Edição do dia 15/08/2017

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Sub-15 do Cestinha é campeão Sul-Brasileiro de Clubes de 2017
ESPORTES - Projeto do Sesi e da Unisc conquistou título em Caxias do Sul
POE prende foragidos da justiça em Santa Cruz
POLÍCIA - Brigada Militar realizou duas prisões na tarde desta quarta, de pessoas que estavam procuradas
Avenida renova com treinador do Acesso
ESPORTES - Fabiano Daitx vai comandar o Periquito também na Série A
Santa Cruz do Sul recebe a 4ª etapa do Brasileiro de Endurance
ESPORTES - Prova de longa duração acontecerá neste sábado, dia 19 de agosto
Começam nesta quarta-feira as semifinais da Copa do Brasil
ESPORTES - Olhares gaúchos estão voltados para Grêmio x Cruzeiro, na Arena
Detran recicla 395 toneladas de sucata em Osório e Candelária
GERAL - Material de quase 800 veículos será reciclado
Brigada Militar apreende máquinas caça-níqueis
POLÍCIA - Bar em Venâncio Aires disponibilizava três dispositivos de jogos de azar aos seus usuários
Acesso Grasel receberá mais um trecho para acostamento
GERAL - Prefeitura de Santa Cruz realiza a obra na lateral da principal via de acesso à cidade
TCE-RS determina redução na cobrança da tarifa de ônibus intermunicipal
ECONOMIA - Agência reguladora identificou cobrança ilegal de taxa de embarque para quem não pega o ônibus na rodoviária
Centro de Triagem de presos começa a operar em Porto Alegre
POLÍCIA - Estado anunciou prazo para construção de mais duas unidades prisionais

Nosso tempo

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 04/08/2017

Na infindável roda do tempo, em todas as épocas, sempre houve e sempre haverá pelo homem o questionamento sobre os limites na capacidade de descobertas e todas as possibilidades do universo e sua relação com a vida.

Talvez estejamos passando por um momento da história jamais visto, e a resposta mais próxima do acerto deve ser que não há limites sobre tudo que ainda nos espera. Se observarmos os últimos 30 anos, os movimentos mundiais nos indicam de que não há limite na capacidade instalada de novas descobertas no campo científico. 

Tal voracidade no campo das descobertas atinge todos os seres vivos ocupantes do globo terrestre, em especial o “bicho” homem, que muitas vezes, num misto de deslumbramento e insegurança encontra-se no centro deste turbilhão de mudanças, das quais quase nunca tem participação, senão como mero espectador/consumidor, à mercê do grande mercado mundial dominado por especialistas que ditam as novas descobertas, e por consequência as novas formas da busca da inalcançável felicidade.

Mas como ficamos nós, meros mortais, cristãos, espíritas, budistas, e tantos outros credos, que formamos a compreensão de mundo que temos, frente ao quadro de total impotência que se apresenta?

O que se observa em paralelo ao crescimento tecnológico é que há um avanço pela busca da espiritualização, onde as religiões neopentecostais estão tendo um crescimento enorme com seus templos e também nos setores dos meios de comunicação e na política. Há um contingente enorme de pessoas bem intencionadas, que na solidão de suas angústias buscam respostas para perguntas que não podem ser respondidas, porque as respostas infelizmente não existem, e por isto são presas fáceis de muitos falastrões que fazem uso da fragilidade da razão humana, vendendo promessas que nunca serão cumpridas, mas mesmo assim, cada dia mais estão tendo enorme influência sobre milhões.

Opino no sentido que devemos nesta frenética marcha relativizar todas as verdades que já nos foram ditas, bem como aquelas que nos são apresentadas todos os dias. Não há, e talvez nunca houve, espaço para verdades absolutas, sejam elas religiosas, políticas, científicas ou sociológicas. O que temos para o momento é um caldeirão de informações que não estão tendo o devido tempo para serem decodificadas, com advertência de seus efeitos colaterais, e por tal razão, o risco de leituras equivocadas seja provável.