Edição do dia 15/08/2017

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Sub-15 do Cestinha é campeão Sul-Brasileiro de Clubes de 2017
ESPORTES - Projeto do Sesi e da Unisc conquistou título em Caxias do Sul
POE prende foragidos da justiça em Santa Cruz
POLÍCIA - Brigada Militar realizou duas prisões na tarde desta quarta, de pessoas que estavam procuradas
Avenida renova com treinador do Acesso
ESPORTES - Fabiano Daitx vai comandar o Periquito também na Série A
Santa Cruz do Sul recebe a 4ª etapa do Brasileiro de Endurance
ESPORTES - Prova de longa duração acontecerá neste sábado, dia 19 de agosto
Começam nesta quarta-feira as semifinais da Copa do Brasil
ESPORTES - Olhares gaúchos estão voltados para Grêmio x Cruzeiro, na Arena
Detran recicla 395 toneladas de sucata em Osório e Candelária
GERAL - Material de quase 800 veículos será reciclado
Brigada Militar apreende máquinas caça-níqueis
POLÍCIA - Bar em Venâncio Aires disponibilizava três dispositivos de jogos de azar aos seus usuários
Acesso Grasel receberá mais um trecho para acostamento
GERAL - Prefeitura de Santa Cruz realiza a obra na lateral da principal via de acesso à cidade
TCE-RS determina redução na cobrança da tarifa de ônibus intermunicipal
ECONOMIA - Agência reguladora identificou cobrança ilegal de taxa de embarque para quem não pega o ônibus na rodoviária
Centro de Triagem de presos começa a operar em Porto Alegre
POLÍCIA - Estado anunciou prazo para construção de mais duas unidades prisionais

Sentimento de não ser amado

Osvino Toillier - 11/08/2017

Madre Teresa de Calcutá é religiosa católica, de etnia albanesa, que dedicou mais de vinte anos aos pobres e enfermos em Calcutá, na Índia, tendo sido recebido o Prêmio Nobel da Paz em 1979, por sua obra missionária e em favor dos mais necessitados.

Foi uma pessoa que não se intimidou diante dos poderosos, denunciando a hipocrisia do mundo diante do sofrimento humano e a doença de milhões de pessoas, sem acesso a tratamento digno e medicamentos para a cura.

Madre Teresa deixou um legado de vida imperecível e o que efetivamente fez pelas pessoas mais sofridas, especialmente tuberculosos e leprosos em Calcutá, a quem não poupou esforços e dedicação para ajudá-los. Lembrando o povo sofrido, afirmou certa vez: “Durante esses vinte anos de trabalho no meio do povo, comecei a compreender, cada vez com maior clareza, que a pior enfermidade de nossos dias não é a lepra ou a tuberculose, mas sim a falta de afeto, a sensação de não ser querido e de não ser amado pelos outros”.

Talvez seja esta a grande desgraça do nosso tempo: o sentimento de que ninguém se importa com as crianças, com os jovens e, principalmente, os idosos. Esse quadro provoca solidão, abandono, depressão, e é o que contribui para o alto índice de suicídios, especialmente entre os jovens.

Parece que a psicologia do mercado tomou conta de tudo, e esquecemos o sentimento das pessoas, a necessidade de companhia, apoio nos momentos mais difíceis, especialmente doença, luto, enfim, os dramas da vida de cada um, que requerem disposição em ajudar e dar apoio.

Madre Teresa disse: “Acredito que o mundo sofre muito, porque existe tão pouco amor no lar e na vida familiar. Não temos tempo para nossas crianças, não temos tempo para darmos uns aos outros, não temos tempo para apreciarmos uns aos outros.”