Edição do dia 06/12/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

A crítica social no Catolicismo
EDITORIAL
Operação Papai Noel começa na próxima Terça-feira
GERAL - A novidade é a implantação da uma base móvel, equipada com câmeras, computadores e outros dispositivos de segurança
Multi Espaço VIA 9: cultura, educação e um bom café
GERAL - O local conta com loja de artesanatos e realiza diversos eventos e atividades
Neste sábado tem Prefeitura nos Bairros
GERAL
Feira do Livro de 2020 será em maio
GERAL - Patrona, Homenageado e Personalidade Incentivadora da Leitura foram divulgados nesta sexta-feira
Secretaria de Cultura registra 172 entes e agentes culturais
POLÍTICA - Cadastro havia sido fechado em agosto, mas foi reaberto no mês passado
Força-Tarefa fiscaliza supermercado no centro
GERAL - Ação realizou a segunda operação do grupo em Santa Cruz nesta semana
Campanha realiza exames preventivos gratuitos de câncer de pele neste sábado
SAÚDE - Os atendimentos acontecem das 9h às 15h, no Ambulatório do COI do Hospital Ana Nery
Greve do Magistério atinge mais de 1,5 mil escolas
EDUCAÇÃO - Com 80% de participação da categoria, a greve é considerada histórica
Economista dá dicas para utilizar o 13ºsalário
ECONOMIA - O pagamento é uma oportunidade para colocar as finanças em dia, afirma Silvio Cezar Arend
Cartório ainda aguarda mais de 30 mil para recadastramento biométrico
GERAL
Inscrições abertas para o Educar-se nas Férias 2020
EDUCAÇÃO
Alta no preço da carne resulta no aumento da Cesta Básica
ECONOMIA
Saiba os dias de abertura do comércio neste Natal
GERAL
Novo Cabrais: Bryan é mais um ganhador da promoção
GERAL
Novo Cabrais: Escolinha ACF é campeã geral da Uef Cup
ESPORTES
Abertura da Christkindfest acontece hoje
VARIEDADES - Programação se estende até o dia 22 de dezembro, com atividades artísticas e culturais e Casa do Papai Noel
Storch Contabilidade conta com novas e modernas instalações
GERAL

Muros e cercas - 2

Osvino Toillier - 17/02/2017

Pois é, julgávamos um absurdo manter o povo confinados em seu território, rigidamente policiado, sem poder atravessar a fronteira para outros países. 

Foi a experiência mais marcante da minha vida em 1989, quando ingressei no território da então República Democrática Alemã, e o trem, vindo de Frankfurt, foi parado na fronteira e a tripulação, substituída pelos guardas da Stasi – polícia comunista – que nos conduziria até Berlim, com rigorosa vigilância no decorrer de todo o percurso, inclusive com cães e revista a bordo, sendo necessário visto de trânsito.

Fui alertado a não tirar fotos na viagem, sob pena de ter o equipamento apreendido. Em nosso compartimento, viajava uma moça que começou a chorar quando o trem se aproximava da estação: ela voltava para casa, de onde não poderia mais sair.

Estas lembranças voltam à memória depois da lamentável decisão do Presidente Donald Trump de decretar a construção de um muro para separar os Estados Unidos do México, a fim de evitar a entrada de cidadãos no território americano. 

A perplexidade dos próprios americanos e a reação mundo afora demonstram o sentimento de rejeição e revolta contra esta estapafúrdia decisão, que está na contramão dos tempos atuais, em que dirigentes se unem e dialogam sobre aproximação dos povos, para superar antigas dissensões e sepultar a memória de conflitos que custaram a vida de milhões de pessoas, especialmente nas duas guerras mundiais. 

Ensinam-nos os historiadores que quem não conhece a história está condenado a repeti-la. Parece que o passado traumático, com milhões de vítimas, está sendo esquecido, por conta da estupidez do líder da maior potência mundial, apenas para defender os alegados interesses e proteger o povo americano. 

Quem já viajou para os Estados Unidos sabe do rigor das autoridades de imigração; imaginem agora! Mesmo com visto, não há nenhuma garantia de que o ingresso no país esteja garantido. Ressuscita-se antiga tensão, semelhante à da travessia do Muro de Berlim, quando as autoridades podiam simplesmente negar, na hora, o acesso ao país, humilhando indefesos visitantes. 

Espero sinceramente que não seja o ponto final na política externa americana e volte a reinar o bom senso.