Edição do dia 06/12/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Operação Papai Noel começa na próxima Terça-feira
GERAL - A novidade é a implantação da uma base móvel, equipada com câmeras, computadores e outros dispositivos de segurança
Multi Espaço VIA 9: cultura, educação e um bom café
GERAL - O local conta com loja de artesanatos e realiza diversos eventos e atividades
Neste sábado tem Prefeitura nos Bairros
GERAL
Feira do Livro de 2020 será em maio
GERAL - Patrona, Homenageado e Personalidade Incentivadora da Leitura foram divulgados nesta sexta-feira
Secretaria de Cultura registra 172 entes e agentes culturais
POLÍTICA - Cadastro havia sido fechado em agosto, mas foi reaberto no mês passado
Força-Tarefa fiscaliza supermercado no centro
GERAL - Ação realizou a segunda operação do grupo em Santa Cruz nesta semana
Campanha realiza exames preventivos gratuitos de câncer de pele neste sábado
SAÚDE - Os atendimentos acontecem das 9h às 15h, no Ambulatório do COI do Hospital Ana Nery
Greve do Magistério atinge mais de 1,5 mil escolas
EDUCAÇÃO - Com 80% de participação da categoria, a greve é considerada histórica
Economista dá dicas para utilizar o 13ºsalário
ECONOMIA - O pagamento é uma oportunidade para colocar as finanças em dia, afirma Silvio Cezar Arend
Cartório ainda aguarda mais de 30 mil para recadastramento biométrico
GERAL
Inscrições abertas para o Educar-se nas Férias 2020
EDUCAÇÃO
Alta no preço da carne resulta no aumento da Cesta Básica
ECONOMIA
Saiba os dias de abertura do comércio neste Natal
GERAL
Novo Cabrais: Bryan é mais um ganhador da promoção
GERAL
Novo Cabrais: Escolinha ACF é campeã geral da Uef Cup
ESPORTES
Abertura da Christkindfest acontece hoje
VARIEDADES - Programação se estende até o dia 22 de dezembro, com atividades artísticas e culturais e Casa do Papai Noel
Storch Contabilidade conta com novas e modernas instalações
GERAL
Novo Cabrais: Proerd forma 34 alunos
GERAL

O NÃO JORNALISMO

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 31/08/2018

Quem acompanhou nesta semana as entrevistas dos candidatos a presidente no JN/Globo, teve a oportunidade ímpar de assistir como não deve ser feito o jornalismo, na minha modesta opinião. Os entrevistadores William Bonner e Renata Vasconcelos demonstraram um total desrespeito com os eleitores, pois ao invés de discutir temas relevantes com o candidatos, optaram por polemizar no que há de mais rasteiro na política, discutindo temas irrelevantes, e pior debatendo com os entrevistados suas opiniões pessoais, que em nada interessam ao eleitor.
Uma empresa de jornalismo, que detêm a concessão pública de canal de televisão, tem o compromisso público de fazer jornalismo informativo, e não tentar impor as convicções de seus proprietários e apresentadores, como se estivessem acima do bem e do mal.
Nas entrevistas que assisti, os entrevistadores falaram mais que os entrevistados, e o pior, não deixavam os entrevistados desenvolver o argumento, pois de forma desrespeitosa interrompiam os candidatos, como se tal atitude também fizesse parte do roteiro do mau jornalismo. Não quero crer que tal atitude foi totalmente impensada, pois o grau ardiloso que movimentou todos os atos desta empresa nos últimos 50 anos, nos dá provas que não há nada de ingênuo em suas atitudes, pois Brizola e Lula são o exemplos mais contundentes, o primeiro que em 1982, quase teve sua vitória ao governo do Rio roubada, e o segundo em 1989, com aquela fraudulenta edição do último debate com Collor, além de tantos outros fatos que poderiam ser elencados.
Mas no caso desta semana, ficou muito evidente que não há qualquer preocupação com temas importantes que vão definir o futuro do Brasil, que sequer foram abordados, como por exemplos: o agronegócio, obras de infraestrutura, empresas nacionais, distribuição de renda, educação, saúde, mercado e relações internacionais, dívida pública interna, déficit, judicialização da política dentre outros tantos. A pauta eram temas rasteiros, que tinham por base algumas declarações feitas no passado pelos candidatos, e que na maioria das vezes eram bobagens, que andam à quilômetros de distância dos temas acima indicados.
Por isto, tenho para mim que as entrevistas até agora realizadas em nada vão ajudar o eleitor a decidir seu voto, ao contrário, fica a impressão, como se de forma proposital, se tivesse a intenção de mediocrizar ainda mais o mundo da política, e quanto mais idiota pareça o candidato, mais suscetível ele seja a chantagem em uma eventual vitória no pleito, algo que já estamos cansados de assistir nas últimas décadas.