Edição do dia 20/08/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Lançamento da 32ª edição acontece hoje à noite
VARIEDADES - Com o tema Literatura em Rede, a Feira do Livro ocorre entre os dias 4 a 10 de setembro na Praça Getúlio Vargas
Aula inaugural marca início da primeira turma da Escola de Gestão
GERAL
Missão em Israel é tema de aula inaugural na Unisc
ECONOMIA
1º Seminário Desafios do Empreendedor ocorre em Santa Cruz do Sul
GERAL - O evento será realizado dia 29 de agosto, no Hotel Charrua
Santa Cruz receberá desafio de carros superesportivos
GERAL - Encontro ocorre no feriado, de 7 de setembro, no Aeroporto Luiz Beck da Silva, em Linha Santa Cruz. Provas reunião carros superesportivos de alto desempenho
Professor da Unisc lança documentário sobre cicloviagem na Carretera Austral
GERAL
Entenda a guerra contra o cigarro no Brasil
GERAL - Tentativas frustradas de favorecer o setor e impasses judiciais têm causado preocupação
Hidroginástica: Sesc oferece aulas em parceria com a Raia 7 Centro Aquático
GERAL
Copa HB20: Sena Jr. vence e Roncen chega em 7º
ESPORTES
MB Challenge: Correndo em casa, Fernando Jr. conquista pódio
ESPORTES
Lifasc: Semifinalistas definidos
ESPORTES
Assaf sofre derrota em Venâncio Aires
ESPORTES
Avenida chega na semana de estreia na Copinha
ESPORTES
Cras Integrar do Bairro Bom Jesus realizou formatura de inglês
EDUCAÇÃO
Abertas inscrições para Reunião sobre Plantas Bioativas
GERAL
Palavra puxa Palavra é tema de evento
GERAL
Mais de 900 mil reais serão investidos
GERAL - Valor será aplicado em livros e praça de brinquedos
Rodada aborda a Lei de Proteção de Dados
GERAL

O NÃO JORNALISMO

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 31/08/2018

Quem acompanhou nesta semana as entrevistas dos candidatos a presidente no JN/Globo, teve a oportunidade ímpar de assistir como não deve ser feito o jornalismo, na minha modesta opinião. Os entrevistadores William Bonner e Renata Vasconcelos demonstraram um total desrespeito com os eleitores, pois ao invés de discutir temas relevantes com o candidatos, optaram por polemizar no que há de mais rasteiro na política, discutindo temas irrelevantes, e pior debatendo com os entrevistados suas opiniões pessoais, que em nada interessam ao eleitor.
Uma empresa de jornalismo, que detêm a concessão pública de canal de televisão, tem o compromisso público de fazer jornalismo informativo, e não tentar impor as convicções de seus proprietários e apresentadores, como se estivessem acima do bem e do mal.
Nas entrevistas que assisti, os entrevistadores falaram mais que os entrevistados, e o pior, não deixavam os entrevistados desenvolver o argumento, pois de forma desrespeitosa interrompiam os candidatos, como se tal atitude também fizesse parte do roteiro do mau jornalismo. Não quero crer que tal atitude foi totalmente impensada, pois o grau ardiloso que movimentou todos os atos desta empresa nos últimos 50 anos, nos dá provas que não há nada de ingênuo em suas atitudes, pois Brizola e Lula são o exemplos mais contundentes, o primeiro que em 1982, quase teve sua vitória ao governo do Rio roubada, e o segundo em 1989, com aquela fraudulenta edição do último debate com Collor, além de tantos outros fatos que poderiam ser elencados.
Mas no caso desta semana, ficou muito evidente que não há qualquer preocupação com temas importantes que vão definir o futuro do Brasil, que sequer foram abordados, como por exemplos: o agronegócio, obras de infraestrutura, empresas nacionais, distribuição de renda, educação, saúde, mercado e relações internacionais, dívida pública interna, déficit, judicialização da política dentre outros tantos. A pauta eram temas rasteiros, que tinham por base algumas declarações feitas no passado pelos candidatos, e que na maioria das vezes eram bobagens, que andam à quilômetros de distância dos temas acima indicados.
Por isto, tenho para mim que as entrevistas até agora realizadas em nada vão ajudar o eleitor a decidir seu voto, ao contrário, fica a impressão, como se de forma proposital, se tivesse a intenção de mediocrizar ainda mais o mundo da política, e quanto mais idiota pareça o candidato, mais suscetível ele seja a chantagem em uma eventual vitória no pleito, algo que já estamos cansados de assistir nas últimas décadas.