Edição do dia 17/09/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Conselho lança o Polo dos Vales
GERAL
ENTRE QUATRO: Encenação acontece hoje e amanhã
VARIEDADES
RECEITA FEDERAL: Nova sede atenderá a partir de 8 de outubro
GERAL - Além da Delegacia da Receita Federal, a Procuradoria Geral da Fazenda também deve ocupar o espaço
Fentifumo inicia pauta de negociação
GERAL - Primeira reunião com a Federação e os Sindicatos ocorre na próxima quinta-feira
Otelio Drebes realiza palestra a professores
EDUCAÇÃO
Semana do Ministério Público começa hoje
GERAL - Promotores do caso Bernardo Boldrini estarão presentes
Reunião sobre Plantas Biotivas inicia hoje
GERAL
Prefeitura lança Alvará Digital
GERAL - A partir de agora, o documento pode ser feito em poucas horas, sem precisar sair de casa
Educar-se e Centro de Línguas promovem imersão bilíngue
EDUCAÇÃO
Sincotec-Varp realiza capacitação nesta quarta
GERAL
Projeto vai apresentar Santa Cruz e a 35ª Oktoberfest
VARIEDADES - Nos dois sábados da Festa da Alegria, ônibus sairão de Porto Alegre, Caxias do Sul e Santa Maria
Presidente dos Festejos Farroupilhas destaca a importância da cultura gaúcha
VARIEDADES
Tchê Bistrô e Arte: enaltecendo a tradição gaúcha
VARIEDADES
A força buscada nos versos
VARIEDADES
Cavalos passarão por inspeção antes do desfile
VARIEDADES - Além da Guia de Transporte Animal (GTA), será exigida apresentação de comprovantes para verificar as condições de saúde do animal
CTG de Paredão entregará 500kg em doações
VARIEDADES
Segurança Pública será reforçada em 36 municípios
POLÍCIA - Municípios da região receberão um total de aproximadamente R$ 2 milhões
Assaf vai encarar a Assoeva nas quartas de final
ESPORTES

NOSSO TEMPO

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 28/09/2018

Na infindável roda do tempo, em todas as épocas, sempre houve e sempre haverá pelo homem o questionamento sobre os limites na capacidade de descobertas e todas as possibilidades do universo e sua relação com vida.

Talvez estejamos passando por um momento da história jamais visto, e a resposta mais próxima do acerto deve ser que não há limites sobre tudo que ainda nos espera. Se observarmos os últimos 30 anos, os movimentos mundiais nos indicam de que não há limite na capacidade instalada de novas descobertas no campo científico.

Tal voracidade no campo das descobertas atinge todos os seres vivos ocupantes do globo terrestre, em especial o “bicho” homem, que muitas vezes, num misto de deslumbramento e insegurança encontra-se no centro deste turbilhão de mudanças, das quais quase nunca tem participação, senão como mero espectador/consumidor, à mercê do grande mercado mundial dominado por especialistas que ditam as novas descobertas, e por consequência as novas formas da busca da inalcançável felicidade.

Mas como ficamos nós, meros mortais, cristãos, espíritas, budistas, e tantos outros credos, que formamos a compreensão de mundo que temos,  frente ao quadro de total impotência que se apresenta?

O que se observa em paralelo ao crescimento tecnológico é que há um avanço pela busca da espiritualização, onde as religiões neopentecostais estão tendo um crescimento enorme com seus templos e também nos setores dos meios de comunicação e na política. Há um contingente enorme de pessoas bem intencionadas, que na solidão de suas angústias buscam respostas para perguntas que não podem ser respondidas, porque as respostas infelizmente não existem, e por isto são presas fáceis de muitos falastrões que fazem uso da fragilidade da razão humana, vendendo promessas que nunca serão cumpridas, mas mesmo assim, cada dia mais estão tendo enorme influência sobre milhões.

Opino no sentido que devemos nesta frenética marcha relativizar todas as verdades que já nos foram ditas, bem como aquelas que nos são apresentadas todos os dias. Não há, e talvez nunca houve, espaço para verdades absolutas, sejam elas religiosas, políticas, científicas ou sociológicas. O que temos para momento  é um caldeirão de informações que não estão tendo o devido tempo para serem decodificadas, com advertência de seus efeitos colaterais,  e por tal razão, o risco de leituras equivocadas seja provável.