Edição do dia 22/01/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Avenida empata pela segunda vez no Gauchão
ESPORTES - Periquito cedeu igualdade para o Brasil de Pelotas. Próximo jogo é domingo contra o Caxias, fora
Unisc divulga listão dos aprovados no curso de Medicina
GERAL
Secretaria de Esporte promove 1º Santa Cruz Kangoo Fest
ESPORTES
Seminário Internacional com inscrições abertas
EDUCAÇÃO
Centro de Cultura será revitalizado
VARIEDADES
Estão abertas as inscrições de produções audiovisuais de todo o RS para o 6º CineSerra
VARIEDADES
RS pede a suspensão de reajuste de juízes, promotores e defensores
POLÍTICA - Governador faz reunião de emergência e detalha crise financeira
Desenvolvimento Regional
GERAL - Unisc e Unitau promovem Doutorado Interinstitucional
Processos de cassação do direito de dirigir cresceram em 2018 no RS
GERAL
Denúncias aumentam entre dezembro e março
GERAL - Fiscalização já emitiu mais de 100 notificações sobre terrenos baldios em janeiro
As tensões na agenda
OPINIÃO
A educomunicação, o jornal e a sala de aula
OPINIÃO
Produção e difusão do conhecimento: estratégia propulsora para inovação
OPINIÃO
Dia do Aposentado: Passo a passo, a evolução da Previdência
ESPECIAIS
Apopesc investe para atrair novos associados
ESPECIAIS
Santa Cruz já pode ter cemitérios privados para animais
GERAL - A partir de agora cabe a empresas interessadas abraçar a causa
Gauchão 2019: Avenida recebe o Brasil de Pelotas
ESPORTES - Periquito, que vem de empate na primeira rodada em Veranópolis, enfrenta Xavante hoje à noite, nos Eucaliptos
Crítica à perpetuação no poder
EDITORIAL - O caso da Venezuela evidencia as consequências da ditadura

Não há mentiras na campanha

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 19/10/2018

Com o andar da disputa eleitoral, poucos são os cidadãos que não tenham acompanhado alguma discussão sobre os candidatos, as propostas e promessas de um mundo melhor a partir de janeiro de 2019. De certa forma, a eleição deste ano é plebiscitária, onde de um lado estão os eleitores (alguns) que tem orgulho de ser qualificados como extrema direita, o que em tempos de redemocratização era algo incomum, onde a principal bandeira é derrotar o comunismo, socialismo e principalmente o PT. De outro lado temos um grupo significativo que apoia o candidato do PT, onde os argumentos fundamentais passam pela defesa da democracia e  o próprio legado das políticas sociais dos governos Lula/Dilma.
Quando acredito que não há mentiras na campanha, é porque creio que os históricos de ambas as plataformas estão muito evidentes, sendo que no caso da extrema direita, temos a candidatura que diz e disse, em toda sua trajetória pública que a ditadura não existiu, (diga-se aqui, algo novo nos últimos trinta anos), que o império da lei não irá nos levar a lugar algum, e que em certos casos até aceita a tortura por parte do Estado. Não são necessárias mais digressões sobre o que pensam aqueles que apoiam tal candidatura. Como já advertia Shakespeare, todos sabem o que nasce do “ovo da serpente”. A verdade é mais clara que luz solar.
Por outro lado, o legado petista sofre com o desgaste que o poder impõe, seja com as acusações de corrupção ou com suposto fantasma comunista que sempre surge nestes momentos de crise política nacional. Mas em contrapartida, não há mentiras em suas propostas, pois seus governos provaram que as políticas públicas sociais foram o seu grande legado. Somente para exemplificar, nossa cidade recebeu mais de R$ 100 milhões do PAC, para construção de habitações populares, sem falar que foi no governo do PT que o curso de medicina foi implantado na UNISC, mesmo contra a vontade de boa parcelas dos médicos da cidade. Mas o mais importante é o fato que a democracia é o grande valor fundante da República Brasileira no projeto de Governo de Haddad e seus aliados.  
Por isto, esta preocupação com fake news é exagerada, pois a verdade surge com a história de cada candidato ou grupo político, sendo que a conduta do candidato durante a campanha fala muito sobre sua real personalidade.   As cartas estão sobre a mesa.