivo com incríveis variações; em lugar da solidariedade diante da dor e do luto, um filme de animação, com a invariável frase: “a vida continua”.

Na verdade, empobrecemos terrivelmente como espécie, porque nos limitamos ao envio de mensagens prontas para traduzir nossos sentimentos. E ainda temos o despropósito de perguntar se a pessoa recebeu nossa mensagem.

O que era para ser um recurso de humanização transformou-se em individualismo cruel, solidão e abandono. Nenhum clique dos nossos incríveis recursos eletrônicos tem a condição de revelar brilho do olho ou abraço de carinho quente, capaz de levantar a gente num momento de baixa autoestima, dor ou luto especialmente, diante de grandes perdas.

A vida continua com seu ritmo alucinante, e os seres humanos, tontos, perdidos com sua parafernália eletrônica, cada vez mais solitários, sem diálogo nem dentro de casa, muito menos por cima da cerca com o vizinho.

Nem é de estranhar que cada vez mais se procure ajuda com profissionais que se disponham a nos ouvir, simplesmente alguém que nos ouça, sem compromisso de nos alcançar soluções mágicas para nossos complexos problemas.

Estou cada vez mais convencido de que a solução dos nossos males está com as crianças, porque são o símbolo de pureza, candura e poesia. O convívio com nossas duas netas tem sido este espaço privilegiado, onde se inventam fórmulas mágicas de resolver os problemas do dia-a-dia ou se aprenda a não dar importância demais para eles e esperar o novo dia com novas energias e inspiração.

E a educação, em sua tresloucada corrida de encontrar soluções mágicas, fórmulas para os alunos terem melhor desempenho para aprimorar presença no ranking, talvez devesse fazer uma pausa e perguntar para crianças e jovens com o que sonham. Qual será a função da escola senão ajudar – no dizer de Rubem Alves – a descobrir a beleza adormecida em cada ser humano e abrir as avenidas fundamentais dos sonhos.

Que tal nos empenharmos para não perdermos a poesia e o encantamento da educação, em vez de seguirmos cegamente as indicações do GPS?