Edição do dia 15/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

CTG Tiarayu é o grande campeão do Enart
VARIEDADES - Candeeiro da Amizade, de Vera Cruz, venceu a força B
CTG Lanceiros evidencia os direitos da Mulher
VARIEDADES
Inicia mais um Enart
GERAL - A 34ª edição do evento reúne em Santa Cruz do Sul os apaixonados pela cultura gaúcha
ACI: Gabriel Borba é aclamado presidente
GERAL - Ele estará à frente da entidade junto com o vice, César Cechinato, para o biênio 2020-2021
Copa Lisaruth 20 anos tem segunda rodada
ESPORTES
Cestinha Sesi/Unisc disputa o 2º turno das semifinais
ESPORTES
O Avenida ainda não confirmou a sua participação na Divisão de Acesso
ESPORTES
Dia de confirmar classificação
ESPORTES
Regional 2019: Fim de semana tem clássico em Vale do Sol
ESPORTES
Solled Energia ganha o principal prêmio brasileiro do setor
EMPRESARIAL
Secult abre novo prazo para cadastro de entes culturais
VARIEDADES
Marista São Luís é destaque e traz prêmios a Santa Cruz Do Sul
ESPORTES - Somente no Maristão, realizado em Porto Alegre, Colégio conquistou sete premiações
Excelsior: Casa do Cliente foi inaugurada
EMPRESARIAL
Por mês, operação do Rapidinho gera 94 mil advertências
GERAL - Valores ficam pendentes no sistema e precisam ser regularizados pelos usuários
Disputa das finais inicia neste sábado
ESPORTES - Campeões serão conhecidos após jogos de ida e volta nas categorias veterano, feminino e livre
Saúde recebe R$ 150 mil da Câmara
SAÚDE
Mostra do Cerest tem trabalho desenvolvido em Novo Cabrais
GERAL
Palestra debate o Direito sucessório do cônjuge e da união estável
GERAL

Uber em tempos de precarização

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 02/03/2018

Como nossa cidade não é uma ilha, nesta última semana tomamos conhecimento de que uma empresa virtual de transporte individual começou suas atividades, mesmo que não tivesse uma regulamentação anterior deste serviço pelo poder público local. A regulamentação está sendo discutida agora e nos próximos dias deverá ser encaminhada para a Câmara de Vereadores, e diga-se, que nesta semana houve aprovação de lei na Câmara dos Deputados que aprovou a matéria regulamentado a operação dos aplicativos em nível nacional.
Apesar da ausência normativa, o Uber já opera em várias cidades do País e tem, salvo melhor juízo, a aprovação de seus usuários. O negócio parece ser algo de outro mundo, pois segundo se notícia, o valor cobrado pelo serviço pode ser equivalente a 50% do valor cobrado pelos taxistas.
É neste aspecto que quero refletir no presente texto. Mas quem paga a conta desta diferença enorme? O Uber não é com certeza, pois recebe 25% dos valores arrecadados pelos credenciados ao aplicativo. Não há informação que dê o indicativo de que os serviços prestados pelos taxistas estejam hiperfaturados, aos menos em nossa cidade. Então quer dizer que a conta deve ser paga por alguém, e ao que tudo indica, é o credenciado ao serviço que paga, pois é ele que fornece o veículo, combustível, manutenção, impostos, seguro e presta o trabalho.  Deverá ainda o trabalhador fazer contribuição previdenciária como autônomo, caso queira se aposentar no futuro.
Ou seja, como já se sabe desde a década de 30, não há almoço de graça, e se forem fazer um planilha de custo provavelmente ter se a clara percepção que tal forma de contrato não gera receita a médio prazo, pois os custos irão superar a receita. Mas, o mais grave é que haverá a precarização de um serviço já consolidado e que funciona muito bem, que é o serviço de táxi existente na cidade.
Desta forma, em tempos de precarização das relações de trabalho que vivemos no País, o serviço do Uber parece ter atingido o seu estágio maior, pois além de fazer concorrência desleal, promete o que não consegue entregar aos seus parceiros, e desregula um serviço que ao menos em nossa cidade tem poucos problemas.