Edição do dia 21/06/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Série Ouro de Futsal: Assaf perde primeira como mandante
ESPORTES - Tricolor jogou em Vale Verde e foi derrotado por 5x3
Copa Cidade Miller define os playoffs
ESPORTES - Competição encerrou a fase classificatória
Aliança goleia São José e cresce na Copa CFC Celso
ESPORTES - Mobilização é pela realização da primeira etapa da Olimpíada Rural, no próximo domingo
Troca de mensagens: Sergio Moro adia ida à Câmara
POLÍTICA - Ministro viajou para os Estados Unidos no último fim de semana e não comparecerá à audiência pública
Seleção feminina cai na prorrogação diante da França
ESPORTES - Brasil foi eliminado nas oitavas de final da Copa do Mundo
Avenida perde nos pênaltis e está fora da Série D
ESPORTES - Caxias classificou-se dentro dos Eucaliptos com vitória nas penalidades por 6 a 5
Brasil goleia Peru e jogará quartas de final na Arena do Grêmio
ESPORTES - Time brasileiro ficou com o primeiro lugar do Grupo A da Copa América
Copa Cidade tem três jogos no final de semana
ESPORTES - Rodada conta com os últimos confrontos da fase classificatória
Patinação: Copa XLise e Festival 25 anos movimentam Poliesportivo
ESPORTES - Evento ocorre neste sábado e movimenta patinadores de todo o Estado
Mais de 10 mil peças para aquecer os cabraisenses
GERAL - Distribuição das roupas arrecadadas ocorreu nesta terça-feira (18) para centenas de famílias moradoras de Novo Cabrais
Lixo eletrônico será recolhido na terça
GERAL - Mutirão da prefeitura vai passar por todas as localidades para coletar os materiais e dar o destino correto aos mesmos
Ipiranga leva a livre e Associação conquista o veterano
ESPORTES - Novo Cabrais conheceu os campeões do municipal de futebol sete, na última sexta-feira, no Centro Desportivo Municipal
Bela Vista e Flamengo jogam nesta sexta
ESPORTES
Copa Feminina: Brasil pega a França
ESPORTES
Série Ouro: Assaf faz parceria e vai jogar em Vale Verde
ESPORTES
Copa América: Diante do Peru, tentativa de reação
ESPORTES - Seleção Brasileira passa por fase de incertezas. Em 1989, time superou dificuldades
São Martinho é campeão em Monte Alverne
ESPORTES
Série D do Brasileiro: Avenida precisa de vitória simples
ESPORTES - Torcida deverá lotar o Estádio dos Eucaliptos, domingo, às 16h, contra o Caxias, valendo classificação

Momento de cautela

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 20/04/2018

O ativismo do político/jurídico tem demonstrado que quando falham os freios e contrapesos da antiga teoria de Montesquieu, na relação entre os três poderes, a Democracia e Estado de Direto correm risco. E a história tem exemplos das mais variadas vertentes, que sempre o discurso de força e arbitrariedade ganha espaço nestes momentos de crise institucional.

Também não é segredo para os estudiosos das teorias sociais de dominação de massas, que o medo é o melhor argumento que para justificar os meios usados para uma suposta pacificação social. Assim, não é incomum nestes dias nebulosos ouvir de pessoas pacificas e “de bem”, como muitos se autodenominam, de que medidas como a liberação das armas, prisões arbitrárias e até a pena de morte são medidas urgentes para resolver parte das mazelas que atingem o tecido social de nosso País.  
Nesta mesma linha, juristas renomados do STF e outros “juristas” da imprensa nacional, tem feito uma verdadeira cruzada pelo fim do princípio constitucional da presunção de inocência. Segundo os argumentos usados, os recursos protelatórios seriam a motivação da não aplicação da lei penal, uma vez que, em razão da morosidade judicial, muitas penas estariam sendo fulminadas pelo instituto da prescrição.
Para não ser radical, vamos dizer que o argumento do parágrafo acima fala meia verdade, pois não são os recursos os responsáveis pela prescrição, mas sim os julgamentos que levam muito tempo para ocorrer. Mas daí, um novo argumento surge, os recursos entulham os tribunais, o que em tese motiva a lentidão. Será? Na semana passada o STF em sessão plenária durante uma tarde inteira e mais parte noite fez uma discussão no mínimo pitoresca. Discutiram sobre o conhecimento ou não do Habeas Corpus impetrado pelo ex-ministro Antônio Palocci. Por incrível que pareça, no fim do julgamento por maioria entenderam não conhecer o recurso, o que significa em bom português, não julgar o mérito da ação. 
Para a surpresa de muitos, mesmo não conhecendo o recurso, em razão das características excepcionais do remédio constitucional do Habeas, e mesmo com toda falação para não conhecer o recurso, acabaram marcando para o outro dia nova sessão, que ao final culminou na denegação do recurso também no seu mérito, o que todas as pedras já sabiam que iria acontecer.  O que quero dizer com isto tudo? É que acho que tempo não esta sendo o problema nos tribunais superiores, pois além de fazerem o espetáculo midiático, não é incomum que vários ministros viajem para o exterior para tratar de seminários e palestras que em nada tem relação com a jurisdição.     
Por isto, acredito que seria prudente neste momento, no caso das sentenças e acórdãos criminais terem tratamento preferencial, quando atacados pelos recursos previstos em lei, o que evitaria as prescrições, mas preservaria o princípio da presunção de inocência, que é uma conquista da cidadania contra o arbítrio estatal e que encontra-se expresso em nossa Carta Magna.