Edição do dia 21/06/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Série Ouro de Futsal: Assaf perde primeira como mandante
ESPORTES - Tricolor jogou em Vale Verde e foi derrotado por 5x3
Copa Cidade Miller define os playoffs
ESPORTES - Competição encerrou a fase classificatória
Aliança goleia São José e cresce na Copa CFC Celso
ESPORTES - Mobilização é pela realização da primeira etapa da Olimpíada Rural, no próximo domingo
Troca de mensagens: Sergio Moro adia ida à Câmara
POLÍTICA - Ministro viajou para os Estados Unidos no último fim de semana e não comparecerá à audiência pública
Seleção feminina cai na prorrogação diante da França
ESPORTES - Brasil foi eliminado nas oitavas de final da Copa do Mundo
Avenida perde nos pênaltis e está fora da Série D
ESPORTES - Caxias classificou-se dentro dos Eucaliptos com vitória nas penalidades por 6 a 5
Brasil goleia Peru e jogará quartas de final na Arena do Grêmio
ESPORTES - Time brasileiro ficou com o primeiro lugar do Grupo A da Copa América
Copa Cidade tem três jogos no final de semana
ESPORTES - Rodada conta com os últimos confrontos da fase classificatória
Patinação: Copa XLise e Festival 25 anos movimentam Poliesportivo
ESPORTES - Evento ocorre neste sábado e movimenta patinadores de todo o Estado
Mais de 10 mil peças para aquecer os cabraisenses
GERAL - Distribuição das roupas arrecadadas ocorreu nesta terça-feira (18) para centenas de famílias moradoras de Novo Cabrais
Lixo eletrônico será recolhido na terça
GERAL - Mutirão da prefeitura vai passar por todas as localidades para coletar os materiais e dar o destino correto aos mesmos
Ipiranga leva a livre e Associação conquista o veterano
ESPORTES - Novo Cabrais conheceu os campeões do municipal de futebol sete, na última sexta-feira, no Centro Desportivo Municipal
Bela Vista e Flamengo jogam nesta sexta
ESPORTES
Copa Feminina: Brasil pega a França
ESPORTES
Série Ouro: Assaf faz parceria e vai jogar em Vale Verde
ESPORTES
Copa América: Diante do Peru, tentativa de reação
ESPORTES - Seleção Brasileira passa por fase de incertezas. Em 1989, time superou dificuldades
São Martinho é campeão em Monte Alverne
ESPORTES
Série D do Brasileiro: Avenida precisa de vitória simples
ESPORTES - Torcida deverá lotar o Estádio dos Eucaliptos, domingo, às 16h, contra o Caxias, valendo classificação

O império da truculência

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 18/08/2017

Os Estados Unidos da América com sua longa trajetória constitucional sempre teve uma grande influência sobre o panorama político mundial desde sua independência no final do século XVIII, seja pelo seu poder bélico ou por sua longeva vida democrática. Na América Latina, tanto para bem como para mal, sempre esteve muito presente e de forma muito forte no Brasil, que teve sua primeira Constituição Republicana inspirada no texto constitucional norte americano.

Mas os efeitos colaterais da eleição dos Estados Unidos na eleição do truculento Donald Trump não tardaram chegar, pois nesta semana os americanos desenterraram um fantasma que o mundo imaginava já não mais existir, ao menos nas proporções que veio à tona, que é o racismo na sua essência. 

O primeiro ponto a ser observado que o  Presidente eleito dos EUA, o bilionário Donald Trump, através de sua verborragia desenfreada conservadora e preconceituosa atingiu o eleitorado que se identificou com tal pregação, em razão das mais variadas motivações, mas em especial pela lógica de que os problemas da América estão relacionados aos imigrantes e negros, pois, segundo tal visão, o povo americano puro não merece retoques em sua conduta. Trump faz tal discurso de forma histriônica, pois sua conduta atingiu setores conservadores de uma sociedade com histórico racista, e que quando estimulada traz à tona está genealogia ainda muito presente na cultura americana, portanto, a semente foi lançada. 

A truculência de seu discurso encantou cidadãos que ainda acreditam que o problema da América são os latinos, negros, gays, muçulmanos, dentre outras minorias. Diga-se que o movimento da Virgínia agora diz ser o responsável pela vitória de Trump, e por tal motivo estão cobrando a fatura daquele que foi inspirador do retrocesso, que talvez poucas pessoas acreditassem ainda ser possível em pleno século XXI.  

Agora Trump, faz um  discurso de contrariedade ao movimento racista, como se fosse possível esconder a real opção conservadora  e retrógrada que sempre irá conduzir seus atos, tanto é que a primeira opção de diálogo com a Correia do Norte, foi ameaçar com “ fúria e fogo” o País asiático também governado por um insano. Ou seja, o mundo corre risco eminente de repetirem-se atrocidades do passado, em razão líderes que chegaram ao poder pregando o ódio, algo impensável há uma década atrás.   

Com o contexto acima, percebe-se que a eleição dos EUA, atingiu a forma de sentir e perceber das relações de poder entre sociedade e estado, principalmente no que diz respeito na compreensão das conquistas da democracia, sendo que a aposta no diálogo e na tolerância das diferenças foi vencida pela violência e truculência.