Edição do dia 19/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Projeto Carinhoso: atração cultural beneficiará a terceira idade
GERAL - Artistas locais levarão arte para casas geriátricas a partir do mês que vem
Samu: Regulação compartilhada deve entrar em operação até o fim do ano
SAÚDE
Campanhas estimulam a Solidariedade
GERAL
Escritora santa-cruzense lança o livro Melodia Perversa
VARIEDADES
Lifasc: Soberania dos visitantes domina
ESPORTES
Municipal Feminino: Muitos gols marcam a rodada
ESPORTES
Santa Cruz luta, mas perde nos pênaltis para o Soledade
ESPORTES
Regional 2019:Trombudo sai na frente nas semifinais
ESPORTES - Nos Aspirantes deu o Formosa contra o Unidos
Amigos do Cinema exibe Tarkovski
VARIEDADES
Associação Pró-Cultura: Vernissage abre última mostra
VARIEDADES
NOVEMBRO ROXO: Exposição dá início às atividades
SAÚDE - Hospital Santa Cruz preparou também palestra e oficina sobre o mês da Prematuridade
Cisvale debate temas expressivos para a região
GERAL
Portal Lunetas e Mercur promovem bate-papo sobre Infâncias
GERAL
Confraria Nativista: Nova diretoria será empossada
GERAL
Comissão Especial da OAB promove eventos para abordar a Reforma da Previdência
GERAL
Vacinação contra o Sarampo: Nova fase começou nesta segunda
SAÚDE
Santa Cruz tem oito escolas paralisadas
EDUCAÇÃO - Em outros sete educandários o atendimento é parcial e em quatro as atividades seguem normalmente
Noite de comemorar o fim do 34º Enart
VARIEDADES - CTG porto-alegrense e Candeeiro de Vera Cruz levaram os principais prêmios

Amar os porfessores

Osvino Toillier - 09/03/2018

Na democracia, é preciso respeitar as ideias dos outros, porque senão nos tornamos autoritários e ditadores. Conviver com pensamentos e ideologias que ferem nossos princípios, é no mínimo difícil e desafiador, mas não é possível calar.
 A cada chacina que acontece nos Estados Unidos e especialmente nas escolas, desperta a questão do controle das armas cuja aquisição é bastante facilitada em território americano. Além do mais, cada cidadão pode ter o número de armas quiser, com o argumento de que é para se defender.
Tudo isso já é bastante estranho, mas propor que os professores trabalharem armados, supera a mais estranha e absurda proposta, ainda mais partindo do presidente do país.
O professor é uma figura emblemática de cada país em cujo exemplo crianças e jovens vão buscar lições para suas vidas. Os professores poderão estar revestidos da armadura do amor, do afeto, do carinho, dos mais elevados e profundos propósitos de amor pela humanidade, mas nunca de arma, seja qual for.
Lembro sempre de novo o pensamento do escritor argentino Constancio Vigil: “Quando existir a devida e indispensável educação, os professores ocuparão o mais alto lugar na humanidade. Uma vez que a alma é superior ao corpo, superiores aos demais são os que a ela beneficiam”.
Deveríamos dar a condição de protagonismo e aprendermos com Kierkegaard: “No dia em que a educação não for capaz de se alongar além das salas de aula, não for capaz de assumir as novas aprendizagens exigidas pelos tempos modernos, terá perdido o seu papel e a responsabilidade que lhe cabe dentro da comunidade, não será uma educação moderna”. 
O professor precisa de reconhecimento e valorização para que possa desincumbir-se da sua sagrada vocação profético-missionária, e não ser  peça da engrenagem da ideologia, seja qual fora.