Edição do dia 17/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Seminário Empretec acontece em Santa Cruz do Sul
GERAL - O evento, que está com inscrições abertas, é promovido pelo Sebrae RS e acontecerá de 30/09 a 05/10
Sem meio-campo, Inter agora soma 9 vices nacionais
ESPORTES - Time gaúcho perdeu a Copa do Brasil dentro de casa para o Athletico/PR, campeão inédito do torneio
9ª edição do Open Extreme Brasil enaltece a história das danças urbanas
VARIEDADES - Grandes nomes das danças urbanas do Brasil ministram aulas neste fim de semana
Saúde reforça para o cuidado contra sífilis
SAÚDE
Gravidez na adolescência: número de casos diminui, mas ainda preocupa
GERAL
Semana Municipal de Educação no Trânsito é aprovada pela Câmara
GERAL - Iniciativa é do vereador Alberto Heck (PT) que destaca a destinação de recursos para a realização de uma semana de conscientização por um trânsito mais seguro
Projeto de alunas do Senac Santa Cruz do Sul ajuda na diminuição do uso de sacolas plásticas
GERAL
Conselho lança o Polo dos Vales
GERAL
ENTRE QUATRO: Encenação acontece hoje e amanhã
VARIEDADES
RECEITA FEDERAL: Nova sede atenderá a partir de 8 de outubro
GERAL - Além da Delegacia da Receita Federal, a Procuradoria Geral da Fazenda também deve ocupar o espaço
Fentifumo inicia pauta de negociação
GERAL - Primeira reunião com a Federação e os Sindicatos ocorre na próxima quinta-feira
Otelio Drebes realiza palestra a professores
EDUCAÇÃO
Semana do Ministério Público começa hoje
GERAL - Promotores do caso Bernardo Boldrini estarão presentes
Reunião sobre Plantas Biotivas inicia hoje
GERAL
Prefeitura lança Alvará Digital
GERAL - A partir de agora, o documento pode ser feito em poucas horas, sem precisar sair de casa
Educar-se e Centro de Línguas promovem imersão bilíngue
EDUCAÇÃO
Sincotec-Varp realiza capacitação nesta quarta
GERAL
Projeto vai apresentar Santa Cruz e a 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Nos dois sábados da Festa da Alegria, ônibus sairão de Porto Alegre, Caxias do Sul e Santa Maria

Vender uma praça é dificultar a convivência

Um Passo a Mais - João Pedro Schmidt - 03/11/2017

A Prefeitura de Santa Cruz do Sul adotou uma forma totalmente questionável de lidar com as áreas dos loteamentos destinadas ao lazer e convívio: está vendendo áreas em diversos locais para “fazer caixa”. 
Acontece que essa prática não é aceitável. Tanto a legislação dos loteamentos quanto a legislação urbanística, incluindo o Estatuto das Cidades, estabelecem a obrigatoriedade da existência de áreas de uso comum. Porque isso é indispensável à qualidade de vida: é preciso que haja locais para encontrar-se, conversar, brincar, festejar, celebrar.

Vender uma praça em um bairro oriundo de um loteamento é ilegal. Ao menos deveria ser ilegal a todo operador jurídico que considere, afora o caráter público, um fato básico: todos os moradores pagam a área comum ao adquirir um lote. Se o loteador reserva, digamos, cinco terrenos para a praça, esse custo é repassado aos compradores, aos futuros moradores. Na hipótese da praça ser vendida mais tarde, o dinheiro deveria ser restituído aos moradores que a financiaram.

Vender uma área destinada ao lazer, ao esporte ou a uma sede social significa dificultar a convivência. É uma prova de que os gestores nada entenderam sobre qualidade de vida, sobre a geração e fortalecimento de capital social, sobre os benefícios da vida comunitária para a saúde e a economia. É um atestado de visão tacanha sobre a vida urbana.

Bairros não se reduzem a um amontoado de casas. O que confere identidade a um bairro é a vida social que nele acontece, as relações interpessoais. E quanto mais intensa a vida nas ruas, nas calçadas, nas praças, maior é a sensação de segurança, menor o risco de criminalidade. Há vários programas de enfrentamento da violência que se baseiam no princípio da ocupação das ruas, inclusive de madrugada.

O crime e o delito gostam da escuridão e de ruas vazias, não do burburinho de pessoas ocupadas com esportes, lazer e convivência. Os gestores e legisladores municipais fariam bem se atentassem a essas regras básicas de urbanidade.  E tratassem de vender o que é de sua propriedade particular, não o que é de propriedade do povo.