Edição do dia 15/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

CTG Lanceiros evidencia os direitos da Mulher
VARIEDADES
Inicia mais um Enart
GERAL - A 34ª edição do evento reúne em Santa Cruz do Sul os apaixonados pela cultura gaúcha
ACI: Gabriel Borba é aclamado presidente
GERAL - Ele estará à frente da entidade junto com o vice, César Cechinato, para o biênio 2020-2021
Copa Lisaruth 20 anos tem segunda rodada
ESPORTES
Cestinha Sesi/Unisc disputa o 2º turno das semifinais
ESPORTES
O Avenida ainda não confirmou a sua participação na Divisão de Acesso
ESPORTES
Dia de confirmar classificação
ESPORTES
Regional 2019: Fim de semana tem clássico em Vale do Sol
ESPORTES
Solled Energia ganha o principal prêmio brasileiro do setor
EMPRESARIAL
Secult abre novo prazo para cadastro de entes culturais
VARIEDADES
Marista São Luís é destaque e traz prêmios a Santa Cruz Do Sul
ESPORTES - Somente no Maristão, realizado em Porto Alegre, Colégio conquistou sete premiações
Excelsior: Casa do Cliente foi inaugurada
EMPRESARIAL
Por mês, operação do Rapidinho gera 94 mil advertências
GERAL - Valores ficam pendentes no sistema e precisam ser regularizados pelos usuários
Disputa das finais inicia neste sábado
ESPORTES - Campeões serão conhecidos após jogos de ida e volta nas categorias veterano, feminino e livre
Saúde recebe R$ 150 mil da Câmara
SAÚDE
Mostra do Cerest tem trabalho desenvolvido em Novo Cabrais
GERAL
Palestra debate o Direito sucessório do cônjuge e da união estável
GERAL
Persuasão interna é o caminho para a alta performance
GERAL

O deboche pela vida

Osvino Toillier - 08/09/2017

O que vale a vida no contexto de algumas cidades brasileiras atualmente? O título e a pergunta são decorrentes da realidade trágica vivida pelos policiais no Estado do Rio de Janeiro: 100 policiais assassinados apenas neste ano!
A sociedade é hipócrita: exige atitude dos policiais em defesa das pessoas, mesmo com risco da própria integridade, mas com armamento defasado e coletes vencidos. Pode isto?
Que sociedade somos nós, que nos escondemos em nossas fortalezas e exigimos proteção dos policiais, sem lhes dar a mínima condição de assegurar proteção para sua atividade profissional! E aí vem o perverso discurso oficial que se esconde atrás da estatística, tentando convencer os incautos cidadãos de que o índice da criminalidade está baixando, que o roubo de cargas está sendo combatido, sem se importar com a dor de cada família que chora a perda brutal de um ente querido, abatido covardemente pelos bandidos, em emboscadas, na frente de casa, quando não diante da família!
Guerra? Sim, guerra! Mas guerra suja, promovida por bandidos, traficantes, que cresceram por conta da omissão do Estado e descaso das autoridades. Já não há mais condições de acabar com o narcotráfico, não há mais possibilidade de fazer limpa geral. Perdemos a guerra contra a violência! O que nos resta é demarcar território, combater os poderosos chefões do tráfico e agir com rigor para proteger nossos valorosos agentes da lei, dar-lhes condições materiais para se protegerem e apoio moral para serem valorizados em sua perigosa missão. 
A sociedade espera atitude firme e corajosa em apoio às famílias das vítimas e especialmente em memória dos que tombaram. É o mínimo que se deve fazer para confortar as famílias, que perderam seus amados, barbaramente assassinados por quem não tem um mínimo respeito à vida.