Edição do dia 11/12/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Regional 2019: Bom Jesus fica com o título inédito
ESPORTES
Fernando Jr. vence em Interlagos e é campeão da Master
ESPORTES
Copa Lisaruth 20 anos: Dois empates e uma goleada
ESPORTES
Tudo pronto para III Abertura Oficial da Colheita do Tabaco
GERAL - Evento acontece nesta sexta, 13 de dezembro, na propriedade de Jeferson Stertz, em Arroio do Tigre (RS)
Instituto forma jovens em empreendedorismo e gestão rural
GERAL
Ginástica Rítmica é campeã estadual de 2019
ESPORTES - Aluna Alice Silva foi reconhecida como a Ginasta Destaque da GR
Presidente da Câmara Brasil-Portugal reúne-se com Eduardo Leite
GERAL
Funcionalismo quer retirada do Pacote de Leite
GERAL
Câmara aprova ampliação da lei para CCs do Legislativo
GERAL
Projeto Guarda-Costas certifica 64 alunos das escolas Leonel Brizola e Rauber
GERAL
Danton Oestreich na Casa das Artes
VARIEDADES
Centro Cultural 25 de Julho: Natal com arte e cultura germânica
VARIEDADES
Christkindfest: Praça Getúlio Vargas entra no clima de Natal
VARIEDADES
Carreteiro Solidário beneficia 3,4 mil pessoas
GERAL
Café Empresarial: Mercado de ações cresce como opção de investimento
EMPRESARIAL
Concerto de Rock ao Entardecer é hoje
VARIEDADES
Entre bebidas e ideologias, a arte como cabresto espiritual
OPINIÃO
Sejamos a diferença
OPINIÃO

Quem será o candidato do partido da Lavajato?

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 08/09/2017

A Lavajato é hoje uma das principais forças políticas do país, embora seus representantes se digam desvinculados da política. Aliado ao Partido da Mídia, o Partido da Lavajato ajuda a ditar os rumos do país. Nenhum deles recebeu um voto sequer. 
Os integrantes da Lavajato foram fundamentais no golpe contra a Presidente Dilma. Seu papel político é relevante, mas até agora não assumiram sua condição partidária. Sob o manto da justiça, sentem-se livres para falar em moralidade e não se constrangem com sua remuneração acima do teto legal de 33 mil reais. 
A Lavajato maculou a sagrada expectativa do povo de que a justiça se baseia em provas e se aplica a todos. É o símbolo da esculhambação que resultou da judicialização da política e da politização do judiciário. Não precisava ser assim, mas está sendo. 
A lista dos abusos e desmandos da Lavajato é longa, mas o fato é que ela contou com o apoio da maioria da população e mesmo agora, depois de muitas ações mal explicadas, parte dos cidadãos ainda acredita nessa operação judicial.
Sendo assim, será muito bom para o país que algum dos representantes da Lavajato assuma abertamente seu papel político e seja candidato à Presidência da República. Pode ser o juiz Sergio Moro, o procurador Carlos Fernando Lima, o procurador Deltan Dallagnol ou o procurador geral Rodrigo Janot. Qualquer um poderá tentar nos mostrar porque um partido de justiceiros é melhor que outros partidos. 
O candidato escolhido poderá tentar explicar coisas inexplicáveis. Por exemplo, porque aceitam-se delações sem provas contra lideranças do PT, acirrando o clima de ódio criado pelos movimentos direitistas fascistas. Poderá explicar porque Moro condenou Lula sem um fiapo de prova e nada aconteceu diante das provas contra Aecio, Jucá e cia. Porque ajudaram a quebrar empresas investigadas, ao invés de punir os envolvidos em corrupção, produzindo levas de desempregados. E muito mais.
Quando parte da justiça está politizada nada melhor que essa parte assuma abertamente suas posições. Será ótimo para a democracia que a Lavajato tenha um candidato. O voto do povo dirá se esse tipo de justiça partidarizada deve prosseguir.