Edição do dia 13/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Solidariedade declara apoio a Telmo
POLÍTICA
Saiba como ter desconto especial no IPTU do ano que vem
GERAL
A Hipnose pode auxiliar no autodesenvolvimento de forma eficaz
EMPRESARIAL - Especialista desmistificou tema e apontou benefícios da técnica no Café Empresarial
Reforma Tributária é tema da apresentação de Rigotto em Santa Cruz
GERAL
Dada a largada para a Semana Farroupilha
GERAL - Abertura aconteceu no Parque de Eventos na manhã desta sexta-feira
Fórum atrai dois secretários de Estado a Santa Cruz do Sul
GERAL - Representantes de todas as 28 regiões estiveram na Unisc nessa quinta-feira
Lino e Laila serão tema do Novo Cemai
GERAL
Aulas de autoescola com ou sem simulador de direção?
GERAL
Sessão especial para o ensino médio
VARIEDADES
Estudante de Santa Cruz conquista certificado de excelência internacional
EDUCAÇÃO
RGE instala aquecedores solares nas residências de 150 famílias
GERAL
Embarques devem superar os US$ 2 bilhões
GERAL
Depressão deve ser tratada no início, afirma especialista
ESPECIAIS - Mulheres sofrem de depressão duas vezes mais do que os homens
Tributo a Herb Alpert é hoje
VARIEDADES - Teatro do Mauá recebe apresentação às 20h
Sociedade Ginástica: Jantar Baile marca comemoração dos 126 anos
EMPRESARIAL
Farmácia Municipal reabre na segunda no novo prédio
SAÚDE
Grupo Tholl traz Casinha de Chocolate
VARIEDADES
18,2 mil exemplares foram vendidos
VARIEDADES - Além do sucesso em vendas, o público também compareceu e lotou a Praça Getúlio Vargas

Reforma política

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 01/09/2017

O momento político atual sem dúvida têm sido um laboratório para que temas políticos sejam discutidos, mesmo que involuntariamente por setores importantes, pois muitos cidadãos, por mais alheios que sejam a política e seus meandros, acabam sendo atingidos pelos debates noticiados pelos meios de comunicação e redes sociais. Talvez seja o País que esteja vivenciando o momento mais democrático de sua história, ao menos no que diz respeito ao número de pessoas que estão sendo informadas sobre os fatos políticos que ocorrem diariamente.

Nesta linha, a reforma política que está em andamento no Congresso Nacional, certamente muito pouco irá alterar o atual cenário representativo dos Poderes Legislativos em nosso País. Seja o “distritão”, voto distrital misto, voto em lista, candidatura individual, financiamento de companhas, limites de partidos dentre outras alterações focam exclusivamente nas candidaturas e nos partidos, sendo que o eleitor e suas escolhas não são objeto de discussão.  

Milhões de brasileiros manifestam sua inconformidade com grande parcela de deputados federais, que de certa forma pode ser considerado algo positivo, pois o parlamento federal sempre foi algo muito distante da compreensão política da grande maioria do povo brasileiro, tanto que grande maioria dos eleitores não lembra em quem votaram na última eleição. 

Em um estudo interessante elaborado pela Agencia Pública, disponível no site: http://apublica.org/, intitulado “As Bancadas da Câmara”, foi feito um levantamento das bancadas do Parlamento Brasileiro, e suas afinidades com temas e setores da sociedade brasileira, o que deixa inequívoco quem são as forças nem tão ocultas que influenciam o Parlamento Nacional. Segundo o levantamento, a bancada dos empreiteiras e construtoras tem 226 deputados, a evangélica 196, a agropecuária 207, as dos parentes 238 (dep. que tem algum parente na política) e empresarial 208, dentre outras bancadas menores com a da “bala, da bola, direitos humanos).

A informação acima demonstra que a representação popular fruto da supremacia do voto livre e universal, encontra a muralha do poder econômico trazida nas bancadas muito bem articuladas, e que antes de tudo devem satisfação aos seus financiadores o que justifica de forma muito clara a crise de representatividade do Parlamento Nacional. Não se questiona a legitimidade das sociedade civil organizada ter representação parlamentar, mas não pode ocorrer um desequilíbrio tamanho que faça com que os interesses defendidos no parlamento sejam direcionados exclusivamente ao poder econômico. 

Assim, temas como limites de mandados no legislativo, educação política no sistema de ensino, cláusula de barreira para partidos e financiamento público de campanhas talvez seriam temas que poderiam alterar o atual quadro difícil que atravessam os parlamentos do País.