Edição do dia 15/11/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Inicia mais um Enart
GERAL - A 34ª edição do evento reúne em Santa Cruz do Sul os apaixonados pela cultura gaúcha
ACI: Gabriel Borba é aclamado presidente
GERAL - Ele estará à frente da entidade junto com o vice, César Cechinato, para o biênio 2020-2021
Copa Lisaruth 20 anos tem segunda rodada
ESPORTES
Cestinha Sesi/Unisc disputa o 2º turno das semifinais
ESPORTES
O Avenida ainda não confirmou a sua participação na Divisão de Acesso
ESPORTES
Dia de confirmar classificação
ESPORTES
Regional 2019: Fim de semana tem clássico em Vale do Sol
ESPORTES
Solled Energia ganha o principal prêmio brasileiro do setor
EMPRESARIAL
Secult abre novo prazo para cadastro de entes culturais
VARIEDADES
Marista São Luís é destaque e traz prêmios a Santa Cruz Do Sul
ESPORTES - Somente no Maristão, realizado em Porto Alegre, Colégio conquistou sete premiações
Excelsior: Casa do Cliente foi inaugurada
EMPRESARIAL
Por mês, operação do Rapidinho gera 94 mil advertências
GERAL - Valores ficam pendentes no sistema e precisam ser regularizados pelos usuários
Disputa das finais inicia neste sábado
ESPORTES - Campeões serão conhecidos após jogos de ida e volta nas categorias veterano, feminino e livre
Saúde recebe R$ 150 mil da Câmara
SAÚDE
Mostra do Cerest tem trabalho desenvolvido em Novo Cabrais
GERAL
Palestra debate o Direito sucessório do cônjuge e da união estável
GERAL
Persuasão interna é o caminho para a alta performance
GERAL
Reforma da Previdência é tema de curso
GERAL

A democracia como um valor

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 01/06/2018

Em momentos conturbados da história das Nações,  sempre surgem alternativas autoritárias para supostamente colocar a ordem nas coisas. Até a segunda metade do século XX,  os regimes ditatoriais eram regra no mundo, a exceção dos EUA,  que em seu território aceita a regras do jogo, como ensinou Norberto Bobbio,  mas em territórios estrangeiros estimulou e patrocinou golpes militares de toda ordem.
O povo brasileiro, por incrível que pareça, dá indicativos que ainda não consolidou a democracia como um valor, pois os sinais que estão sendo dados por setores da sociedade, no sentido de que um retorno a um passado autoritário cada dia são mais frequentes. Desde a manifestação de um General sobre a possível intervenção no País, até a pré-candidatura de um militar da reserva, que segundo as recentes pesquisas está com importante aprovação do eleitorado, por mais absurdos e autoritários que sejam seu modo de agir e pensar.
Se verdade que a corrupção endêmica corroeu os tecidos frágeis da Democracia, também é verdade dizer que somente o regime democrático permitiu que sociedade e suas instituições pudessem avançar tanto na investigação dos fatos e na apuração, processamento e condenação de muitos corruptos que em outros tempos certamente receberiam homenagens. Basta dizer que nosso País, diferentemente de outros,  após a ditadura não conseguiu responsabilizar ninguém por crimes de tortura, desaparecimento de pessoas  e dentre outras atrocidades de regime militar. Muito menos dá para falar em controle das contas públicas, pois há época não havia Lei de  Licitação, Tribunais de Contas, Polícia Federal, Ministério Público independente e imprensa livre, portanto, resta evidente não sabermos de quase nada do nosso passado público, e o que sabemos é menos que meia verdade.
Assim, o curto período democrático que vivemos desde a CF/88, nós legou uma enormidade de conquistas que não podem em momento algum ser desconsideradas, e muito menos correrem o risco do retrocesso do autoritarismo. A democracia brasileira é um valor consignado na Carta Magna de 1988, princípio que norteia o Estado Democrático de Direito, que dá sustento a todo aparato jurídico criado a partir da norma Fundamental, não havendo mais espaço para arroubos autoritários.
A crise que enfrentamos somente é possível de ser enfrentada com os mecanismos que o regime democrático oferece, pois os temas que a sociedade está discutindo são frutos exatamente da maturação de um espaço público que pertence a todos, e não de apenas alguns iluminados, que de tempos em tempos querem voltar ao poder pela força.