Edição do dia 14/06/2019

EDIÇÕES ANTERIORES FOTOS VIDEOS FALE CONOSCO HISTÓRICO - Primeira Edição SANTA CRUZ EM NÚMEROS TELEFONE ÚTEIS

Últimas Notícias

Computação na Educação lança material didático nesta terça-feira na Unisc
EDUCAÇÃO
OAB promove palestra: Vamos conversar sobre o racismo?
GERAL
Unidos da Villa e Esmeralda fazem o jogo dos líderes do grupo B
ESPORTES - No domingo, Copa Cidade Miller Supermercados teve vitórias do San Lorenzo e Margarida
Lifasc Sub-18: João Alves se isola ainda mais na liderança
ESPORTES - Equipe derrotou o Aliança por 2x0 neste domingo e mantém-se invicto
DESENVOLVIMENTO REGIONAL: Corede/VRP faz renovação da Assembleia
GERAL - Encontro para a definição dos novos integrantes ocorre no dia 25 de junho, na sala 101 da Unisc
Cursos de Gastronomia e Nutrição da Unisc promovem prática culinária com alunos do Uniama
GERAL
APAE promove Feijoada
GERAL
Educar-se promove novo encontro para famílias
EDUCAÇÃO
Mais de 1,1 mil candidatos realizam o Vestibular de Inverno da Unisc
GERAL
Com dois jogadores a menos, Avenida arranca empate em Caxias
ESPORTES - Periquito decidirá mata-mata dentro dos Eucaliptos
Santa Cruz empata e está fora da Segundona
ESPORTES - Galo ficou no 0 a 0 com o Guarany, em Bagé
Endurance Brasil: Xandy e Xandinho Negrão continuam líderes
ESPORTES - Pai e filho fecham a terceira etapa de Santa Cruz do Sul com pódio e mantêm a liderança na geral e na categoria GT3
Pinheiral leva o bicampeonato no Futebol Sete Master da Lifasc
ESPORTES - Equipe derrotou o Linha Santa Cruz na decisão, por 4x3 de virada, em partida eletrizante
De camisa branca, o Brasil vence na estreia
ESPORTES - Seleção fez 3 a 0 sobre a Bolívia pela Copa América
Brique da Praça completa 10 anos de atividades
GERAL
Luizinho Ruas ingressa com projeto que declara Coomcat de utilidade pública
GERAL
Copa Cidade Miller Supermercados tem dois jogos no domingo
ESPORTES - Partidas são válidas pela primeira fase do certame
Santa Cruz do Sul está em estado de alerta
SAÚDE - Com 62 notificações da doença, município realiza ações intensas de combate ao mosquito, mas, a colaboração da população é fundamental

O que falar depois Zygmunt Bauman?

Olhar Parcial - Edison Rabuske - 15/02/2019

Zygmunt Bauman, sociólogo que talvez melhor traduziu as complexidades que emolduram as várias faces de nosso tempo. É evidente que Bauman é um daqueles homens que não morrem, apenas deixam a existência física para entrarem na eternidade, e que de tempos em tempos são lembrados por sua genialidade que é atemporal. 
O diagnóstico proposto em várias de suas obras, sobre a volatilidade de relações humanas de nossa época, o que definiu como liquidez, oferece material sociológico, antropológico e filosófico para várias gerações, em especial para aqueles que ainda conseguem sentir um certo desconforto com o mundo que o cerca.
Mas a questão é, o que dizer depois de Bauman? Se concordamos que estamos cada vez mais vulneráveis ao consumo pelo consumo; com a insensibilidade tamanha que fizemos graça nas redes de corpos humanos esquartejados nos presídios do nosso País; com a vulgarização das relações afetivas ao ponto de expor normalmente a mulher em redes sociais, como objetos de uso, sem qualquer sentimento de culpa.
Não há nada simples para ser dito, e muito menos, terei a pretensão de construir um caminho seguro para cruzar este ambiente pantanoso. Mas a roda do tempo não para, e salvo melhor juízo, não há notícia confiável de que o salvador esteja com alguma previsão de baixar na planície da Terra, então cabe sim aos homens e mulheres enfrentar a vida como ela é, como já dizia Nelson Rodrigues, por mais espinhosa que seja.
Talvez este seja o primeiro passo a ser dado, uma análise mais realista da vida que temos, olhando ao entorno para tentar divisar o que importa mesmo. Se as relações humanas que ainda mantenho, ou que sobraram, do mundo real, não virtual, estão sendo cultivadas de forma adequada? Se o outro realmente importa? Seja ele filho, pai, mãe, colega, amigo, etc.
Como estamos numa onda narcisista agudizada pelas redes sociais, onde não há limites ao ego, em contrapartida a solidão, como consequência cobra seu preço, sendo os indicadores sobre o uso de antidepressivos na sociedade contemporânea a confirmação de que algo não anda bem.   
Esta atmosfera foi muito bem decifrada por Bauman, e seu legado é ter nos alertado de forma muito contundente, de que a vida pode piorar muito se continuarmos liquidificando a humanidade.