Edição do dia 17/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Conselho lança o Polo dos Vales
GERAL
ENTRE QUATRO: Encenação acontece hoje e amanhã
VARIEDADES
RECEITA FEDERAL: Nova sede atenderá a partir de 8 de outubro
GERAL - Além da Delegacia da Receita Federal, a Procuradoria Geral da Fazenda também deve ocupar o espaço
Fentifumo inicia pauta de negociação
GERAL - Primeira reunião com a Federação e os Sindicatos ocorre na próxima quinta-feira
Otelio Drebes realiza palestra a professores
EDUCAÇÃO
Semana do Ministério Público começa hoje
GERAL - Promotores do caso Bernardo Boldrini estarão presentes
Reunião sobre Plantas Biotivas inicia hoje
GERAL
Prefeitura lança Alvará Digital
GERAL - A partir de agora, o documento pode ser feito em poucas horas, sem precisar sair de casa
Educar-se e Centro de Línguas promovem imersão bilíngue
EDUCAÇÃO
Sincotec-Varp realiza capacitação nesta quarta
GERAL
Projeto vai apresentar Santa Cruz e a 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Nos dois sábados da Festa da Alegria, ônibus sairão de Porto Alegre, Caxias do Sul e Santa Maria
Presidente dos Festejos Farroupilhas destaca a importância da cultura gaúcha
VARIEDADES
Tchê Bistrô e Arte: enaltecendo a tradição gaúcha
VARIEDADES
A força buscada nos versos
VARIEDADES
Cavalos passarão por inspeção antes do desfile
VARIEDADES - Além da Guia de Transporte Animal (GTA), será exigida apresentação de comprovantes para verificar as condições de saúde do animal
CTG de Paredão entregará 500kg em doações
VARIEDADES
Segurança Pública será reforçada em 36 municípios
POLÍCIA - Municípios da região receberão um total de aproximadamente R$ 2 milhões
Assaf vai encarar a Assoeva nas quartas de final
ESPORTES

O temeroso Temer

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 23/02/2018

Desculpas antecipadas pelo trocadilho, mas achei curioso, para não dizer outra coisa. Mas falando sério, o Presidente Temer dá claras demonstrações de que não quer deixar o cargo como fizeram os outros dois vices que assumiram, no caso Sarney e Itamar Franco. As atitudes de Temer deixam claro que no apagar das luzes do seu mandato deseja recuperar sua imagem, como se isso ainda fosse possível.
O exemplo mais simbólico certamente é a intervenção na área da segurança do Rio de Janeiro, onde de forma totalmente desarticulada do dia para noite, o Governo Federal decretou de forma autoritária a intervenção, sob o argumento de que a segurança do estado carioca estaria fora de controle, e para resolver a situação, convoca o Exército para ser o salvador da Pátria. 
Não há nenhuma novidade de que o Rio é violento e já faz muito tempo, e que algumas medidas lá tomadas no decorrer dos últimos anos, em especial as UPPs, foram sim medidas bem sucedidas, se levar em conta o caldo social complexo em foi forjada a cidade do Rio de Janeiro, isto desde a coroa portuguesa ter instaurado a cidade como capital do País. Todos os especialistas em segurança que se manifestaram no decorrer da semana não tiveram dúvida em dizer que o caminho para avançar na área de segurança está distante da missão constitucional do Exército Brasileiro, o que certamente Temer também sabe, mas isto não é o que interessa ao Presidente.
A intenção de Temer é recuperar sua imagem totalmente desgastada por sua atitude de traidor, bem como sua política neoliberal que privatizou tudo que conseguiu até agora, e a estratégia usada é muito simples, o que aliás todos os ditadores sempre fizeram historicamente, primeiro plantaram o medo, e no momento seguinte, apresentaram uma solução mágica, com um misto de força e truculência. 
E na esteira de que há na população uma considerável parcela de pessoas que nutrem um apreço por ditadores, e/ou por discursos ditos de linha dura, sendo o exemplo de Bolsonaro a amostra mais clara. Temer tenta surfar nesta onda, pois acredita que o discurso da força e da truculência sempre terá seus adeptos, e diga, que são os mais fiéis, pois são poucos os casos na história em que torturadores tenham pedido desculpas a suas vítimas, ao contrário, quando não negam, afirmam que o método usado era necessário para salvar o País das mãos do comunismo.
Assim, Temer vai pelo pior caminho para um político em um regime democrático, que é adotar práticas ditatoriais para tentar se salvar. Temos que torcer que o ano passe rápido, pois os fatos indicam que não há limite no ego do Presidente.