Edição do dia 13/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Solidariedade declara apoio a Telmo
POLÍTICA
Saiba como ter desconto especial no IPTU do ano que vem
GERAL
A Hipnose pode auxiliar no autodesenvolvimento de forma eficaz
EMPRESARIAL - Especialista desmistificou tema e apontou benefícios da técnica no Café Empresarial
Reforma Tributária é tema da apresentação de Rigotto em Santa Cruz
GERAL
Dada a largada para a Semana Farroupilha
GERAL - Abertura aconteceu no Parque de Eventos na manhã desta sexta-feira
Fórum atrai dois secretários de Estado a Santa Cruz do Sul
GERAL - Representantes de todas as 28 regiões estiveram na Unisc nessa quinta-feira
Lino e Laila serão tema do Novo Cemai
GERAL
Aulas de autoescola com ou sem simulador de direção?
GERAL
Sessão especial para o ensino médio
VARIEDADES
Estudante de Santa Cruz conquista certificado de excelência internacional
EDUCAÇÃO
RGE instala aquecedores solares nas residências de 150 famílias
GERAL
Embarques devem superar os US$ 2 bilhões
GERAL
Depressão deve ser tratada no início, afirma especialista
ESPECIAIS - Mulheres sofrem de depressão duas vezes mais do que os homens
Tributo a Herb Alpert é hoje
VARIEDADES - Teatro do Mauá recebe apresentação às 20h
Sociedade Ginástica: Jantar Baile marca comemoração dos 126 anos
EMPRESARIAL
Farmácia Municipal reabre na segunda no novo prédio
SAÚDE
Grupo Tholl traz Casinha de Chocolate
VARIEDADES
18,2 mil exemplares foram vendidos
VARIEDADES - Além do sucesso em vendas, o público também compareceu e lotou a Praça Getúlio Vargas

Senado 2x0 STF

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 20/10/2017

“Houve um momento em que a maioria de nós brasileiros acreditou no mote de que a esperança tinha vencido o medo. Depois, nos deparamos com a ação penal 470 e descobrimos que o cinismo venceu a esperança. E agora parece se constatar que o escárnio venceu o cinismo”. Ministra Cármen Lúcia do STF, em 25.11.2015, em voto que decidiu a prisão do ex-senador Delcídio do Amaral.

Nas últimas duas semanas que passaram a nação pôde assistir mais um embate entre a Câmara Alta do Legislativo-Senado - versus a mais Alta Corte do Poder Judiciário do País. E o resultado final é de que novamente o Senado impôs sua vontade sobre o Supremo Tribunal Federal, que de forma constrangida julgou procedente a ação que tratava sobre a necessidade do Supremo consultar a Casa Legislativa na hipótese de imposição de alguma restrição penal ao parlamentar no exercício de seu mandato. Diga-se que tal processo foi colocado em pauta pela Ministra Carmen Lúcia em razão do Senado ter se posicionado fortemente contrário a decisão que atingiu o intocável Aécio Neves, proferida em sede de liminar pelo Ministro Edson Fachin.
É importante lembrar que no caso do Senador Renan Calheiros, que havia sido afastado liminarmente de seu cargo pelo Ministro Marco Aurélio Mello, em 05.12.2016, a situação foi ainda pior, pois o Senador não recebeu o oficial de Justiça do Supremo, e negou-se de forma contundente a respeitar a decisão Judicial, que foi providencialmente reformada pelo plenário em 07.12.2016, mantendo Renan na Presidente do Senado, 1 x 0 para o Senado.
Agora, frente a uma nova polêmica, o Supremo dividido ao seu extremo, a Presidente Cármen Lúcia, tão eloquente na prisão do Delcídio, (conforme trecho do voto acima transcrito), votou de forma constrangida e confusa, tendo que inclusive ser auxiliada pelo Decano Celso de Mello, que acabou ditando o voto para a Presidente, sendo que deixou claro em seu voto que não iria apostar em nova desobediência de alguns membros importantes da Câmara Alta, 2 x 0 para o Senado. 
Os episódios acima relatados demonstram de que a Suprema Corte saiu desgastada, em razão de cada membro do colegiado da Corte, interpretar a Carta Constitucional ao seu modo, e a partir de tal visão emitem decisões liminares que colocam os Poderes em choque, o que em nada contribui para a democracia, ao contrário, não pode o Poder Judiciário prometer o que não pode cumprir. As duas decisões acima mencionadas dão a clara dimensão do desgaste que o poder teve.
Já em relação aos fatos que envolvem o Senador Aécio, o Senado demonstrou que o mesmo ainda é muito poderoso, pois revogou a decisão do Supremo, fato talvez inédito na história da República, o que deixa evidente que o tal do pau do Francisco que tanto falam ultimamente nem sempre bate no Chico.