Edição do dia 17/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Conselho lança o Polo dos Vales
GERAL
ENTRE QUATRO: Encenação acontece hoje e amanhã
VARIEDADES
RECEITA FEDERAL: Nova sede atenderá a partir de 8 de outubro
GERAL - Além da Delegacia da Receita Federal, a Procuradoria Geral da Fazenda também deve ocupar o espaço
Fentifumo inicia pauta de negociação
GERAL - Primeira reunião com a Federação e os Sindicatos ocorre na próxima quinta-feira
Otelio Drebes realiza palestra a professores
EDUCAÇÃO
Semana do Ministério Público começa hoje
GERAL - Promotores do caso Bernardo Boldrini estarão presentes
Reunião sobre Plantas Biotivas inicia hoje
GERAL
Prefeitura lança Alvará Digital
GERAL - A partir de agora, o documento pode ser feito em poucas horas, sem precisar sair de casa
Educar-se e Centro de Línguas promovem imersão bilíngue
EDUCAÇÃO
Sincotec-Varp realiza capacitação nesta quarta
GERAL
Projeto vai apresentar Santa Cruz e a 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Nos dois sábados da Festa da Alegria, ônibus sairão de Porto Alegre, Caxias do Sul e Santa Maria
Presidente dos Festejos Farroupilhas destaca a importância da cultura gaúcha
VARIEDADES
Tchê Bistrô e Arte: enaltecendo a tradição gaúcha
VARIEDADES
A força buscada nos versos
VARIEDADES
Cavalos passarão por inspeção antes do desfile
VARIEDADES - Além da Guia de Transporte Animal (GTA), será exigida apresentação de comprovantes para verificar as condições de saúde do animal
CTG de Paredão entregará 500kg em doações
VARIEDADES
Segurança Pública será reforçada em 36 municípios
POLÍCIA - Municípios da região receberão um total de aproximadamente R$ 2 milhões
Assaf vai encarar a Assoeva nas quartas de final
ESPORTES

A Educação pede Socorro

Valério Garcia - 08/09/2017

“Um país se faz com homens e livros” (Monteiro Lobato..). Há muito tempo vimos o exemplo de países que sucumbiram pelas guerras, terremotos e outras catástrofes, e se refizeram. Isto se deu através de investimentos maciços na área da Educação. E não poderia ser diferente pois, quanto mais culto e intelectualizado o seu povo, mais rápido e constante será o retorno do progresso. O que verdadeiramente emancipa um povo é o seu conhecimento. Procurar a combinação entre o saber acadêmico dos jovens, mediado pelo saber popular dos mais velhos, é garantia de sucesso.
Apesar de estar na gestão educacional hoje, nunca esqueci da minha verdadeira e primitiva profissão que é o magistério. Entendo os meus colegas só pelo olhar e procuro sempre me colocar no lugar deles, antes da tomada de qualquer decisão que envolva nossa categoria. Quem trabalha comigo sabe o que estou dizendo e pode apresentar o contraditório se achar verdadeiro.
Para se chegar ao tão sonhado título de professor na educação pública, por exemplo, devemos estudar bastante: no mínimo 9 anos no Ensino Fundamental, 3 anos de Ensino Médio e 5 anos de Licenciatura; isto sem reprovar em nenhuma disciplina. Nem falo de creche e pré-escola. Após, realizar concurso público, logrando aprovação com prova escrita e de títulos. A caminhada não é fácil, com grande concorrência. Sem falar quando estudamos mais para garantir títulos de especialista em pós graduação, mestrado ou doutorado. É uma vida acadêmica para estarmos preparados ao grande desafio da educação que é levar, trocar, mediar o conhecimento aos filhos das pessoas. Colaborar, em muito, para que num futuro próximo, tenham sucesso em suas vidas, tanto na parte pessoal, quanto na profissional.
Como nos diz o saudoso Mário Quintana: “Vivemos tempos bicudos..”. Os municípios estão sofrendo cada vez mais com a diminuição dos recursos vinculados, sendo estes na maior parte, abocanhados pelo Estado e pela União. Dos impostos que pagamos, a menor parte fica com os municípios. Quem mais faz, é quem menos recebe... E os escândalos não param de surgir todos os dias, nas mais variadas faces político partidárias. Mesmo assim, tentam iludir as pessoas, colocando a culpa em apenas alguns; mas o povo está cansado de ser enganado e as pessoas estão abrindo seus olhos e ouvidos (quero acreditar nisto). 
Mas, o pior de tudo, é você trabalhar incessantemente e, no final do mês, não receber o que tem direito. Isto é indigno e revoltante para aqueles profissionais que zelam pelos nossos/seus filhos. Triste realidade que espero que seja, urgentemente, mudada.
Bom final de semana.