Edição do dia 22/02/2020

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Brasil confirma primeiro caso de Coronavírus
SAÚDE - Um homem de 61 anos, morador de São Paulo, foi infectado durante viagem à Itália
Serviços são alterados neste Carnaval
GERAL
Crime de importunação sexual tem pena de até cinco anos de reclusão
ECONOMIA
Avenida joga amistoso na tarde deste sábado nos Eucaliptos
ESPORTES
Sistema usado no HSC é eleito melhor prontuário eletrônico da América Latina
GERAL
Prefeitura inicia melhorias no campo do Bom Jesus
ESPORTES - Investimentos serão realizados para implantação de novo gramado e iluminação
Edemilson pede demissão da prefeitura
GERAL - Secretário de Cultura deverá assumir compromissos pessoais com produções culturais
Locomotiva: os passos para a revitalização
VARIEDADES - O monumento estava em Canoas, antes de ser trazido para Santa Cruz, em 2015
Mistura de enérgico com álcool pode ser perigosa
GERAL - Cardiologista não recomenda realizar a combinação das bebidas, pois pode causar graves danos ao organismo e dependência
Sihmatel: 22 anos de tradição
EMPRESARIAL - Empresa está em novo endereço, com espaço mais amplo para melhor atender seus clientes
Avenida joga amistoso na tarde deste sábado nos Eucaliptos
ESPORTES - Técnico quer ajustar equipe para estreia dia 1º de março em Rio Grande
Caxias e Grêmio decidem primeiro turno na serra
ESPORTES
Afasc: Os resultados das categorias de base
ESPORTES
Judô: União Corinthians busca apoio para auxiliar atleta surda
ESPORTES
Lifasc: Posse da nova coordenação ocorre dia 27
ESPORTES
Santa-cruzenses correm para regularizar título de eleitor
GERAL - Fila quilométrica foi registrada na manhã de ontem, 21, nas imediações da Justiça Eleitoral
Seminário regional debate sobre a água
GERAL - Ação realizada na quarta, 19, foi uma promoção das prendas da 5ª Região Tradicionalista
Brigada Militar prende foragido
POLÍCIA

A Escola e a Política

Valério Garcia - 27/10/2017


 
Estamos vivendo momentos de grande relevância educacional/política em nosso país. Estamos acompanhando, durante alguns meses, vários processos cíveis e criminais envolvendo os políticos. Fomos responsáveis direto pelas suas eleições e pela sua chegada ao mandato que ora ocupam. Não delegamos poderes para ninguém representar nossa vontade nas urnas, o nosso voto dependeu única e exclusivamente da nossa vontade e das nossas convicções políticas; não podemos nos eximir dessa responsabilidade.
Em nossas Escolas deveríamos discutir mais sobre as questões políticas de nossa cidade, Estado e do nosso querido Brasil. Essa discussão deverá ir muito além de questões partidárias, muito além das picuinhas que estamos acostumados a assistir pelos meios de comunicação, onde mais se parecem, muitas vezes como uma comédia do tipo “pastelão”. Discutir ideologias partidárias, programas de governo de todos os partidos sem intervir na preferência do nosso aluno, apenas despertando em sua consciência o que ele acha melhor para si e sua coletividade. Que ele escolha livremente sua concepção política. Mostrar o que são e o que poderiam fazer os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário para o bem estar da população. Quais cargos são eletivos e quais são indicados, entre tantas outras funções na administração pública. A gestão pública está no poder do voto; está verdadeiramente nas nossas mãos. Somos nós que elegemos o Gestor da nossa cidade, do nosso Estado e do nosso País. 
E tem pessoas que vendem esse direito! Se existir alguém “vendendo” voto, é porque existe alguém “comprando”. Isto também é uma forma abominável de corrupção. E, muitas vezes, esses compradores e vendedores são os primeiros a engrossar fileiras bradando chavões contra os políticos corruptos, senão forem os próprios. E nós ficamos omissos ao dizer que não gostamos de política, e não damos importância ao nosso voto. Assim vamos perdendo a oportunidade de melhorar a qualificação de nossos políticos e, consequentemente, da política como um todo.
O nosso voto é a “arma” que temos para eleger nossos representantes. E ele deve ser empregado em benefício da coletividade. Não podemos votar pensando somente no nosso umbigo.  E olha a importância deste ato, já que pode depor um Presidente(a) eleito. Pensemos muito bem antes de exercer esse direito e dever cidadão! Como nos diz Edmund Burke: “Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados.” 
Não adianta ficarmos reclamando dos políticos por esse ou por aquele motivo pois, se lá estão, é porque foi vontade nossa. P.S. Reescrevi este texto, pelo momento político que estamos vivendo.
Bom final de semana!