Edição do dia 20/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Havan é inaugurada em Santa Cruz
GERAL - Filial santa-cruzense abriu pela primeira vez na manhã de hoje
Feriado em Santa Cruz do Sul
GERAL - Saiba como funcionarão os principais serviços nesta sexta-feira, 20
Livro Dois meninos será lançado em Santa Cruz
VARIEDADES
JTI promove a língua inglesa entre colaboradores
GERAL
Equipes da Afubra realizam avaliações nas lavouras atingidas
GERAL
100 anos Sicredi VRP: Solenidade marca os 100 anos
ESPECIAIS
100 anos Sicredi VRP: Programação intensa durante todo o ano
ESPECIAIS
Dia do Contador: A saúde financeira do seu negócio depende dele
ESPECIAIS - Conheça um pouco mais sobre a profissão do contador e sua data comemorativa
Mensagem pelo Dia do Contador
ESPECIAIS - Rugard Kanitz - presidente do Sincotec VARP
Dia do Contador: Conheça os vencedores da 6ª edição do Concurso de Redação Tributação e Cidadania
ESPECIAIS
Preservação da cultura alemã no traje oficial
VARIEDADES
As donas das flores
GERAL - O trabalho delas é cultivar a natureza que enfeita a cidade
Shopping Santa Cruz recebe convidadas para bate-papo
GERAL - Quatro mulheres estarão à frente do evento de troca de experiências
Irmãos de Axé visitam Terreiro de Candomblé na Bahia
GERAL
Galo tem jogos importantes no final de semana
ESPORTES
Copa CFC Celso abre decisão em Linha Santa Cruz
ESPORTES
Assaf encara a Assoeva no Ginásio da Unisc neste sábado
ESPORTES
SCS Skate Contest: um incentivo ao esporte
ESPORTES

Os negócios da China

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 06/07/2018

Segundo informa matéria publicada pela BBC Brasil, somente ano passado a China comprou 21 empresas brasileiras, gastando um total de US$ 21 bilhões, sendo 80% deste investimento no setor da energia. 

Tal volume de investimento somente demonstra a capacidade e a voracidade deste gigante Asiático, que apesar de estar plenamente adequado a economia de mercado, mantêm no campo da política o poder centralizado no Partido Comunista, que controla de forma muito forte boa parte das empresas chinesas, sendo que os investimentos  feitos no Brasil estão sendo patrocinados por empresas estatais.
O preâmbulo acima somente serve de sinalizador para os fatos estranhos que estamos vivendo em nosso País. Se de um lado, ao que tudo indicam os movimentos políticos de vários setores da sociedade, estamos frente a uma segunda leva muito profunda de privatização de patrimônios públicos, sob argumento de que o Estado não tem capacidade de gerir, e  que o papel do Estado deve se restringir de cuidar da Saúde, Educação e Segurança.
É evidente que modelo político/econômico/social da China não serve de modelo para ninguém e muito menos para Brasil, mas não podemos aceitar de forma ingênua o argumento que o papel o Estado se resume ao trinômio Saúde/Educação/Segurança. A velha e já cansada mão invisível do mercado históricamente não deu conta de regular as várias faces de uma economia globalizada, onde cada dia mais, as grandes corporações combinam entre si preços, juros, novas demandas em todos os setores da economia, deste a produção de alimentos, combustíveis, computadores, medicamentos, etc...
A era do conhecimento de certa forma criou uma armadilha, pois nos vende a ilusão de ter direito ao acesso de tudo, mas na realidade a pesquisa e o produto dela tornou-se mercadoria controlada por poucas corporações, na sua grande maioria não estatais, à exceção, é claro da China.