Edição do dia 19/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Projeto Carinhoso: atração cultural beneficiará a terceira idade
GERAL - Artistas locais levarão arte para casas geriátricas a partir do mês que vem
Samu: Regulação compartilhada deve entrar em operação até o fim do ano
SAÚDE
Campanhas estimulam a Solidariedade
GERAL
Escritora santa-cruzense lança o livro Melodia Perversa
VARIEDADES
Lifasc: Soberania dos visitantes domina
ESPORTES
Municipal Feminino: Muitos gols marcam a rodada
ESPORTES
Santa Cruz luta, mas perde nos pênaltis para o Soledade
ESPORTES
Regional 2019:Trombudo sai na frente nas semifinais
ESPORTES - Nos Aspirantes deu o Formosa contra o Unidos
Amigos do Cinema exibe Tarkovski
VARIEDADES
Associação Pró-Cultura: Vernissage abre última mostra
VARIEDADES
NOVEMBRO ROXO: Exposição dá início às atividades
SAÚDE - Hospital Santa Cruz preparou também palestra e oficina sobre o mês da Prematuridade
Cisvale debate temas expressivos para a região
GERAL
Portal Lunetas e Mercur promovem bate-papo sobre Infâncias
GERAL
Confraria Nativista: Nova diretoria será empossada
GERAL
Comissão Especial da OAB promove eventos para abordar a Reforma da Previdência
GERAL
Vacinação contra o Sarampo: Nova fase começou nesta segunda
SAÚDE
Santa Cruz tem oito escolas paralisadas
EDUCAÇÃO - Em outros sete educandários o atendimento é parcial e em quatro as atividades seguem normalmente
Noite de comemorar o fim do 34º Enart
VARIEDADES - CTG porto-alegrense e Candeeiro de Vera Cruz levaram os principais prêmios

A lição do silêncio

Osvino Toillier - 02/02/2018

Um fazendeiro descobriu que tinha perdido o relógio no celeiro, muito valioso e de grande valor sentimental. Após intensa procura em vão, ele recorreu à ajuda de um grupo de crianças e prometeu valiosa recompensa para quem encontrasse o seu relógio.
Quando o fazendeiro estava prestes a desistir, um menino lhe pediu uma chance para tentar, já que todos os outros não conseguiram. Seria uma tentativa a mais. Então, o fazendeiro autorizou o menino a entrar no celeiro.
Depois de um tempo, o menino saiu com o relógio na mão! Todos ficaram espantados. Então, o fazendeiro perguntou: “Como conseguiu encontrar”? O menino respondeu: “Eu não fiz nada a não ser ficar sentado no chão. No silêncio, eu escutei o tique-taque do relógio e apenas olhei para a direção certa”.
Decisão baseada na lógica de uma criança, diferente dos paradigmas dos adultos. A racionalidade dos adultos não abre espaço para a imaginação de uma criança. Me divirto assistindo à lógica da neta de dez anos, especialmente quando preparamos uma celebração familiar, e ela é minha assistente. Na verdade, a protagonista na proposição das ações, e eu passo a observar como a criança tem uma visão que foge do paradigma dos adultos.
Nós deveríamos nos dispor a abrir mais espaço para as crianças na programação familiar e teríamos, com certeza, valiosos espaços de criatividade e valorização de futuras lideranças.
É claro que não se trata de colocar crianças em risco, mas valorizar as ideias, proposições infantis e incorporá-las no universo da solução dos complexos problemas com que lidamos todos os dias.
Os adultos não precisam centralizar as decisões e apenas comunicá-las, mas incorporar crianças e jovens nas soluções, e eles certamente crescerão mais felizes e com autoestima elevada pela consideração que receberam.