Edição do dia 24/01/2020

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Brigada Militar prende suspeito com animal abatido
POLÍCIA
Saboreares: opção de qualidade o ano inteiro
EMPRESARIAL
Mecânica do Fernando: há nove anos prestando serviços de qualidade
EMPRESARIAL
Sabores deliciosos é na CremoLatto Sorvetes
EMPRESARIAL
O que você precisa saber sobre vagas para idosos e deficientes
GERAL
Cepru Unisc: Inscrições para Instrutor de Trânsito estão abertas
GERAL
Vegetação na Av. do Imigrante obstrui visão de motoristas
GERAL - Apesar de todo embelezamento, cidadãos reclamam que plantas prejudicam o trânsito
Mais seis escolas da rede municipal estão sendo revitalizadas
EDUCAÇÃO - Pintura interna e externa, aquisição de mobiliário, reforma nas quadras esportivas, instalação de playground, entre outros serviços estão sendo realizados
Vestibular solidário da Uninter ajuda escolas carentes
GERAL
Exposição fotográfica do Capsia está sendo realizada no Shopping Santa Cruz
VARIEDADES
O que o Novo Cemai terá de diferente?
SAÚDE
Campanha visa arrecadar material escolar
GERAL - Criada por um grupo de torcedores do Inter, ação se estende até o dia 15 de fevereiro
Brinqmania realiza festa beneficente para Juju
GERAL
Segunda edição do Bailinho da Borges está confirmada
VARIEDADES - O evento será realizado dia 15 de fevereiro, na Rua Borges do Medeiros
Literatura Brasileira dos Catarinenses
OPINIÃO
MP denuncia mais um vereador por 'rachadinha'
POLÍTICA - Alceu Crestani (PSDB) também teria mantido um funcionário fantasma em Monte Alverne
Aproveite seu verão no Park Nativo
GERAL
Novo valor da passagem gera controvérsia
ECONOMIA - Promotor de Defesa Comunitária vê espaço para cálculo com tarifa menor

O temeroso Temer

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 23/02/2018

Desculpas antecipadas pelo trocadilho, mas achei curioso, para não dizer outra coisa. Mas falando sério, o Presidente Temer dá claras demonstrações de que não quer deixar o cargo como fizeram os outros dois vices que assumiram, no caso Sarney e Itamar Franco. As atitudes de Temer deixam claro que no apagar das luzes do seu mandato deseja recuperar sua imagem, como se isso ainda fosse possível.
O exemplo mais simbólico certamente é a intervenção na área da segurança do Rio de Janeiro, onde de forma totalmente desarticulada do dia para noite, o Governo Federal decretou de forma autoritária a intervenção, sob o argumento de que a segurança do estado carioca estaria fora de controle, e para resolver a situação, convoca o Exército para ser o salvador da Pátria. 
Não há nenhuma novidade de que o Rio é violento e já faz muito tempo, e que algumas medidas lá tomadas no decorrer dos últimos anos, em especial as UPPs, foram sim medidas bem sucedidas, se levar em conta o caldo social complexo em foi forjada a cidade do Rio de Janeiro, isto desde a coroa portuguesa ter instaurado a cidade como capital do País. Todos os especialistas em segurança que se manifestaram no decorrer da semana não tiveram dúvida em dizer que o caminho para avançar na área de segurança está distante da missão constitucional do Exército Brasileiro, o que certamente Temer também sabe, mas isto não é o que interessa ao Presidente.
A intenção de Temer é recuperar sua imagem totalmente desgastada por sua atitude de traidor, bem como sua política neoliberal que privatizou tudo que conseguiu até agora, e a estratégia usada é muito simples, o que aliás todos os ditadores sempre fizeram historicamente, primeiro plantaram o medo, e no momento seguinte, apresentaram uma solução mágica, com um misto de força e truculência. 
E na esteira de que há na população uma considerável parcela de pessoas que nutrem um apreço por ditadores, e/ou por discursos ditos de linha dura, sendo o exemplo de Bolsonaro a amostra mais clara. Temer tenta surfar nesta onda, pois acredita que o discurso da força e da truculência sempre terá seus adeptos, e diga, que são os mais fiéis, pois são poucos os casos na história em que torturadores tenham pedido desculpas a suas vítimas, ao contrário, quando não negam, afirmam que o método usado era necessário para salvar o País das mãos do comunismo.
Assim, Temer vai pelo pior caminho para um político em um regime democrático, que é adotar práticas ditatoriais para tentar se salvar. Temos que torcer que o ano passe rápido, pois os fatos indicam que não há limite no ego do Presidente.