Edição do dia 21/06/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Série Ouro de Futsal: Assaf perde primeira como mandante
ESPORTES - Tricolor jogou em Vale Verde e foi derrotado por 5x3
Copa Cidade Miller define os playoffs
ESPORTES - Competição encerrou a fase classificatória
Aliança goleia São José e cresce na Copa CFC Celso
ESPORTES - Mobilização é pela realização da primeira etapa da Olimpíada Rural, no próximo domingo
Troca de mensagens: Sergio Moro adia ida à Câmara
POLÍTICA - Ministro viajou para os Estados Unidos no último fim de semana e não comparecerá à audiência pública
Seleção feminina cai na prorrogação diante da França
ESPORTES - Brasil foi eliminado nas oitavas de final da Copa do Mundo
Avenida perde nos pênaltis e está fora da Série D
ESPORTES - Caxias classificou-se dentro dos Eucaliptos com vitória nas penalidades por 6 a 5
Brasil goleia Peru e jogará quartas de final na Arena do Grêmio
ESPORTES - Time brasileiro ficou com o primeiro lugar do Grupo A da Copa América
Copa Cidade tem três jogos no final de semana
ESPORTES - Rodada conta com os últimos confrontos da fase classificatória
Patinação: Copa XLise e Festival 25 anos movimentam Poliesportivo
ESPORTES - Evento ocorre neste sábado e movimenta patinadores de todo o Estado
Mais de 10 mil peças para aquecer os cabraisenses
GERAL - Distribuição das roupas arrecadadas ocorreu nesta terça-feira (18) para centenas de famílias moradoras de Novo Cabrais
Lixo eletrônico será recolhido na terça
GERAL - Mutirão da prefeitura vai passar por todas as localidades para coletar os materiais e dar o destino correto aos mesmos
Ipiranga leva a livre e Associação conquista o veterano
ESPORTES - Novo Cabrais conheceu os campeões do municipal de futebol sete, na última sexta-feira, no Centro Desportivo Municipal
Bela Vista e Flamengo jogam nesta sexta
ESPORTES
Copa Feminina: Brasil pega a França
ESPORTES
Série Ouro: Assaf faz parceria e vai jogar em Vale Verde
ESPORTES
Copa América: Diante do Peru, tentativa de reação
ESPORTES - Seleção Brasileira passa por fase de incertezas. Em 1989, time superou dificuldades
São Martinho é campeão em Monte Alverne
ESPORTES
Série D do Brasileiro: Avenida precisa de vitória simples
ESPORTES - Torcida deverá lotar o Estádio dos Eucaliptos, domingo, às 16h, contra o Caxias, valendo classificação

A sociedade do cansaço - 1

Osvino Toillier - 08/06/2018

Vivemos um tempo curioso, difícil de entender, quando o ser humano se lança de busca de conquistas e domínios cujo resultado não produz satisfação nem realização concretamente perceptível.
A vida já não traz concretos resultados, e quanto mais realizamos e conquistamos, mais desafios se abrem a nossa frente, por conta da expectativa do nosso tempo.
Acabo de concluir a leitura de um pequeno livro com o título deste artigo, do filósofo coreano Byung-Chul Han, radicado na Alemanha – autor de outras obras como Sociedade da Transparência, Agonia do Eros e Topologia da Violência – cuja obra o aponta como substituto do Sygmunt Bauman, formulador dos Tempos Líquidos.
A reflexão do filósofo coreano nos leva a examinar a sociedade do nosso tempo, voltada a tirar o máximo de produtividade de si mesmo, e não mais por uma sociedade disciplinar, em que alguém determina o que fazer e nos controla e exige de nós a superação de metas.
Cada época de humanidade teve seus desafios, mas atualmente ele está voltado para a compreensão do que realmente está acontecendo com a humanidade.
Diz o autor: “o sujeito está livre da instância externa de domínio que o obriga a trabalhar ou que poderia explorá-lo. É senhor soberano de si mesmo. [...] O explorador é ao mesmo tempo o explorado”. E citando Nietzche, afirma: “Por falta de repouso, nossa civilização caminha para nova barbárie. Em nenhuma outra época os ativos, isto é, os inquietos, valeram tanto. Assim, pertence às correções necessárias a serem tomadas quanto ao caráter da humanidade fortalecer em grande medida o elemento contemplativo”.
A absolutização do trabalho, segundo aponta Hanna Arendt, caminha de mãos dadas com a evolução no surgimento e difusão da sociedade. O autor afirma que “a perda moderna da fé, que não diz respeito apenas a Deus e ao além, mas à própria realidade, torna a vida humana radicalmente transitória”.
O que sobra para o ser humano? Vamos ver na continuidade desta reflexão na próxima semana.