Edição do dia 15/10/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Shows tradicionalistas são atração desta quarta-feira na 35ª Oktoberfest
GERAL - Festa da Alegria terá apresentações do Grupo Fandangaço, às 20h, e Os Serranos, às 22h30, no Lonão
Dia do Professor: educação para a erradicação do trabalho infantil
GERAL - Conheça a história de dois profissionais que estão na linha de frente do programa ARISE, iniciativa que muda a realidade de crianças e adolescentes
Praça da Cultura levará o nome de José Paulo Rauber Filho
GERAL - Inauguração do local ocorreu no sábado, 12 e contou com a presença da família do homenageado
Terça-feira será de ponto facultativo nas escolas
GERAL - Além das escolas municipais e estaduais, algumas particulares também não terão aula neste dia
Dia do Eletricista é nesta quinta-feira
GERAL - Data marca a importância do profissional habilitado
Inscrições abertas para a Escola de Educação Infantil
GERAL - Há vagas gratuitas e pagas para crianças de 4 e 5 anos
Rodrigo Solda é o novo presidente
GERAL - Além dele, outros prefeitos foram empossados para a diretoria e conselho fiscal do biênio 2020/2021
Evento discute problemas do contrabando e a pirataria
GERAL - Palestra apresentou dados sobre as ameaças do mercado ilegal para a economia
Sicredi Vale do Rio Pardo enaltece o cooperativismo durante o desfile da 35ª Oktoberfest
GERAL
Quase 17 milhões já foram emprestados pelo município
GERAL
Primeiros dias de Oktoberfest superam 54,6 mil pessoas pagantes
GERAL - Semana segue repleta de atrações
Fala, professor!
EDUCAÇÃO - Especial Dia do Professor
Histórico da data
EDUCAÇÃO - Especial Dia do Professor
O profissional que dedica a sua vida a ensinar
EDUCAÇÃO - Especial Dia do Professor
O big bang é o Operacional Divino
OPINIÃO
Permitir não é obrigar
OPINIÃO
Caspary conta a sua história (parte II)
OPINIÃO
Terminou a primeira rodada da segunda fase
ESPORTES - Bom Jesus, São José e Formosa saíram na frente

O NÃO JORNALISMO

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 31/08/2018

Quem acompanhou nesta semana as entrevistas dos candidatos a presidente no JN/Globo, teve a oportunidade ímpar de assistir como não deve ser feito o jornalismo, na minha modesta opinião. Os entrevistadores William Bonner e Renata Vasconcelos demonstraram um total desrespeito com os eleitores, pois ao invés de discutir temas relevantes com o candidatos, optaram por polemizar no que há de mais rasteiro na política, discutindo temas irrelevantes, e pior debatendo com os entrevistados suas opiniões pessoais, que em nada interessam ao eleitor.
Uma empresa de jornalismo, que detêm a concessão pública de canal de televisão, tem o compromisso público de fazer jornalismo informativo, e não tentar impor as convicções de seus proprietários e apresentadores, como se estivessem acima do bem e do mal.
Nas entrevistas que assisti, os entrevistadores falaram mais que os entrevistados, e o pior, não deixavam os entrevistados desenvolver o argumento, pois de forma desrespeitosa interrompiam os candidatos, como se tal atitude também fizesse parte do roteiro do mau jornalismo. Não quero crer que tal atitude foi totalmente impensada, pois o grau ardiloso que movimentou todos os atos desta empresa nos últimos 50 anos, nos dá provas que não há nada de ingênuo em suas atitudes, pois Brizola e Lula são o exemplos mais contundentes, o primeiro que em 1982, quase teve sua vitória ao governo do Rio roubada, e o segundo em 1989, com aquela fraudulenta edição do último debate com Collor, além de tantos outros fatos que poderiam ser elencados.
Mas no caso desta semana, ficou muito evidente que não há qualquer preocupação com temas importantes que vão definir o futuro do Brasil, que sequer foram abordados, como por exemplos: o agronegócio, obras de infraestrutura, empresas nacionais, distribuição de renda, educação, saúde, mercado e relações internacionais, dívida pública interna, déficit, judicialização da política dentre outros tantos. A pauta eram temas rasteiros, que tinham por base algumas declarações feitas no passado pelos candidatos, e que na maioria das vezes eram bobagens, que andam à quilômetros de distância dos temas acima indicados.
Por isto, tenho para mim que as entrevistas até agora realizadas em nada vão ajudar o eleitor a decidir seu voto, ao contrário, fica a impressão, como se de forma proposital, se tivesse a intenção de mediocrizar ainda mais o mundo da política, e quanto mais idiota pareça o candidato, mais suscetível ele seja a chantagem em uma eventual vitória no pleito, algo que já estamos cansados de assistir nas últimas décadas.