Edição do dia 15/02/2020

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Inscrições para processo seletivo encerram na quarta
GERAL
Sicredi Vale do Rio Pardo investirá em usina fotovoltaica própria
EMPRESARIAL
Educadores e estudantes debatem sobre ensino
EDUCAÇÃO
Unisc recebe prêmio Conciliar é Legal
GERAL
Valentine's Day celebra o amor
GERAL
Seminário marca o início do ano letivo no Colégio Mauá
EDUCAÇÃO
Regional de secretários de educação tem nova coordenação
EDUCAÇÃO
Solled recebe mais uma premiação
EMPRESARIAL
Stifa e Souza Cruz realizam assembleia
GERAL
Não é Não! Santa Cruz do Sul abraça campanha contra o assédio
GERAL
Cemas distribuirá preservativos para foliões
SAÚDE
O drama financeiro do setor público
EDITORIAL
O Imposto do pecado (parte 1)
OPINIÃO
Escolas retomam atividades na segunda-feira
EDUCAÇÃO - Serão 11,1 mil crianças que voltam às aulas no próximo dia, 17
Professores e funcionários recebem capacitação
EDUCAÇÃO - Evento aconteceu no Auditório Central da Unisc e Câmara dos Vereadores
Escola Moranguinho: um lugar acolhedor
EDUCAÇÃO
Ano letivo inicia com mudanças
EDUCAÇÃO - Após aprovado o novo pacote de medidas do Governo Estadual, Cpers não descarta novas greves
Decisão de Desbessell desagrada políticos
POLÍTICA - Vereadores dizem que não foram ouvidos sobre CPP contra Crestani e Schneiders

A lei do menor esforço

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 04/05/2018

Somos conduzidos e estimulados diariamente a aderir a “lei de menor esforço”, que em resumo significa todas as facilidades que a tecnologia nos oferece para nossa comodidade, para não dizer acomodação, desde o inocente controle remoto da tv, ao mais ultra, hiper modelo de smartphone. 
Dizem todos os especialistas que o mundo tecnológico veio para ficar, o que parece inexorável, e seus efeitos sobre todos não tardaram a chegar, já estão entre nós seja para bem como para o mal.
É inegável admitir que o mundo tecnológico trouxe avanços fantásticos para a vida humana nas últimas décadas, e como diz o historiador  Leandro Karnal, a tecnologia não é problema, mas seu uso inadequado, este sim, tem sido um problema cada vez mais presente, seja com a futilização e a idealização das relações virtuais, a volatilidade dos ídolos virtuais, a necessidade imperativa de estar nas redes sociais, o acesso indiscriminado de um volume gigantesco de informações sem qualquer critério, dão a impressão que estamos sendo criados e alimentados em uma bolha artificial, que é retroalimentada pela nossa ansiedade insaciável e quase irracional.
Neste contexto, especulo que a “lei do menor esforço”, aproveita a nossa embriaguez tecnológica e se impõe, pois estamos deixando de estudar música, pois tudo está ao alcance das mãos e ouvidos, deixamos de ler, pois ler é entediante, frente ao volume de imagens que são ofertadas, cultivar amizades não é mais prioridade, pois tenho mais de mil amigos nas redes sociais.   
Acho que também, no fundo sabemos que a facilidade vendida é artificial, mas não estamos tendo capacidade de renunciá-la ou então, fazer seu uso racional, o que ao mesmo tempo frustra, nos torna menos capazes de enfrentar este novo mundo descortinado pela tecnologia. Vamos ter com certeza, logo ai adiante manuais que deverão ser adotados nas salas de aula para tentar regular este uso inadvertido do mundo do tecnológico. 
Não podemos perder habilidades que levamos milhares de anos para desenvolver com muita precisão, como por exemplo escrever com as mãos, compreender equações complexadas das ciências exatas, desenhar, tocar instrumentos musicais, ter amizades sinceras e duradouras, e isto tudo exige muito esforço e dedicação, sendo que tal esforço é eminentemente humano, fora do alcance de qualquer tecnologia.