Edição do dia 15/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

CTG Lanceiros evidencia os direitos da Mulher
VARIEDADES
Inicia mais um Enart
GERAL - A 34ª edição do evento reúne em Santa Cruz do Sul os apaixonados pela cultura gaúcha
ACI: Gabriel Borba é aclamado presidente
GERAL - Ele estará à frente da entidade junto com o vice, César Cechinato, para o biênio 2020-2021
Copa Lisaruth 20 anos tem segunda rodada
ESPORTES
Cestinha Sesi/Unisc disputa o 2º turno das semifinais
ESPORTES
O Avenida ainda não confirmou a sua participação na Divisão de Acesso
ESPORTES
Dia de confirmar classificação
ESPORTES
Regional 2019: Fim de semana tem clássico em Vale do Sol
ESPORTES
Solled Energia ganha o principal prêmio brasileiro do setor
EMPRESARIAL
Secult abre novo prazo para cadastro de entes culturais
VARIEDADES
Marista São Luís é destaque e traz prêmios a Santa Cruz Do Sul
ESPORTES - Somente no Maristão, realizado em Porto Alegre, Colégio conquistou sete premiações
Excelsior: Casa do Cliente foi inaugurada
EMPRESARIAL
Por mês, operação do Rapidinho gera 94 mil advertências
GERAL - Valores ficam pendentes no sistema e precisam ser regularizados pelos usuários
Disputa das finais inicia neste sábado
ESPORTES - Campeões serão conhecidos após jogos de ida e volta nas categorias veterano, feminino e livre
Saúde recebe R$ 150 mil da Câmara
SAÚDE
Mostra do Cerest tem trabalho desenvolvido em Novo Cabrais
GERAL
Palestra debate o Direito sucessório do cônjuge e da união estável
GERAL
Persuasão interna é o caminho para a alta performance
GERAL

A triste sina de Anelise

As Parceiras - Lya Luft

A Leitura que Habito - Luana Ciecelski - 16/01/2018

Uma das últimas leituras que fiz em 2017 – concluí no dia 31 de dezembro – foi do volume "As parceiras" da escritora santa-cruzense Lya Luft. Esse foi o primeiro romance dela a ser lançado (em 1980) e foi também o meu primeiro contato com a autora. E ele me surpreendeu em diversos aspectos, principalmente porque a ideia que eu tinha dos livros dela era de romances água com açúcar. Mas “As parceiras” passa muito longe disso. 

Crédito: Divulgação/RJ

Pra começar, é preciso dizer que ele é um livro triste e por isso pode não ser fácil de ler para algumas pessoas. Ele nos apresenta à personagem Anelise, uma mulher de meia idade que está passando um tempo em um chalé de sua família nas proximidades de alguma praia. Ela narra a história trazendo algumas informações à conta-gotas. É dessa forma que sabemos que ela está passando por um momento difícil de sua vida – apesar de não sabermos logo o que aconteceu – e que ela está refletindo sobre como chegou até ali. 

Pode-se dizer que ela busca nesse passado, não apenas seu, mas de três gerações das mulheres de sua família – avó, mãe, tia, irmã, além da melhor amiga morta ainda na infância – uma explicação para o presente e para o caos que se instalou. Dessa forma, passado e presente se intercalam. E o leitor acompanha, nesse ritmo, uma semana da vida da personagem. De domingo, a sábado. E em cada dia são novas lembranças, novas descobertas, novas informações.

A sina da família fica logo visível. Há sempre algo, em algum momento da vida, que diminui a sanidade dessas mulheres. Um marido violento, a falta de uma mãe, a dificuldade em manter relacionamentos, a viuvez precoce, a dificuldade de engravidar, etc. E todas elas buscam algum tipo de refúgio para enfrentar essas dificuldades e lutas externas e internas. Mas em Anelise, a mais nova da família, fica evidente a presença de características de cada uma das mulheres que a antecederam. Um pouco dos mundos particulares e dos refúgios de cada uma. 

E por isso elas são parceiras. Parceiras de vida, de história, de solidão e de sina. E ao lermos o livro, nos tornamos um pouco parceiros da personagem também. Parceiros de reflexão sobre a vida. 

O LIVRO

Título: As Parceiras
Autora: Lya Luft
Páginas: 128
Editora: Record