Edição do dia 20/02/2020

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Um dia de diversão
GERAL - O Riovale Jornal em parceria com o Acqua Lokos sorteou ingressos para o parque aquático, confira os ganhadores:
Sambista Jorjão morre em Santa Cruz
GERAL - Jorge foi um apaixonado pelo carnaval da cidade e faleceu em decorrência de um mau súbito, na última terça-feira, 18
Brigada Militar garante segurança no 2º Bailinho da Borges
POLÍCIA
Dada a largada para a pintura do Palacinho
GERAL
Assembleias de Núcleo mostram a importância do cooperativismo para as comunidades
ESPORTES
Direção do Avenida muda horário do amistoso contra o Passo Fundo
ESPORTES - A partida marcada para sábado será realizada às 15 horas
Governo do Estado propõe reajuste do piso regional
ECONOMIA
Comitê elabora Plano de Contingência de combate à dengue
SAÚDE
Unisc abre inscrições para o Uniama
GERAL
Assemp abre edital para pontos de alimentação na 36ª Oktoberfest
GERAL
Consultório de Rua realizou 349 abordagens em oito meses
SAÚDE
Chimarródromos oferecem água quente e gelada
GERAL
Serviços da Prefeitura serão alterados no Carnaval
GERAL
Rapidinho não terá operação no feriado de Carnaval
GERAL
Os paradoxos nos protestos de 2013/2014
EDITORIAL
No Dia Mundial da Religião, precisamos educar para a paz
OPINIÃO
Projeto esquecer livros
OPINIÃO
Sábado
OPINIÃO

Os desejos de Stella

Stella Devonne - Angelita Borges

A Leitura que Habito - Luana Ciecelski - 17/04/2018

É sempre mais difícil falarmos dos livros de autores que a gente conhece de pertinho, e por isso, acho que é um grande desafio escrever sobre a literatura local. Por outro lado, é um prazer muito grande poder sugerir leituras de bons textos escritos por pessoas que, mais dia menos dia, você pode encontrar na rua. E tem uma leitura em especial que já faz um tempo quero sugerir aqui. Se eu não estiver enganada, esse foi um dos primeiros contatos que eu tive com a literatura da cidade. É o Stella Devonne, escrito pela Angelita Borges. 

O mérito desse livro não está apenas em seu enredo - que é muito interessante, diga-se de passagem - mas também na autora, que tinha apenas 20 anos quando ele foi lançado. Juntando essas duas coisas, temos algo incrível, não?! Uma boa história escrita por uma pessoa jovem. É inspirador. E o mais bacana de tudo é que ele é um livro para todos. Qualquer pessoa pode se interessar por essa história. Pela história de Stella Devonne, a personagem principal. 

Crédito: Divulgação

Acredito nisso porque depois de uma segunda leitura - feita recentemente - eu me dei conta de que há muito por trás da leitura propriamente dita. Há uma história, de uma jovem como a própria autora, que vive em Paris, na década de 1950 e que para sobreviver se prostitui e faz companhia para homens da sociedade. Ela se acaba se metendo em uma grande enrascada porque conhece o homem errado e vê nele uma boa oportunidade de ganhar dinheiro. Depois, porém, ela se arrepende, foge. E a gente não demora a descobrir que aquele não era apenas um homem rico, mas um criminoso. 

Há então uma avalanche de acontecimentos em torno da vida de Stella. É como na nossa própria vida, ou seja, um problema nunca vem sozinho. Há um assassinato, uma nova e avassaladora paixão, um aborto, um suicídio e uma investigação. Porque "viver é estar sendo testado a todo momento" como reflete a própria Stella. E em meio a tudo isso, há uma mudança de vida. Mas será apenas uma mudança no aspecto econômico e social, ou é também uma mudança no sentido de amadurecimento, de mudança dos desejos mais íntimos?

E é justamente aí que reside o que está por trás da leitura: as reflexões que ela desperta no leitor. A história se passa, sim, em um tempo um pouco diferente, mas os desejos humanos são os mesmo há milênios, porque muitos deles estão ligados ao instinto. E assim como Stella, nunca estamos satisfeitos com o que temos. Sempre queremos mais. Mesmo depois de conquistarmos aquilo que aparentemente iria nos satisfazer por todo o sempre. 

E quando tudo isso é apresentado em uma edição bonita como a que foi feita pela editora Kazuá, com uma capa vermelha e intensa, um espaçamento interno do texto agradável aos olhos, e com uma divisão de pequenos capítulos como optou por fazer a autora, ler é ainda mais prazeroso. Então não podia ser diferente, né?! Eu não só indico como peço que todos leiam esse livro. Vale a pena mesmo, tá?! 

SOBRE O LIVRO

Título: Stella Devonne
Autora: Angelita Borges
Editora: Kazuá
Lançamento: 2013
Páginas: 155